Mais

Escrevendo script Python no Field Calculator no ArcGIS Desktop?

Escrevendo script Python no Field Calculator no ArcGIS Desktop?


Sou programador, programei em C #, Java, mas não em Python. E não sou um trabalhador geográfico. Como posso escrever um script Python na Calculadora de campo para poder verificar o outro valor da coluna. Se o outro valor da coluna for "uma determinada string", o valor nesta coluna deve ser 0, caso contrário, deve ser calculado com uma equação. O valor que desejo observar é um tipo de texto e desejo contar em uma coluna de tipo duplo.


Você não 'escurece' variáveis ​​em python, apenas declara e atribui-as. Dito isso, sua rota básica é definir o analisador para python e marcar Mostrar Codeblock. Na caixa Código de script pré-lógico, insira sua função desta forma:

def DoThis (fld): val = 0 if fld <> 'uma determinada string': val = # faça seu cálculo aqui return val

Na caixa 'field =', digite:

DoThis (! Campo!)

Em python, # significa um comentário. Contagens de recuo. Se o seu cálculo depender de outros campos, transmita-os também. Isso deve ser direto com o seu histórico. Ao chamar a função, o nome do campo é colocado entre colchetes por marcas de exclamação (!).


Sou um usuário de longa data do ArcGIS, mas acho que a calculadora de campo QGIS é muito mais intuitiva e oferece opções para arrastar e soltar nomes de campos, expressões e operadores.

Se você é um programador, provavelmente achará muito mais fácil e descobrirá que ele constrói seu conhecimento para usar o construtor de expressão no ArcGIS.


Serviços de dados geoespaciais e GIS

Python e o pacote ArcPy python são instalados automaticamente quando você instala ArcGIS Desktop ou ArcGIS Pro em seu computador. Embora isso torne conveniente escrever scripts que automatizam os processos do software ArcGIS, há coisas importantes a serem consideradas antes que você possa realmente começar a usar o pacote ArcPy de forma eficaz. Primeiro, é importante notar que o ArcGIS Desktop (que inclui o ArcMap) é fornecido com o Python 2.7 e o ArcGIS Pro com o Python 3.6. Isso significa que se você tiver ArcMap e ArcGIS Pro instalados em seu computador - você tem duas versões diferentes de Python instaladas em sua máquina (e talvez até mais de duas se você instalou Python separadamente). Isso é importante porque você deve ter certeza de que qualquer script que escrever seja processado pela instalação correta do Python e também significa que um script deve ser escrito com a versão específica do Python que você está tentando visar devido às diferenças entre o Python 2 e Python 3.

Visite os sites abaixo para obter informações detalhadas sobre como usar o ArcPy para automatizar os processos do ArcGIS Desktop e ArcGIS Pro:

Se você estiver procurando por documentação e tutoriais gerais de Python para ajudar a desenvolver suas habilidades em Python na preparação para scripts relacionados a GIS, você pode querer visitar os seguintes sites que oferecem recursos úteis para alunos de Python.


Apresentando Arcade e ArcGIS Python API

Rotulagem e visualização dinâmicas se tornaram muito mais fáceis com o lançamento do Arcade, uma linguagem de script leve que permite aos usuários escrever, compartilhar e executar expressões. Essas expressões podem ser criadas por meio de scripts simples com uma interface de script dentro de um aplicativo ou IDE. O que torna o Arcade único é que as expressões são portáveis, de forma que podem ser usadas em toda a plataforma ArcGIS e não apenas em um ou dois aplicativos, como o ArcPy.

A sintaxe do Arcade é semelhante à de JavaScript e os desenvolvedores de JavaScript ficarão diretamente à vontade com ela. De maneira semelhante ao JavaScript, o Arcade permite que você declare variáveis, execute operações lógicas, aproveite as vantagens das funções integradas e escreva funções personalizadas. Os dados são referenciados por meio de globais (abreviação de variáveis ​​globais). Eles começam com um cifrão e representam recursos de um serviço ou camada e contêm uma geometria e um conjunto de atributos. Variáveis ​​globais permitem que você execute cálculos simples usando valores de campo em tempo de execução, enquanto até agora você tinha que criar novos campos em uma tabela de atributos e usar a Calculadora de Campo, escrever uma expressão e preencher os valores de campo.

Como este é o primeiro lançamento do Arcade, você pode usá-lo apenas com ArcGIS Pro, ArcGIS Online e por meio de aplicativos que usam JavaScript e Runtime SDKs. Ele estará disponível em mais lugares em versões posteriores. A Esri declarou explicitamente que o Arcade não pretende substituir o Python agora ou no futuro.

Uma nova API Python

Como prometido, a Esri lançou a primeira versão de sua API ArcGIS Python junto com ArcGIS 10.5 no final de dezembro de 2016. Esta é uma API 'pythônica', o que significa que contém módulos, classes, funções e tipos para gerenciar e trabalhar com os elementos de um Modelo de informação GIS. Cada API fornece uma interface entre os sistemas de computador, neste caso o usuário GIS (o cliente) e uma plataforma, sendo ArcGIS Portal ou ArcGIS Online. Em termos de arquitetura de software, esta API é implementada no topo das APIs REST da plataforma Web GIS, mas você usa Python para se conectar e interagir com a plataforma.

Esta API permite que os usuários trabalhem com dados do ArcGIS Online por meio de diferentes bibliotecas Python, como Pandas, Numpy e a pilha SciPy, em combinação com os próprios recursos GIS da API. Eles excedem em muito as capacidades do pacote ArcPy da Esri: a API tem nada menos que treze módulos diferentes, agrupados em diferentes categorias, cobrindo tudo, desde o acesso a conjuntos de dados, visualização de dados, análise, bem como funcionalidades adicionais para fluxos de trabalho geoespaciais.

A API é distribuída usando Conda, um pacote moderno e sistema de gerenciamento de ambiente para Python. Tanto o Conda quanto a API usam Python versão 3. Para começar a usar a API, primeiro você precisa instalar o Conda e, em seguida, o pacote ArcGIS que contém todos os módulos da API, antes de acessar a API ArcGIS Python em um IDE Python de escolha, ou de um ambiente Jupyter Notebook. Você faz isso fazendo uma conexão ao ArcGIS Online ou Portal com uma URL e credenciais de login, usando o módulo GIS e uma conta pública ou organizacional.


  1. Abra a tabela de atributos.
  2. Clique com o botão direito no título do campo e clique em Calculadora de campo no menu de contexto.
  3. Selecione os Pitão botão de opção na parte superior da Calculadora de campo.
  4. Cole a seguinte expressão Python na caixa de texto Calculadora de campo.
  1. Substituir FIELDNAME com o campo a ser arredondado e N com o número de casas decimais para arredondar os valores.
  2. Clique OK para executar o cálculo.
  1. Abra a tabela de atributos.
  2. Clique com o botão direito no título do campo e clique em Propriedades. no menu de contexto.
  3. Clique no Formato numérico botão de reticências.
  1. No Numérico categoria, defina o número de casas decimais para arredondar os valores na Arredondamento seção. Clique OK.

Implante seu aplicativo da Web em Python

Finalmente chegou a hora de colocar seu aplicativo online. Mas, primeiro, seu código precisa de um lugar para morar nos servidores do Google e você precisa ter certeza de que ele chegará lá com segurança. Nesta seção do tutorial, você trabalha para concluir as configurações de implantação necessárias na nuvem e localmente.

Configurar no Google App Engine

Leia o processo de configuração abaixo passo a passo. Você pode comparar o que vê no seu navegador com as capturas de tela. O nome do projeto usado nas capturas de tela de exemplo é hello-app.

Comece fazendo login no Google Cloud Platform. Navegue até a visualização do painel, onde você & rsquoll vê uma barra de ferramentas na parte superior da janela. Selecione o botão de seta voltado para baixo em direção ao lado esquerdo da barra de ferramentas. Isso abrirá um modal contendo uma lista de seus projetos do Google:

O modal exibe uma lista de seus projetos. A lista pode estar vazia se você ainda não criou nenhum projeto. No canto superior direito desse modal, encontre o NOVO PROJETO botão e clique nele:

Clicando NOVO PROJETO irá redirecioná-lo para uma nova página onde você pode decidir um nome para o seu projeto. Esse nome aparecerá no URL do seu aplicativo, que será semelhante a http://your-application-name.nw.r.appspot.com. Use hello-app como o nome para este projeto para ficar consistente com o tutorial:

Você pode ver o ID do seu projeto abaixo do Nome do Projeto campo de entrada. O ID do projeto consiste no nome que você inseriu e um número que o Google App Engine adiciona. No caso deste tutorial, você pode ver que o ID do projeto é hello-app-295110. Copie seu ID de projeto pessoal, pois você precisará dele mais tarde para a implantação.

Observação: Como o ID do projeto precisa ser exclusivo, seu número será diferente do mostrado neste tutorial.

Agora você pode clicar CRIO e aguarde até que o projeto seja configurado no Google App Engine & rsquos side. Assim que isso for feito, uma notificação aparecerá informando que um novo projeto foi criado. Também oferece a opção de selecioná-lo. Vá em frente e faça isso clicando em SELECIONE PROJETO:

Clicando SELECIONE O PROJETO irá redirecioná-lo para a página principal de seu novo projeto do Google Cloud Platform. Se parece com isso:

A partir daqui, você deseja alternar para o painel do Google App Engine. Você pode fazer isso clicando no menu de hambúrguer no canto superior esquerdo, rolando para baixo para selecionar App Engine na primeira lista, em seguida, selecionando Painel no topo da próxima lista pop-up:

Isso finalmente o redirecionará para a visualização do painel do Google App Engine de seu novo projeto. Como o projeto está vazio até agora, a página será semelhante a esta:

Quando você vir esta página, significa que concluiu a configuração de um novo projeto no Google App Engine. Você agora está pronto para voltar ao terminal em seu computador e concluir as etapas locais necessárias para implantar seu aplicativo neste projeto.

Configurar localmente para implantação

Depois de instalar com êxito o Google Cloud SDK, você terá acesso à interface de linha de comando gcloud. Este programa vem com instruções úteis que o orientam durante a implantação de seu aplicativo da web. Comece digitando o comando que foi sugerido quando você criou um novo projeto no site do Google App Engine:

Como você pode ver no canto inferior direito da página, o Google App Engine sugere um comando de terminal para implantar seu código neste projeto. Abra seu terminal, navegue até a pasta do projeto e execute o comando sugerido:

Quando você executa este comando sem nenhuma configuração anterior, o programa responde com uma mensagem de erro:

Você recebe esta mensagem de erro porque pode & rsquot implantar qualquer código em sua conta do Google App Engine, a menos que prove ao Google que você & rsquere o proprietário dessa conta. Você deve se autenticar com sua conta do Google App Engine em seu computador local.

O aplicativo de linha de comando gcloud já forneceu o comando que você precisa para executar. Digite em seu terminal:

Isso iniciará o processo de autenticação gerando um URL de validação e abrindo-o em seu navegador. Conclua o processo selecionando sua conta do Google na janela do navegador e concedendo ao Google Cloud SDK os privilégios necessários. Depois de fazer isso, você pode retornar ao seu terminal, onde você & rsquoll verá algumas informações sobre o processo de autenticação:

Se você vir esta mensagem, a autenticação foi bem-sucedida. Você também pode ver que o programa de linha de comando oferece novamente informações úteis sobre a próxima etapa.

Ele informa que não há nenhum projeto definido no momento e que você pode definir um executando gcloud config set project PROJECT_ID. Agora você & rsquoll precisa do ID do projeto que você anotou anteriormente.

Observação: Você sempre pode obter o ID do seu projeto acessando o site do Google App Engine e clicando na seta voltada para baixo que abre o modal que mostra todos os seus projetos do Google. O ID do projeto está listado à direita do nome do projeto e geralmente consiste no nome do projeto e um número de seis dígitos.

Certifique-se de substituir hello-app-295110 pelo seu próprio ID de projeto ao executar o comando sugerido:

Seu terminal imprimirá uma mensagem curta de feedback informando que a propriedade do projeto foi atualizada. Depois de autenticar e definir com êxito o projeto padrão para o ID do projeto, você concluiu as etapas de configuração necessárias.

Execute o processo de implantação

Agora você está pronto para tentar o comando de implantação inicial uma segunda vez:

O aplicativo gcloud busca suas credenciais de autenticação, bem como as informações de ID do projeto da configuração padrão que você acabou de definir e permite que você continue. Em seguida, você precisa selecionar uma região onde seu aplicativo deve ser hospedado:

Digite um dos números listados à esquerda e pressione Enter.

Observação: Não importa qual região você escolher para este aplicativo. No entanto, se você deseja construir um grande aplicativo que obtém uma quantidade significativa de tráfego, então você deseja implantá-lo em um servidor que está fisicamente perto de onde a maioria dos seus usuários está.

Depois de inserir um número, o CLI continuará com o processo de configuração. Antes de implantar seu código no Google App Engine, ele & rsquoll mostra uma visão geral de como será a implantação e pede uma confirmação final:

Depois de confirmar a configuração digitando Y, sua implantação estará finalmente em andamento. Seu terminal mostrará mais algumas informações e uma pequena animação de carregamento enquanto o Google App Engine configura seu projeto em seus servidores:

Como esta é a primeira implantação de seu aplicativo da web, pode levar alguns minutos para ser concluída. Assim que a implantação for concluída, você & rsquoll verá outra saída útil no console. Ele & rsquoll é semelhante ao que está abaixo:

Agora você pode navegar até o URL mencionado em seu navegador ou digitar o comando sugerido gcloud app browse para acessar seu aplicativo da web ativo. Você deve ver a mesma resposta de texto curta que viu antes ao executar o aplicativo em seu host local: Parabéns, é um aplicativo da web!

Observe que este site tem uma URL que você pode compartilhar com outras pessoas, e elas também poderão acessá-lo. Agora você tem um aplicativo da web Python ativo!

Exercício: Pratique e Explore Mostrar / Ocultar

Altere o valor de retorno de index () novamente e implante seu aplicativo uma segunda vez usando o comando gcloud app deploy. Confirme que você pode ver a mudança refletida no site ao vivo em seu navegador.

Com isso, você concluiu as etapas necessárias para colocar seu código Python local na web. No entanto, a única funcionalidade que você colocou online até agora é imprimir uma sequência de texto.

É hora de intensificar! Seguindo o mesmo processo, você pode trazer mais funcionalidades interessantes online na próxima seção. Você deve refatorar o código de um script conversor de temperatura local em um aplicativo da web Flask.


ArcPy para desenvolvedores Python usando ArcGIS Pro

O mercado global de Sistema de Informações Geográficas (GIS) deve valer mais de dez bilhões de dólares até 2023 e está crescendo a uma taxa enorme.

Os desenvolvedores qualificados com o software GIS adequado já estão em alta demanda e a demanda está crescendo.

No GIS Stack Exchange - a biblioteca espacial para Python - a maioria das perguntas são para ArcPy, que fornece uma API Python para o produto carro-chefe da Esri, ArcGIS Desktop e seus dois aplicativos principais (ArcGIS Pro e ArcMap).

Consequentemente, nunca houve um momento melhor para os desenvolvedores Python adicionarem habilidades ArcPy a seu repertório.

Este curso foi desenvolvido principalmente para apresentar aos desenvolvedores Python as classes e funções do ArcPy para trabalhar com o ArcGIS Pro. Ele também irá apresentá-los a muitos aspectos do ArcGIS Pro GUI, para que eles estejam bem posicionados para entender os requisitos dos usuários finais para os aplicativos que escrevem.

Embora seja necessária relativamente pouca experiência em Python para realizar o curso, as classes e funções de Python usadas podem ser mais fáceis de entender se você já tiver realizado um treinamento introdutório em Python - como o Python Masterclass da Learn Programming Academy.

O curso também é adequado para usuários finais do ArcGIS Pro que desejam aprender ArcPy, mas eles podem precisar embarcar em uma curva de aprendizado íngreme em Python, se tiverem habilidades mínimas nesse idioma.

A maioria das seções deste curso pode ser feita em qualquer ordem. Você só precisa baixar os dados e verificar se o ArcGIS Pro e seu Python IDE estão funcionando primeiro.

NOTA: é necessário software pago para fazer este curso.

O curso requer apenas uma licença de nível Básico do ArcGIS Desktop (que inclui ArcGIS Pro), e nenhum produto de extensão precisa ser licenciado para completar todos os exercícios.

Se você não tiver uma licença ArcGIS Desktop, por cerca de $ 100-150 por ano, é possível usar uma licença de nível avançado e muitos dos produtos de extensão para fins não comerciais (como fazer este curso!), Através do ArcGIS da Esri para Programa de uso pessoal (detalhes dentro do curso).

Também é possível realizar um teste gratuito de 21 dias do ArcGIS Pro (detalhes também dentro do curso).

A recomendação é fazer o teste gratuito de 21 dias para começar.

Este curso começa examinando os vários lugares onde o código Python pode ser usado dentro do aplicativo ArcGIS Pro e como o código Python pode ser escrito usando um IDE Python para interagir com o ArcGIS Pro como um script independente ou uma ferramenta de script Python.

Em seguida, você fará um tour pelas funções e classes do ArcPy mais comumente usadas para geoprocessamento, seguido por tours por seus módulos para acesso e mapeamento de dados.

Os cenários escolhidos, para ilustrar como cada função e classe são usadas, são derivados da experiência do apresentador trabalhando com ArcPy e Python por quase 10 anos, e com software Esri por 30 anos.

Seu instrutor, Graeme Browning, tem usado o software Esri diariamente por mais de 30 anos, 8 anos dos quais ele passou usando ArcPy. Graeme também passou 18 anos na Esri UK e Esri Australia, trabalhando em diferentes funções, de Analista Sênior de GIS a Diretor Técnico.

Ele também é classificado no GIS Stack Exchange como o melhor em todo o mundo:

# 5 usuário de todos os produtos GIS

Graeme também recebeu o prêmio Esri High Achievement de Jack Dangermond (presidente).

Ele já desenvolveu quase 20 cursos de um dia e workshops de meio dia para entrega com instrutor e junto com isso, quase 20 cursos de vídeo eLearning.

Portanto, se você está procurando o instrutor perfeito para lhe ensinar as melhores práticas para aprender ArcPy for Python, Graeme é o melhor que existe!

Os principais tópicos a serem cobertos são:

Usando ArcPy e Python em múltiplas interfaces dentro e ao lado do ArcGIS Pro

Analisador Python para cálculo e rotulagem de campo

Usando Módulos ArcPy, Classes e Funções

Trabalhar com a pesquisa, atualização e inserção de cursores do Módulo de Acesso a Dados do ArcPy (arcpy.da)

Realização de inventário de GIS por meio da listagem de dados, descrição de dados e pastas do sistema móvel e conjuntos de dados espaciais

Usando o módulo de mapeamento para automação de mapa usando projeto, mapa, camada, layout, quadro de mapa, extensão, câmera, referência espacial, texto, gráficos, legendas, barras de escala, setas norte, imagens e muitas outras classes de objetos

Trabalhar com a série de mapas para atender a requisitos simples e complexos de livros de mapas

Encontrando seu caminho em torno da extensa documentação ArcPy / Python do ArcGIS Pro

Trabalhando com geometrias de ponto, linha e polígono

Configurando o ambiente de geoprocessamento

Obtendo e definindo parâmetros para ferramentas de script Python

Exportando layouts de mapa para PDF

Inscrever-se neste curso é a melhor decisão que você pode tomar!

O curso se concentra em ensinar ArcPy em profundidade, desde o básico até o avançado

É 3-4 vezes a duração de qualquer outro curso ArcPy e projetado para acomodar muito mais palestras e desafios não apenas no ArcGIS Pro, mas também no ArcMap

Além disso, ensina ArcPy for ArcGIS Pro que foi lançado apenas em 2015, enquanto outros cursos ArcPy normalmente usam apenas o ArcMap antigo! Você está obtendo o aprendizado mais atualizado!

Ao final deste curso, você terá as habilidades necessárias para se tornar um especialista em ArcPy usando ArcGIS Pro e aplicá-lo em seus próprios programas, como Automação de Mapas e Geoprocessamento.

O aluno ideal seria alguém com um conhecimento básico de Python que está ansioso para melhorar suas habilidades e levá-las ao próximo nível aprendendo ArcPy usando ArcGIS pro.

Quanto mais cedo você se inscrever neste curso, mais cedo você terá as habilidades e o conhecimento que o colocariam entre a lista de desenvolvedores Python solicitados!


Recursos de livros

Escolha seu livro na lista abaixo para acessar materiais adicionais.

O atualizado Conhecendo o ArcGIS Pro ensina usuários de GIS novos e existentes como começar a resolver problemas visualizando, consultando, criando, editando, analisando e apresentando dados geoespaciais em ambientes 2D e 3D usando o mais recente aplicativo de mapeamento ArcGIS, ArcGIS Pro. Este livro ensina funções e capacidades básicas do ArcGIS Pro por meio de fluxos de trabalho práticos do projeto e mostra como ele é um componente essencial da plataforma ArcGIS.

Usando métodos confiáveis ​​apresentados por dois professores conceituados de GIS aplicado, este é o livro premier para aprender a tecnologia GIS premier… ArcGIS Pro.

GIS Tutorial 1 para ArcGIS Pro apresenta exercícios passo a passo para aprender GIS com foco nas tecnologias online e de desktop mais recentes. Com base na série de tutoriais GIS mais vendida da Esri para analistas, desenvolvedores, alunos, gerentes e outros, este livro ensina os leitores a fazer mapas, trabalhar com dados espaciais e resolver problemas rapidamente usando a plataforma ArcGIS.

Guia de estudo da certificação profissional Esri ArcGIS® Desktop é adaptado para atender às necessidades de preparação dos candidatos que fazem o exame de certificação ArcGIS® Desktop Professional mais recente, que usa a versão de software 10.5. O guia de estudo atende às necessidades dos candidatos de um recurso completo e consolidado para dominar com segurança o exame e buscar o desenvolvimento profissional relacionado ao GIS.

Como você pode começar a aplicar rapidamente o GIS ao seu trabalho?

O GIS 20: habilidades essenciais, atualizado para ArcGIS® Desktop 10.6, apresenta instruções passo a passo, ilustrações e dicas práticas sobre como executar os 20 principais peitoris necessários para usar com sucesso um sistema de informação geográfica (GIS). Essas habilidades incluem localização e edição de dados, consulta de mapas GIS, criação de relatórios e compartilhamento e publicação de mapas. Dados e uma avaliação de 180 dias do software ArcGIS Desktop 10.6 estão disponíveis para trabalhar com os exercícios. Nota: Os e-books da Esri Press não incluem software de avaliação de 180 dias.

Uso do mapa: leitura, análise, interpretação, oitava edição, é um livro básico abrangente projetado para o currículo da faculdade. Atualizado com um novo capítulo destacando o design do mapa, incluindo mapas da web, a nova edição também adiciona informações sobre o uso de imagens e sensoriamento remoto. Uso do mapa fornece aos alunos o conhecimento e as habilidades para ler e compreender mapas e oferece aos cartógrafos profissionais um recurso de referência completo. Quase 600 mapas coloridos, fotografias e gráficos ilustram os conceitos por trás da comunicação com mapas, enquanto um extenso glossário ajuda a definir os principais tópicos.

Tutorial de GIS para Saúde, quinta edição, ensina GIS e habilidades de análise para profissionais de saúde e estudantes. Usando cenários de cuidados de saúde, o livro demonstra como processar e visualizar dados de saúde para gerenciar melhor os serviços e apoiar a política de cuidados de saúde.

Tutorial de GIS para saúde inclui lições e exercícios sobre noções básicas de mapeamento, incluindo a criação de camadas de mapas, edição de recursos e uso de dados espaciais. A quinta edição é compatível com ArcGIS ® 10.2 for Desktop. Os dados do exercício e um suplemento com atualizações estão disponíveis para download. Os recursos do instrutor estão disponíveis separadamente.

Atualizado para a terceira edição usando o software ArcGIS® Pro, Compreendendo o GIS: uma pasta de trabalho do projeto ArcGIS® Pro é o primeiro livro didático no mercado a ensinar como usar dados do mundo real para desenvolver um projeto GIS, do início ao fim. Este livro permite que você assuma o papel de um analista de GIS desafiado a encontrar a melhor localização para um novo parque ao longo do rio Los Angeles, no sul da Califórnia. O livro fornece os dados iniciais e orientações para o uso ArcGIS Pro software para realizar uma análise GIS completa, mapear as descobertas e compartilhar os resultados em mapas interativos da web.


Causa

  • O conjunto de dados usa um sistema de coordenadas geográficas (GSC), enquanto o quadro de dados usa um sistema de coordenadas projetadas (PCS). O padrão da ferramenta Calcular geometria é o sistema de coordenadas usado pelo quadro de dados. A ferramenta Calcular geometria só retorna os resultados corretos quando o conjunto de dados é projetado. Isso ocorre porque a ferramenta Calcular geometria usa geometria plana para cálculos. As ferramentas Calculadora de campo e Adicionar atributo de geometria usam geometria geodésica para cálculo. Para obter mais informações, consulte ArcMap Web Help: Fundamentals of field calculations.
  • Quando o conjunto de dados e o quadro de dados usam um PCS, mas de sistemas de coordenadas diferentes, a saída pode variar ligeiramente. Isso se deve à variação nas propriedades espaciais e distorções dos diferentes sistemas de coordenadas. Para obter mais informações, consulte a Ajuda do ArcMap Web: Calculando área, comprimento e outras propriedades geométricas.

Instalando spyder

Spyder é o IDE mais fácil de instalar para o desenvolvimento Python 3, pois podemos instalá-lo a partir do ArcGIS Pro. No Pro, você pode navegar até o menu "Projeto" e então escolher "Python" para acessar o pacote Python e o gerenciador de ambiente da instalação do ArcGIS Pro. Desde a versão 2.3 do ArcGIS Pro, não é mais possível modificar o ambiente Python padrão (veja aqui para detalhes). Eu sugiro atualizar para a versão mais recente do ArcGIS Pro (ou pelo menos 2.5). Portanto, primeiro temos que criar um clone do ambiente Python padrão e tornar o ambiente ativo do ArcGIS. Para fazer isso, clique em "Gerenciar ambientes" e, em seguida, clique em "Clonar padrão" na caixa de diálogo Gerenciar ambientes que se abre. A instalação do clone levará algum tempo (você pode observar os pacotes individuais sendo instalados na janela "Gerenciar ambientes" e pode ser solicitado a reiniciar o ArcGIS Pro para efetuar suas alterações) quando estiver pronto, o novo ambiente "arcgispro-py3-clone "(ou como você quiser chamá-lo - mas presumiremos que é o nome padrão) pode ser ativado clicando no botão à esquerda. Faça isso e também anote o caminho onde o ambiente clonado foi instalado, aparecendo abaixo do nome. Deve ser algo como C: Users & ltusername & gt AppData Local ESRI conda envs arcgispro-py3-clone. Em seguida, clique no botão OK.

Agora, de volta ao gerenciador de pacotes, o novo ambiente Python deve aparecer em "Ambiente de projeto", conforme mostrado na figura abaixo (mas esteja ciente de que isso pode levar mais de 30 minutos, então você precisa ser paciente). Para instalar o Spyder agora, selecione "Adicionar pacotes", procure Spyder e clique no botão "Instalar" (isso também pode levar cerca de 30 minutos ou mais e será melhor se você reiniciar o Pro depois de criar seu novo ambiente e selecioná-lo ) O gerenciador de pacotes mostrará uma lista de pacotes que deverão ser instalados e solicitará que você concorde com os termos e condições. Depois de fazer isso, a instalação começará e provavelmente demorará um pouco. Você também pode obter uma janela pop-up "Controle de acesso do usuário" perguntando se você deseja que o conda_uac.exe faça alterações em seu dispositivo. Não há problema em escolher Sim. Assim que a instalação for concluída, é recomendado que você reinicie o ArcGIS Pro (e se você tiver problemas reinicie o seu PC também, geralmente ajuda). Se você continuar tendo problemas com a instalação falhando ou o Spyder simplesmente não aparecendo na lista de pacotes instalados (mesmo depois de consultar a lista), tente iniciar o ArcGIS Pro no modo de administrador clicando com o botão direito - & gt Executar como administrador.

Depois que o Spyder estiver instalado (o que pode levar várias tentativas), você pode querer criar um atalho para ele na sua área de trabalho ou no menu Iniciar. Nesse caso, você deve conseguir encontrar o executável do Spyder na subpasta Scripts de seu ambiente Python clonado, então em C: Usuários & ltusername & gt AppData Local ESRI conda envs arcgispro-py3-clone Scripts spyder.exe em que & ltusername & gt precisa ser substituído pelo seu nome de usuário do Windows. Se você não vir a pasta AppData, terá que alterar as opções no Explorador de Arquivos do Windows para exibir arquivos e pastas ocultos. Se você estiver usando uma versão mais antiga do ArcGIS Pro e instalou o Spyder diretamente no ambiente padrão, o caminho provavelmente será C: Arquivos de programas ArcGIS Pro bin Python envs arcgispro-py3 Scripts spyder.exe .

Se você estiver familiarizado com outro IDE, fique à vontade para substituí-lo pelo Spyder (basta verificar se ele está usando o Python 3).

Quando o Spyder é iniciado, ele deve exibir uma mensagem na guia IPython semelhante a:

Não se preocupe se o número da versão for ligeiramente diferente, contanto que comece com 3. O que estamos vendo aqui é equivalente à janela interativa do Python no ArcGIS Desktop, ArcGIS Pro, PythonWin ou qualquer um dos IDEs que você possa estar familiarizado com.

Podemos experimentar aqui digitando "import arcpy" para importar arcpy ou executando alguns daqueles exemplos de instrução de impressão anteriores.

Você deve ter notado, enquanto digitava naquele segundo exemplo, uma função útil da janela interativa IPython - autocompletar código. É aqui que o IDE (o spyder também faz) é inteligente o suficiente para reconhecer que você está inserindo o nome de uma função e fornece as informações sobre os parâmetros que a função usa. Se você perdeu da primeira vez, digite print (na janela IPython e espere um segundo (ou menos) e os parâmetros da função de impressão irão aparecer. Isso também funciona para funções arcpy (ou aquelas de qualquer biblioteca que você importar). Tente com arcpy.CreateFeatureclass_management (ou sua função arcpy favorita).


Identificando Tendências de Trabalho em GIS & # 8211 Uma Abordagem Automatizada

A solução de uma pessoa para identificar e acompanhar os conjuntos de habilidades necessários na indústria geoespacial!

Quais habilidades eu preciso e para quais funções?

GIS é um campo de carreira com uma ampla gama de funções e aplicações. As funções de técnico GIS de nível básico podem envolver a plotagem de pontos em um mapa, enquanto as funções de desenvolvedor GIS de nível avançado podem envolver a configuração completa da estrutura do banco de dados para uma organização. E quanto às funções de Analista de GIS e Especialista de GIS? O que exatamente eles implicam? Se você é novo no campo de carreira, ou talvez no meio dele, o que é necessário para seguir em frente? Que conjuntos de habilidades são necessários e em que estágio de sua carreira você precisa deles? Em um esforço para responder a esta pergunta para mim mesmo enquanto procuro dar o próximo passo em minha jornada geoespacial de Técnico de GIS para Analista de GIS, fui inspirado a escrever este programa & # 8211 que incluiu aprender Python sozinho!

Uma abordagem direta

Como alguém determina essa informação? Uma abordagem direta é escolher um local de trabalho, pesquisar o título do trabalho, ler as descrições do trabalho e manter uma contagem do número de vezes que uma determinada palavra aparece. Enxágue e repita para todas as palavras de seu interesse. Isso forneceria as informações de que você precisa, mas apresenta uma série de dificuldades:

  1. Compromisso com horário. Pesquisar um emprego leva alguns minutos. Procurar uma dúzia de empregos ou mais pode levar várias horas.
  2. Limitações humanas. Quantas palavras podem ser monitoradas razoavelmente durante uma varredura? Meu palpite estaria na faixa de 1-5 palavras.
  3. Natureza repetitiva da tarefa. Por quanto tempo alguém pode realmente focar e ser orientado para os detalhes ao repetir o mesmo exercício de entorpecimento mental indefinidamente?

Uma abordagem automatizada

E se houvesse uma maneira de realizar essa tarefa e lidar com todas essas dificuldades de uma vez? Acontece que existe! One solution lies in using a combination of Python and R scripts to data mine job descriptions, keep a tally of key words, and visualize the results so that they can be easily interpreted. The process as presented in this article identified keywords from the first 25 search results using LinkedIn’s job search engine. The entire process follows this work flow model:

The Python script provides a output that looks something like this:

Once the information is in this format, it can be built into a data frame and queried to determine results. In this case, the R programming language was used to categorize the data by GIS Technician, Specialist, Analyst, and Developer. The mean number of search results for each keyword per category was calculated. This approach allows for a large number of skill set comparisons. The illustration at the top of this article compares programming job trends. A couple of other examples are trends comparing different Esri applications or Enterprise/Portal GIS solutions, as shown below:

As you can see, a lot of insight can be gained from the information when it has been gathered and visualized. Once the python script is written, it is adaptable and can be changed to search for new technologies or redefine keywords that may not be the ideal search term for the word. Changes in the visualization are also easy to accomplish because the R script imports an updated data set every time it runs.

Takeaways – and What’s Next?

As with any long-term GIS project, there will always be room for improvement. For instance, ArcMap and ArcPro were the keywords included in this data set. These are more conventionally written in job descriptions as ArcGIS Desktop and ArcGIS Pro, so the trends for those words were not reflective of reality and need to be adjusted in future iterations of the script. Or perhaps it might be better to compare ArcGIS Desktop vs. QGIS as ArcMap and ArcPro are sometimes included in job descriptions under the blanket term ArcGIS Desktop.

As this project is in early-stage development, it will be adjusted to reflect better results. However, there are some interesting trends that are already apparent. For instance, in the Programming Trends bar plot, programming skills are rather low for the GIS Technician role. Python and SQL become important in the GIS Analyst and GIS Specialist roles with Python slightly edging past SQL. In the GIS Developer roles, Javascript and HTML start to be required, and SQL takes a higher importance than Python. Additionally, the Esri Application bar plot identifies ArcGIS Collector as important in the Specialist, Analyst, and Developer roles while ArcGIS Survey123 seems more relevant in the Specialist role.

In conclusion, the geospatial career field is constantly evolving and tools like this will be a great way to keep track of the changes, adapt to them, and ultimately be successful. I hope this article was insightful. No matter where you are at in your geospatial career, I would encourage you to explore automated options, keep learning new things, and always strive to improve your GIS!


ArcGIS Pro Class Bundle

You should also consider our Annual GIS Training License which includes all these classes plus many additional classes.

Note: The ArcGIS Pro Class Bundle provides self-paced access the online classes and does not include our live training events. Class descriptions are provided below

Learning ArcGIS Pro 1: Maps and Projects

This 2-day beginner course will teach students how they can use ArcGIS Pro to create maps. Os alunos aprenderão a terminologia associada ao ArcGIS Pro e GIS em geral. Eles obterão uma compreensão dos projetos do ArcGIS Pro e como gerenciá-los.

Topics Covered:
1. Introducing ArcGIS Pro
2. Navigating the User Interface
3. Creating 2D Maps
4. Creating and managing Projects
5. Creating Map Layouts
6. Creating Map Books

Intended Audience:
This course is intended for those new to GIS and ArcGIS Pro that wish to learn the basic skills needed to create and print simple maps. It teaches the foundational skills needed for new users. No previous experience with ArcGIS Pro or GIS is required.

Prerequisites and requirements:
Students will need to be assigned an ArcGIS Pro Basic or higher license from their organization prior to class which can be accessed from the web. This should be verified prior to the start of class.

Course Materials:
Each student will receive the following:
1. PDF copies of lecture slides
2. Learning ArcGIS Pro by Tripp Corbin, GISP
3. Certificate of Completion

Learning ArcGIS Pro 2: Editing, Analysis and Automation

ArcGIS Pro is Esri’s newest desktop GIS application with powerful tools for visualizing, maintaining, and analyzing data. ArcGIS Pro makes use of the modern ribbon interface and 64-bit processing to increase the speed and efficiency of using GIS. It allows users to create amazing maps in both 2D and 3D quickly and easily.
This 2-day intermediate course will teach student how they can use ArcGIS Pro to edit data, create 3D maps, perform GIS analysis and automate processes using ModelBuilder and Python.

Topics Covered:
1. Creating 3D Maps
2. Edit spatial and tabular data
3. Sharing maps, layouts, projects and processes
4. Performing simple GIS analysis using Geoprocessing tools
5. Standardizing workflows using Tasks
6. Automating processes with ModelBuilder & Python

Audiência pretendida
This course is intended for those needing to learn how to maintain data and perform basic analysis using ArcGIS Pro. It does require students to have basic skills and experience using ArcGIS Pro. It is recommended that any student seeking to take this class have completed the Learning ArcGIS Pro 1 course or have similar real-world experience.

Prerequisites and requirements
Students taking this course should have completed the Learning ArcGIS Pro 1: Fundamentals or have similar real-world experience using ArcGIS Pro.Students will need to be assigned an ArcGIS Pro Basic or higher license from their organization prior to class which can be accessed from the web. This should be verified prior to the start of class.

Course Materials:
1. Learning ArcGIS Pro by Tripp Corbin, GISP
2. PDF copies of lecture slides
3. Certificate of Completion

Learning ArcGIS Pro 3: Converting, Linking and Analyzing Data

This 2-day class covers advanced data concepts. Students will learn how to convert data from various formats such as CAD or Shapefiles to Geodatabase feature classes. They will also learn how to link data using joins, relates and relationship classes. Students will then explore how to use topologies to edit and validate GIS data to ensure it is clean as well as how to create and edit 3D data. From there students explore more advanced types of spatial analysis.

Topics Covered
1. Linking Data with Joins, Relates and Relationship Classes
2. Validating and editing data using topologies
3. Working with Projections & Coordinate Systems
4. Converting data formats
5. Working with and analyzing 3D data
6. Performing Proximity analysis
7. Performing Spatial Statistics and Hotspot analysis

Audiência pretendida
This course is intended for those needing to learn how to perform and use more advanced functions of ArcGIS Pro such as how to perform hot spot analysis, create and edit 3D data, validate spatial data using topologies and convert data formats. It is recommended that any student seeking to take this class have completed the Learning ArcGIS Pro 1 and Learning ArcGIS Pro 2 courses or have similar real-world experience.

Prerequisites and requirements
Students taking this course must have completed the Learning ArcGIS Pro 1: Fundamentals and Learning ArcGIS Pro 2: Editing, Analysis and Automation courses or have similar real-world experience using ArcGIS Pro. This course does require previous experience using ArcGIS Pro.

Students will need to be assigned an ArcGIS Pro Standard license along with 3D Analyst and Spatial Analyst extensions for ArcGIS Pro from their organization prior to class which can be accessed from the web. This should be verified prior to the start of class. If you do not have access to these licenses, you can request trial licenses from Esri on their website at – http://www.esri.com/arcgis/trial/

Course Materials:
1. ArcGIS Pro Cookbook by Tripp Corbin, GISP
2. PDF copies of lecture slides
3. Certificate of Completion

Learning ArcGIS Pro 4: Sharing your maps and data

This one-day class teaches you how you can leverage the integration of ArcGIS Pro with ArcGIS Online and Portal to easily and effectively share your maps and data with others both inside and outside your organization. Students start with an introduction to Esri’s new expression language ArcGIS Arcade. This new language allows you to create expressions for labeling, symbology and more that work across the entire ArcGIS platform. From there we introduce the students to ArcGIS Online. They will learn the basics of how to connect and access content. Then we move into how you can publish content from ArcGIS Pro to ArcGIS Online. Lastly, they will learn how to share that content as web maps and web applications.

Topics Covered
1. Introducing ArcGIS Arcade expression language
2. Introducing ArcGIS Online
3. Publishing to ArcGIS Online using ArcGIS Pro
4. Sharing data and map using web apps

Audiência pretendida
This course is intended for those needing to learn how to share the data and maps they create with others both inside and outside their organization. Students learn how to publish the maps and data they create in ArcGIS Pro to ArcGIS Online. Students taking this class must have at least fundamental skills and experience using ArcGIS Pro.

Prerequisites and requirements
Students taking this course must have completed at least the Learning ArcGIS Pro 1: Fundamentals or have similar real-world experience using ArcGIS Pro. This course does require previous experience using ArcGIS Pro.
Students will need to be assigned an ArcGIS Pro Basic or better license and a level 2 ArcGIS Online login from their organization prior to class which can be accessed from the web. This should be verified prior to the start of class.

Course Materials:
1. ArcGIS Pro Cookbook by Tripp Corbin, GISP
2. PDF copies of lecture slides
3. Certificate of Completion

Introduction to Programming ArcGIS Pro with Python

This 2-day beginner course will teach students how to automate geoprocessing tasks in ArcGIS Pro using the Python programming language.

We’ll start with an overview of the basic programming constructs of Python version 3.4. You’ll learn how to create variables, assign data to variables, work with lists, dictionary, and tuples, branch your code with if/else, for, and while statements, work with classes and objects, and other fundamentals.

Next, in Module 2, you’ll learn the fundamentals of the Arcpy core library along with several sub-modules including the Mapping and Data Access modules. You’ll learn also learn the basic classes and functions from the Arcpy core library.

In Module 3 you’ll learn how to handle error and exceptions in your code. Using the Python try/except code block along with error messages that are generated in ArcPy you’ll understand how to gracefully trap and recover from the inevitable errors in your code.

Modules 4 through 7 cover the Arcpy Mapping module in exhaustive details. In Module 4 you’ll learn how to write geoprocessing scripts that manage your projects as well as the maps, layers, and tables that are part of your projects. You’ll learn how to programmatically add and remove layers from a map, update symbology and properties of layers, and much more including working with the new Camera and Bookmark classes. In Module 5 you’ll learn how to work with layouts. In ArcGIS Pro you can have multiple layout views, so you’ll learn how to manage these objects, make programmatic changes to the elements in the layouts, and export or print the layouts. Module 6 covers the automation of map production and printing including the use of map books. Finally, in Module 7 you’ll discover how to find and fix broken data links in your ArcGIS Pro project files.

Topics Covered:

  1. Introduction to the Python Programming Language
  2. Introduction to Using Arcpy in ArcGIS Pro
  3. Error Handling and Trouble Shooting
  4. Using the Arcpy Mapping Module to Manage Projects, Maps, and Layers
  5. Managing Layouts with the Arcpy Mapping Module
  6. Automating Map Production and Printing
  7. Updating and Fixing Data Sources

Audiência pretendida

This course is intended for those new to Python and the automation of geoprocessing tasks in ArcGIS Pro. Some exposure to Python is helpful, but not required. A general understanding of ArcGIS Pro is necessary.

Prerequisites and requirements

Students should plan to take Learning ArcGIS Pro 1: Maps and Projects and Learning ArcGIS Pro 2: Editing, Analysis, and Automation courses prior to undertaking this class.

Intermediate ArcGIS Pro Programming with Python

In our Intermediate ArcGIS Pro Programming with Python course you will learn intermediate level Python skills with ArcGIS Pro to automate your geoprocessing tasks.

In Module 1, you’ll learn how to perform attribute and spatial queries to select features from feature classes and tables. We’ll cover the proper construction of attribute queries, and the use of the Select By Location and Select by Attributes tools.

In Module 2 we’ll cover the Arcpy Data Access module which allows you to insert, update, and delete data from feature classes and tables. In addition, this module also allows for the creation of edit sessions, examination of domains and versions, and creating a read only view of data. You’ll also learn how to use the Describe function to get descriptive information about GIS datasets.

In the final module of the course we’ll examine the creation of custom ArcGIS geoprocessing script tools through the use of Python Toolboxes and custom ArcGIS Toolboxes.

Topics Covered:

  1. Querying and Selecting Data
  2. Using the Arcpy Data Access Module with Feature Classes and Tables
  3. Creating Custom ArcGIS Tools

Audiência pretendida
This course is intended for intermediate level ArcGIS Pro programmers seeking to gain additional skills with Python for automating geoprocessing tasks. Some exposure to Python is required. A general understanding of ArcGIS Pro is necessary.

Prerequisites and requirements
Students should plan to take Introduction to Programming ArcGIS Pro with Python, Learning ArcGIS Pro 1: Maps and Projects and Learning ArcGIS Pro 2: Editing, Analysis, and Automation courses prior to undertaking this class.

Course Materials:
Each student will receive the following:

  1. PDF copies of lecture slides
  2. Programming ArcGIS Pro with Python exercise book – Digital Version
  3. Certificate of Completion

Getting Started with ArcGIS Arcade

Arcade is a response to a common problem. How do you display data when there is no column in the schema containing that data? Up until now, if the map layer you are working with did not have exactly the right attribute data you need, you had two choices: alter the underlying data or bring in the services of an application developer.

ArcGIS Arcade is an expression language with a simple scripting syntax that enables you to manipulate your existing data to generate new information based on it. While this sort of functionality has always been available in certain Esri products – most notably ArcGIS Desktop – the aim behind Arcade is to make it available everywhere in the ArcGIS platform, and for it to work identically in all environments.

You can almost think of Arcade as “Excel for ArcGIS”. In much the same way as Excel lets you write formula to work with spreadsheet data, Arcade lets you do the same with map data. In the initial release of Arcade, you can create and reference geometries. In future releases, other geometry functions may be added allowing you to calculate areas and lengths, and perform simple overlay operations in more complex expressions.

Topics Covered:

  1. Module 1: Introduction to ArcGIS Arcade
  2. Module 2: Writing Your First Expression
  3. Module 3: The Arcade Expression Language: Structure
  4. Module 4: The Arcade Expression Language: Data Types
  5. Module 5: The Arcade Expression Language: Functions
  6. Module 6: The Arcade Visualization Profile
  7. Module 7: The Arcade Labeling Profile
  8. Module 8: Conclusion

Audiência pretendida
This course is intended for introductory/intermediate level ArcGIS Pro analysts, technicians, and programmers seeking to gain additional skills with Arcade for creating custom ArcGIS expressions. A general understanding of ArcGIS Pro is necessary.

Prerequisites and requirements
Students should plan to take Learning ArcGIS Pro 1: Maps and Projects and Learning ArcGIS Pro 2: Editing, Analysis, and Automation courses prior to undertaking this class.

Course Materials:
Each student will receive the following:


Assista o vídeo: ArcGIS - Create Random Values - VBScript - Field Calculator