Mais

Converter .xyz em contornos?

Converter .xyz em contornos?


Alguém pode me ajudar a converter um arquivo .xyz em contornos? Recebi alguns arquivos .xyz do conselho local e espero transformá-los em um terreno para modelagem 3D. Eu tentei o ASCII para classe de recurso, mas os pontos não aparecem no meu mapa (geolocalização e tudo).

Mandei um e-mail para o conselho e estou esperando para saber se eles têm ou não arquivos .dem, mas prefiro descobrir como fazer isso sozinho.

Anexei o arquivo .xyz para que alguém possa ver se os dados estão no formato correto para importação.

Arquivo XYZ DATA


Método simples:

Renomeie o (s) arquivo (s) para csv ou asc para ver as tabelas (pode ser necessário editar cada um e adicionar uma linha de cabeçalho), criar uma classe de feição da tabela XY (ou criar uma camada de evento XY) e realizar um Point to Raster ( seu tamanho de célula é de 15 metros), isso lhe dará um DEM. Com o DEM execute GDAL_Contour ou Esri contour:

gdal_contour -i 10 D:  some_path  XYBQ30_04_01_2000_PointToRas1.img D:  some_path  XYBQ30_04_01_2000_Contour.shp

Melhor método (com extensões):

A partir dos pontos criados na tabela XY, crie um terreno e faça seus contornos no Esri usando Surface Contour (3d Analyst).

Você pode suavizar os contornos reamostrando seus dados de 15m para, digamos, 5m, usando um método bilinear.

Se você tiver alguns a fazer, pode ser melhor definir os ambientes Snap Raster e Cell Size, isso garantirá o alinhamento das células. É melhor juntar os ladrilhos do mosaico e, em seguida, recortar um pouco mais do que o necessário, pois os contornos terminarão na metade da última célula.

Isso é o que eu obtive do bloco:


Utilitários GDAL e Spatialite

Relevo de cor - Você escolhe uma cor para renderizar valores z baixos e altos. O GeoTiff mostrará um gradiente suave entre as duas cores, a menos que você use a opção de usar a mais próxima. Se isso for feito, o GeoTiff representará 10 elevações como dez cores separadas, e cada ponto será atribuído a uma dessas cores. Observe estes exemplos:

Hillshade - Você seleciona uma direção na qual a luz brilha e uma altitude na qual a luz está brilhando (90 está diretamente acima e 0 está no horizonte). Você também pode selecionar um multiplicador para o relevo no caso de ser bastante plano. Exemplo para Mt. Santa Helena segue:

Declive - Você deve selecionar um ângulo máximo. Por exemplo, se usarmos uma seleção de 21 graus aqui. tudo abaixo de 21 graus será representado em branco e tudo acima de 21 graus será representado em vermelho. Exemplo com uma configuração máxima de 21 graus usando o MT. Saint Helens dem segue.

Contorno - Aqui você é solicitado a criar um arquivo de forma. Sua seleção de intervalo de contorno é em unidades DEM Z. Usando um intervalo de 60 metros para o Monte. Saint Helens dem segue:

Crie contornos com mapeador global

O Global Mapper pode obter facilmente informações geográficas de diferentes fontes, de forma simples. Para criar linhas de contorno em qualquer lugar do mundo, você deve primeiro revisar os metadados. Neste exemplo os dados AsterGDEM usado, mas tem uma resolução de 38 metros, portanto, não é recomendado colocar um intervalo inferior.

Abra o Mapeador Global, na tela inicial vá para Baixe gratuitamente mapas / imagens de fontes online, abre uma nova janela com informações de vários servidores para aumentar DADOS DO TERRENO selecionar Dados mundiais de elevação ASTER Gdem v2 (resolução de 1 arco-segundo) este processo requer uma conexão com a Internet, mas você também pode usar um modelo digital de elevação armazenado localmente, para fazer isso, selecione a primeira opção Abra seus próprios arquivos de dados.

O Global Mapper permite apenas visualizar a área de interesse, sem a necessidade de baixar os dados. Como sugestão, não é recomendável gerar curvas de nível para criar um TIN, primeiro baixe o DEM diretamente e depois converta-o para TIN (esta era uma preocupação e uma atividade frequente realizada).

Em seguida, com as ferramentas de zoom e panorâmica, navegue até o site de interesse. Vá para o menu Análise selecionar Gerar Contornos (da Grade do Terreno).

No Opções de Contorno aba, Intervalo Contuor seção, você pode personalizar o intervalo e a unidade para gerar as linhas de contorno, bem como contornos menores e principais. Outras opções podem definir o intervalo de elevação e resolução. Por padrão, o Mapeador Global cria linhas de contorno com base na visualização da tela atual, mas você pode ser alterado no Limites de contorno guia e clique no botão Desenhe uma caixa.

Desenhe uma caixa na área de estudo, aceite as configurações na janela ativa para gerar uma nova camada com contornos, embora este seja o processo básico nesta atividade, brincar com as outras opções disponíveis permite uma maior personalização do produto desejado.

Para salvar contornos e abrir em diferentes aplicativos, é preferível salvar como shapefile, para isso, clique na barra de ferramentas Cente de controle abertor, selecione apenas a camada de contornos e vá para o menu Arquivo & gt Exportar & gt Exportar vetor / formato Lidar & gt Shapefile & gt Exportar linhas, selecione um nome e diretório.


Sistema de Apoio à Análise de Recursos Geográficos, comumente referido como GRASS, é um Sistema de Informação Geográfica (GIS) usado para gerenciamento e análise de dados geoespaciais, processamento de imagens, produção de gráficos / mapas, modelagem espacial e visualização. O GRASS é usado atualmente em ambientes acadêmicos e comerciais em todo o mundo, bem como por muitas agências governamentais e empresas de consultoria ambiental.

Este manual de referência detalha o uso de módulos distribuídos com o Sistema de Apoio à Análise de Recursos Geográficos (GRASS), um sistema de código aberto (GNU GPLed), processamento de imagens e informações geográficas (GIS).

Comandos raster:

r.basins.fill Gera mapa raster de sub-bacias hidrográficas.
r.blend Combina componentes de cor de dois mapas raster em uma determinada proporção.
r.buffer Cria um mapa raster mostrando as zonas de buffer ao redor das células que contêm valores de categoria não NULL.
r.buffer.lowmem Cria um mapa raster mostrando as zonas de buffer ao redor das células que contêm valores de categoria não NULL.
r.buildvrt Construa um VRT (Raster Virtual) a partir da lista de mapas raster de entrada.
r.carve Gera canais de fluxo.
r.category Gerencia valores de categoria e rótulos associados a camadas de mapa raster especificadas pelo usuário.
r.circle Cria um mapa raster contendo anéis concêntricos em torno de um determinado ponto.
r.clump Recategoriza dados em um mapa raster agrupando células que formam áreas fisicamente distintas em categorias exclusivas.
r.coin Tabula a ocorrência mútua (coincidência) de categorias para duas camadas de mapa raster.
r.colors Cria / modifica a tabela de cores associada a um mapa raster.
r.colors.out Exporta a tabela de cores associada a um mapa raster.
r.colors.stddev Define regras de cores com base em stddev a partir do valor médio de um mapa raster.
r.composite Combina mapas raster vermelhos, verdes e azuis em um único mapa raster composto.
r.compress Compacta e descompacta mapas raster.
r.contour Produz um mapa vetorial de contornos especificados a partir de um mapa raster.
r.cost Cria um mapa raster que mostra o custo cumulativo de se mover entre diferentes localizações geográficas em um mapa raster de entrada cujos valores de categoria de célula representam o custo.
r.covar Produz uma matriz de covariância / correlação para camadas de mapa raster especificadas pelo usuário.
r.cross Cria um produto cruzado dos valores de categoria de várias camadas de mapa raster.
r.describe Imprime uma lista concisa de valores de categoria encontrados em uma camada de mapa raster.
r.distance Localiza os pontos mais próximos entre os objetos em dois mapas raster.
r.drain Rastreia um fluxo através de um modelo de elevação ou superfície de custo em um mapa raster.
r.external Links GDAL suportou dados raster como um mapa raster pseudo GRASS.
r.external.out Redireciona a saída raster para arquivo utilizando a biblioteca GDAL em vez de armazenar no formato raster GRASS.
r.fill.dir Filtra e gera um mapa de elevação sem depressão e um mapa de direção de fluxo de um determinado mapa raster de elevação.
r.fill.stats Preenche rapidamente células 'sem dados' (NULLs) de um mapa raster com valores interpolados (IDW).
r.fillnulls Preenche áreas sem dados em mapas raster usando interpolação de spline.
r.flow Constrói linhas de fluxo.
r.geomorphon Calcula geomorfos (formas de terreno) e geometria associada usando abordagem de visão de máquina.
r.grow.distance Gera um mapa raster contendo distâncias para os recursos raster mais próximos.
r.grow Gera uma camada de mapa raster com áreas contíguas crescidas em uma célula.
r.gwflow Programa de cálculo numérico para fluxo de águas subterrâneas transitórias, confinadas e não confinadas em duas dimensões.
r.his Gera camadas de mapa raster vermelho, verde e azul (RGB) combinando valores de matiz, intensidade e saturação (HIS) de camadas de mapa raster de entrada especificadas pelo usuário.
r.horizon Calcula a altura do ângulo do horizonte a partir de um modelo de elevação digital.
r.import Importa dados raster para um mapa raster GRASS usando a biblioteca GDAL e reprojeta em tempo real.
r.in.ascii Converte um arquivo raster GRASS ASCII em um mapa raster binário.
r.in.aster Georreferencie, retifique e importe imagens do Terra-ASTER e DEMs relativos usando gdalwarp.
r.in.bin Importe um arquivo raster binário para uma camada de mapa raster GRASS.
r.in.gdal Importa dados raster para um mapa raster GRASS usando a biblioteca GDAL.
r.in.gridatb Importa o arquivo de mapa GRIDATB.FOR (TOPMODEL) para um mapa raster GRASS.
r.in.lidar Cria um mapa raster a partir de pontos LAS LiDAR usando estatísticas univariadas.
r.in.mat Importa um arquivo MAT binário (v4) para um raster GRASS.
r.in.png Importa imagens no formato PNG não georreferenciadas.
r.in.poly Cria mapas raster a partir de arquivos de dados de polígono / linha / ponto ASCII.
r.in.srtm Importa arquivos SRTM HGT para um mapa raster.
r.in.wms Faz o download e importa dados dos servidores de mapeamento da web OGC WMS e OGC WMTS.
r.in.xyz Cria um mapa raster a partir de um conjunto de muitas coordenadas usando estatísticas univariadas.
r.info Gera informações básicas sobre um mapa raster.
r.kappa Calcula a matriz de erro e o parâmetro kappa para avaliação da precisão do resultado da classificação.
r.lake Enche o lago em determinado ponto a determinado nível.
r.latlong Cria um mapa raster de latitude / longitude.
r.li.cwed Calcula o índice de densidade de borda de contraste ponderado em um mapa raster
r.li.daemon Módulo de suporte para cálculos de índice de paisagem r.li.
r.li.dominance Calcula o índice de diversidade de dominância em um mapa raster
r.li.edgedensity Calcula o índice de densidade de borda em um mapa raster, usando um algoritmo de 4 vizinhos
r.li Conjunto de ferramentas para análise multiescala da estrutura da paisagem
r.li.mpa Calcula o índice médio de atributos de pixel em um mapa raster
r.li.mps Calcula o índice médio do tamanho do patch em um mapa raster, usando um algoritmo de 4 vizinhos
r.li.padcv Calcula o coeficiente de variação da área do patch em um mapa raster
r.li.padrange Calcula o intervalo do tamanho da área do patch em um mapa raster
r.li.padsd Calcula o desvio padrão da área do patch em um mapa raster
r.li.patchdensity Calcula o índice de densidade de patch em um mapa raster, usando um algoritmo de 4 vizinhos
r.li.patchnum Calcula o índice do número do patch em um mapa raster, usando um algoritmo de 4 vizinhos.
r.li.pielou Calcula o índice de diversidade de Pielou em um mapa raster
r.li.renyi Calcula o índice de diversidade de Renyi em um mapa raster
r.li.richness Calcula o índice de riqueza em um mapa raster
r.li.shannon Calcula o índice de diversidade de Shannon em um mapa raster
r.li.shape Calcula o índice da forma em um mapa raster
r.li.simpson Calcula o índice de diversidade de Simpson em um mapa raster
r.mapcalc Calculadora de mapa raster.
r.mapcalc.simple Calcula um novo mapa raster a partir de uma expressão r.mapcalc simples.
r.mask Cria uma MÁSCARA para limitar a operação de varredura.
r.mfilter Executa filtro de matriz de mapa raster.
r.mode Encontra o modo de valores em um mapa de cobertura dentro de áreas atribuídas ao mesmo valor de categoria em um mapa de base especificado pelo usuário.
vizinhos Torna cada valor de categoria de célula uma função dos valores de categoria atribuídos às células ao seu redor e armazena novos valores de célula em uma camada de mapa raster de saída.
r.null Gerencia valores NULL de determinado mapa raster.
r.out.ascii Converte uma camada de mapa raster em um arquivo de texto GRASS ASCII.
r.out.bin Exporta um raster GRASS para um array binário.
r.out.gdal Exporta mapas raster GRASS para formatos com suporte GDAL.
r.out.gridatb Exporta o mapa raster GRASS para o arquivo de mapa GRIDATB.FOR (TOPMODEL).
r.out.mat Exporta um raster GRASS para um arquivo MAT binário.
r.out.mpeg Converte séries de mapas raster em filmes MPEG.
r.out.png Exporte um mapa raster GRASS como uma imagem PNG não georreferenciada.
r.out.pov Converte uma camada de mapa raster em um arquivo de campo de altura para POV-Ray.
r.out.ppm Converte um mapa raster GRASS em um arquivo de imagem PPM.
r.out.ppm3 Converte 3 camadas raster GRASS (R, G, B) em um arquivo de imagem PPM.
r.out.vrml Exporta um mapa raster para a Virtual Reality Modeling Language (VRML).
r.out.vtk Converte mapas raster no formato VTK-ASCII.
r.out.xyz Exporta um mapa raster para um arquivo de texto como valores x, y, z com base nos centros das células.
r.pack Exporta um mapa raster como um arquivo específico do GRASS GIS
r.param.scale Extrai parâmetros de terreno de um DEM.
r.patch Cria uma camada de mapa raster composto usando valores de categoria conhecidos de uma (ou mais) camada (s) de mapa para preencher áreas "sem dados" em outra camada de mapa.
r.path Rastreia caminhos de pontos de partida seguindo as instruções de entrada.
r.plane Cria um mapa plano raster dado mergulho (inclinação), aspecto (azimute) e um ponto.
r.profile Produz os valores da camada do mapa raster que ficam nas linhas definidas pelo usuário.
r.proj Reprojeta um mapa raster de determinado local para o local atual.
r.quant Produz o arquivo de quantização para um mapa de ponto flutuante.
r.quantil Calcule quantis usando duas passagens.
r.random.cells Gera valores de células aleatórios com dependência espacial.
r.random Cria uma camada de mapa raster e um mapa de pontos vetoriais contendo pontos localizados aleatoriamente.
r.random.surface Gera superfície (s) aleatória (s) com dependência espacial.
r.reclass.area Reclassifica um mapa raster maior ou menor que o tamanho da área especificada pelo usuário (em hectares).
r.reclass Reclassifique o mapa raster com base nos valores da categoria.
r.recode Recodifica mapas raster categóricos.
r.region Define as definições de limite para um mapa raster.
r.regression.line Calcula a regressão linear de dois mapas raster: y = a + b * x.
r.regression.multi Calcula a regressão linear múltipla de mapas raster.
r.relief Cria um mapa de relevo sombreado a partir de um mapa de elevação (DEM).
r.report Relatórios de estatísticas para mapas raster.
r.resamp.bspline Executa interpolação de spline bilinear ou bicúbica com regularização de Tykhonov.
r.resamp.filter Faz uma nova amostra das camadas do mapa raster usando um kernel analítico.
r.resamp.interp Faz uma nova amostra do mapa raster para uma grade mais precisa usando interpolação.
r.resamp.rst Reinterpola e, opcionalmente, calcula a análise topográfica do mapa raster de entrada para um novo mapa raster (possivelmente com resolução diferente) usando spline regularizado com tensão e suavização.
r.resamp.stats Faz uma nova amostra das camadas do mapa raster em uma grade mais grosseira usando agregação.
r.resample Capacidade de reamostragem de dados da camada de mapa raster GRASS.
r.rescale.eq O histograma de redimensionamento equalizou o intervalo de valores de categoria em uma camada de mapa raster.
r.rescale Redimensiona o intervalo de valores de categoria em uma camada de mapa raster.
r.rgb Divide um mapa raster em mapas vermelhos, verdes e azuis.
r.ros Gera mapas raster de taxa de propagação.
r.series.accumulate Torna cada valor de célula de saída uma função de acumulação dos valores atribuídos às células correspondentes nas camadas do mapa raster de entrada.
r.series Torna cada valor da célula de saída uma função dos valores atribuídos às células correspondentes nas camadas do mapa raster de entrada.
r.series.interp Interpola mapas raster localizados (temporais ou espaciais) entre os mapas raster de entrada em posições de amostragem específicas.
r.shade Drapeja um raster de cores sobre um relevo sombreado ou mapa de aspecto.
r.sim.sediment Transporte de sedimentos e simulação de erosão / deposição usando o método de amostragem de caminhos (SIMWE).
r.sim.water Simulação hidrológica de escoamento superficial usando método de amostragem de caminho (SIMWE).
r.slope.aspect Gera mapas raster de declive, aspecto, curvaturas e derivadas parciais de um mapa raster de elevação.
r.solute.transport Programa de cálculo numérico para transporte de soluto transiente, confinado e não confinado em duas dimensões
r.spread Simula a propagação elipticamente anisotrópica.
r.spreadpath Rastreia recursivamente o caminho de menor custo de volta para as células a partir das quais o custo cumulativo foi determinado.
r.statistics Calcula estatísticas de categoria ou orientadas a objetos.
r.stats Gera estatísticas de área para mapa raster.
r.stats.quantile Calcule quantis de categoria usando duas passagens.
r.stats.zonal Calcula estatísticas orientadas a categoria ou objeto (estatísticas baseadas em acumulador).
r.stream.extract Executa extração de rede de fluxo.
r.sun Irradiância solar e modelo de irradiação.
r.sunhours Calcula a elevação solar, azimute solar e horas do sol.
r.sunmask Calcula as áreas de sombra projetada a partir da posição do sol e do mapa raster de elevação.
r.support Permite a criação e / ou modificação de arquivos de suporte de camada de mapa raster.
r.support.stats Atualizar estatísticas do mapa raster
r.surf.area Imprime estimativa de área de superfície para mapa raster.
r.surf.contour Gera mapa raster de superfície a partir de contornos rasterizados.
r.surf.fractal Cria uma superfície fractal de uma determinada dimensão fractal.
r.surf.gauss Gera um mapa raster usando um gerador de números aleatórios gaussianos.
r.surf.idw Fornece interpolação de superfície a partir de dados de ponto raster por Inverse Distance Squared Weighting.
r.surf.random Produz um mapa de superfície raster de desvios aleatórios uniformes com alcance definido.
r.terraflow Executa computação de fluxo para grades massivas.
r.texture Gere imagens com recursos texturais de um mapa raster.
r.thin Diminui as células não nulas que denotam recursos lineares em uma camada de mapa raster.
r.tile Divide um mapa raster em blocos.
r.tileset Produz tilings da projeção de origem para uso na região de destino e projeção.
r.timestamp Modifica um carimbo de data / hora para um mapa raster.
r.to.rast3 Converte fatias de mapa raster 2D em um mapa de volume raster 3D.
r.to.rast3elev Cria um mapa de volume 3D baseado em elevação 2D e mapas raster de valor.
r.to.vectar Converte um mapa raster em um mapa vetorial.
r.topidx Cria um mapa raster de índice topográfico (índice de umidade) a partir de um mapa raster de elevação.
r.topmodel Simula o TOPMODEL, que é um modelo hidrológico de base física.
r.transect Gera valores de camada de mapa raster ao longo das linhas de transecto definidas pelo usuário.
r.univar Calcula estatísticas univariadas das células não nulas de um mapa raster.
r.unpack Importa um arquivo raster específico do GRASS GIS (compactado com r.pack) como um mapa raster
r.uslek Calcula o fator de erodibilidade do solo USLE (K).
r.usler Calcula o fator USLE R, índice de erosividade da chuva.
r.viewshed Calcula o enquadramento visual de um ponto em um mapa raster de elevação.
r.volume Calcula o volume de "aglomerados" de dados.
r.walk Cria um mapa raster que mostra o custo cumulativo anisotrópico de movimentação entre diferentes localizações geográficas em um mapa raster de entrada cujos valores de categoria de célula representam o custo.
r.water.outlet Cria bacias hidrográficas a partir de um mapa de direção de drenagem.
r.watershed Calcula parâmetros hidrológicos e fatores RUSLE.
r.qual cor Consulta cores para uma camada de mapa raster.
r.what Consulta mapas raster em seus valores de categoria e rótulos de categoria.

Nota: Uma nova versão estável do GRASS GIS foi lançada: GRASS GIS 7.8, disponível aqui.
Página de manual atualizada: aqui

& copy 2003-2020 GRASS Development Team, GRASS GIS 7.6.2dev Reference Manual


Tudo o que você deve saber sobre Sistema de Informação Geográfica (SIG)

uhhhhhhhhh, o que está acontecendo aqui? Para começar, GIS é definido incorretamente, difícil realmente partir daí. Este poderia ser um blog pessoal perfeitamente bom, mas o site fala como uma autoridade em GIS, amigo cuidadoso

Verifique seu histórico de postagens. É como algum tipo de bot de spam, talvez eles ganhem dinheiro por quantas pessoas clicarem nele.

Eu li o primeiro parágrafo antes de desistir.

É tão amplo e de repente superespecífico, mas curto demais para merecer qualquer um

Está cheio de frases

fontes em qualquer lugar? Por exemplo, a primeira coisa que devo saber sobre metadados é que são os últimos dados esquecidos?

O que são esses pequenos blogs estranhos? Parece que foi gerado por computador para obter cliques e dinheiro de publicidade. Este blog ajuda alguém aqui? Pergunta honesta: por que alguém precisa disso? Não estou tentando ser rude, só sinto que vejo esses blogs estranhos criados por procedimentos o tempo todo neste submarino, e eles não contribuem com nada. mas eles devem contribuir se as pessoas continuarem a fazê-los?

Alguém que votou a favor, diga-me para que eu possa dormir à noite.

Edit: e eles estão enviando spam para outras inscrições. Parem de votar contra o lixo, pessoal.


Bem-vindo ao ArcMap!

O problema é que você tentou fazer uma dissolução. O bug de dissolução de ciclos multi-lançamento sempre presente é o motivo pelo qual parei de usar o ArcMap.

O que dissolver bug? Eu literalmente operando um bom número de caixas eletrônicos e não notei nada errado.

Eu fiz o meu chegar a 25.000% concluído, mas não foi feito.

O Pro também tem suas falhas de geoprocessamento, na minha experiência.

Acabei de instalar 10.7 (mais de 30 anos como usuário e quase a mesma quantidade de instalação). Tudo feito, aumente o ArcMap, adicione uma classe de recurso, decida que um Mapa Base seria útil, adicione Streets. bam. Mais fechado do que um tambor. No primeiro uso desta instalação. Gire, pequeno símbolo do globo, gire, gire poderosamente até o infinito e além. FUNCIONOU depois de encerrar o processo, mas que ótimo, ótimo produto! Eu realmente gosto de configurar algum processo que levará horas, logo antes de ir para casa para o dia, com a expectativa risível de que será executado alegremente até a conclusão. Observe um pouco, tudo é kosher, vá para casa. Volte pela manhã e descubra que morreu 20 minutos depois que eu saí, gerando o sempre útil Erro 999999. Não s___ Sherlock. Para ser justo, às vezes é útil. Como quando você sente falta de uma úlcera e quer muito ter uma de novo.


Feito especificamente para modelos 3D e registros de perfuração geológica, DATA to ASCII é um aplicativo que rapidamente pega dados XYZ armazenados em vários formatos e os converte em uma planilha de dados CSV padronizada que qualquer programa pode ler. Você não precisa mais se atrapalhar com vários aplicativos ou editores de dados apenas para ver seus dados brutos. DATA to ASCII pode ler, visualizar, converter e exportar seus dados em vários formatos, incluindo tabelas de dados CSV formatadas em Excel.

Você precisa dos dados de localização do seu objeto renderizado em 3D ou das localizações XYZ exatas de um ponto dentro do seu mapa geográfico? DATA to ASCII pode converter muitos formatos de arquivo diretamente em outros formatos de dados com facilidade!

DATA to ASCII tem a capacidade de visualizar e converter vários arquivos de uma vez. Basta carregar seus dados no aplicativo, selecionar sua fonte de saída e clicar em converter. É tão simples que você se perguntará como conseguiu reunir dados brutos de seus arquivos antes.

No momento, estamos trabalhando para expandir a lista de tipos de arquivos compatíveis de DATA para ASCII. Os formatos atuais aceitáveis ​​para importação e exportação estão listados abaixo:

.ASC .STL
.CSV .STP
.IGS .TXT
.LAS .WRL
.RTF .X_T
.STEP .XYZ

Se você precisar de outro formato de arquivo, avise-nos para que possamos expandir nossa lista! Envie um e-mail para nosso suporte em [email protected]


Metadados:

Uma calibração de verificação de barra no ecobatímetro foi realizada no início de cada dia de acordo com os protocolos estabelecidos (US Army Corps of Engineers, 1994, Engineering and design: Hydrographic survey EM 1110-2-1003, cap. 9-3, p. 9 -4 a 9-9). Isso foi feito para garantir que o ecobatímetro foi calibrado corretamente. A verificação da barra envolve a suspensão de uma placa plana de alumínio de 60 cm de diâmetro diretamente abaixo do ecobatímetro. A linha de suspensão é marcada em incrementos de 5 pés. Uma calibração inicial é feita a 5 pés inserindo a velocidade do som na água (com base na temperatura da água) e, em seguida, ajustando o deslocamento do transdutor no software do computador. O deslocamento é o calado do transdutor abaixo da superfície do lago. A placa de alumínio é então abaixada em incrementos de 5 pés (dependendo da faixa de profundidades esperada para ser encontrada no dia da coleta de dados) e ajustes na velocidade do som são feitos até que as leituras de profundidade e a profundidade da placa de alumínio concordem com dentro de aproximadamente 0,1 pés.

Os dados foram coletados ao longo de linhas de transecto planejadas que foram configuradas no Hypack Max antes da coleta de dados. As linhas de transectos foram espaçadas em intervalos de 50 pés perpendiculares ao longo eixo do Lago Meyer. Dependendo da velocidade do barco, um ponto de dados de batimetria foi coletado em intervalos de aproximadamente 4 a 8 pés. Os pontos de dados podem estar muito mais próximos em áreas onde o transecto ou o perímetro se sobrepõem. Os pontos de dados de batimetria de perímetro foram coletados durante a condução do barco ao redor do perímetro do lago. Os pontos alvo foram coletados em áreas do lago onde era muito raso para coletar dados com o sistema BSS + 5. As profundidades do ponto alvo foram coletadas manualmente junto com uma localização correspondente a leste e norte. O número e a localização dos pontos-alvo foram baseados em um julgamento feito no campo que foi considerado espacialmente representativo da área. Além disso, as localizações dos pontos da costa (leste e norte) foram coletadas para definir a borda do lago. Esses locais são coletados tocando a proa do barco na costa em vários intervalos ao longo da costa e registrando a posição usando uma antena GPS montada na proa.

A elevação da superfície da água do Lago Meyer foi determinada por fita adesiva (usando uma fita de aço) a partir de um ponto de referência (com uma elevação conhecida) na estrutura de escoamento de concreto na barragem. A elevação do ponto de referência foi determinada pelo levantamento de uma marca de referência (estaca temporária de madeira) nas proximidades da barragem. A elevação (1142,388 pés NAVD88) para a marca de referência (estaca de madeira) foi determinada a partir de benchmarks de terceira ordem usando um sistema GPS Ashtech Z-12. A elevação do ponto de referência encontrada foi 1139,180 pés (NAVD88). A elevação da superfície da água foi encontrada em 1135,76 pés (NAVD88) em 21 de julho de 2003.

Pós-processamento: os dados de batimetria foram processados ​​usando o software Hypack Max. O pós-processamento envolveu a remoção de picos óbvios, a introdução de profundidades para os pontos de destino marcados com o tempo e a edição de pontos estranhos nos arquivos de pontos de costa. Além disso, as correções de maré foram aplicadas no Hypack Max para converter profundidades em elevações. Para os dados do Lago Meyer, descobriu-se que alguns dados de batimetria foram perdidos nas partes mais profundas do lago (no antigo canal do riacho próximo à barragem). Isso ocorreu devido à seleção inadequada do portão no software SDIDepth (Speciality Devices, Inc., 2003, Bathymetric Survey System BSS + 5 com manual omnistar: Speciality Devices, Inc., Plano, Texas, 38 p.) Que controla a faixa em que os dados podem ser coletados. SDIDepth é o software que coleta dados digitais sísmicos, mas também é onde os parâmetros que controlam a operação do transdutor são inseridos. Este software se comunica com Hypack Max durante a coleta de dados. Os dados batimétricos perdidos para essas áreas foram recuperados exportando as profundidades registradas pelo software DepthPic (usado para digitalizar a camada inferior do sedimento recente) (Specialty Devices, Inc., 2003, Bathymetric Survey System BSS + 5 com manual omnistar: Speciality Devices, Inc ., Plano, Texas, 38 p.) No formato XYZ. Os dados de batimetria processados ​​no Hypack Max também foram exportados para o formato XYZ. Um total de três arquivos separados foram exportados para o formato XYZ: (1) o transecto e os dados batimétricos do perímetro (2) os dados de localização do ponto da costa (3) e os dados do ponto alvo. Todos os três arquivos XYZ foram então convertidos em arquivos de texto ASCII para entrada no ESRI-ArcGIS (versão 8.3).

NOTA: Todos os dados de batimetria processados ​​no Hypack Max e subsequentemente exportados para XYZ e arquivos de texto foram baseados em uma elevação incorreta da superfície da água (1138,97 pés em vez de 1135,76 pés) devido a um erro de transcrição. As correções não foram feitas no Hypack Max ou nos arquivos XYZ e de texto, mas foram feitas nos arquivos INFO de cobertura no ARC.

Geração de mapa de batimetria: Os arquivos de texto de saída (contendo norte, leste e elevação) foram inseridos em um script de linguagem macro de arco (AML) chamado ponto de criação em ARC para gerar as coberturas mey_allpts83, mey_targpts83 e mey_edgepts83. As projeções para as coberturas foram então definidas no ARC como zona UTM 15, NAD83 e unidades em pés.

Um arquivo de forma (mey_bndry) foi criado para a margem do lago digitalizando (no ArcMap) os pontos na cobertura mey_edgepts83. O arquivo de forma foi então exportado para a cobertura (mey_bndry83). No ARC, um atributo de elevação & quotelev & quot foi adicionado a mey_bndry83.aat. No ArcEdit, o atributo & quotelev & quot foi calculado para um valor de 1135,76 pés (NAVD88).

No ARC, a cobertura mey_allpts83 foi processada por meio do comando WEEDPOINT, mas os pontos não foram eliminados em toda a extensão da cobertura. Após várias tentativas fracassadas de usar o comando WEEDPOINT, os pontos foram eliminados no arquivo de texto original (mey_allpoints.txt) usando uma macro no editor de texto, EMACS. Dos 5.524 pontos de dados originais, 1.838 pontos de dados permaneceram após a remoção. O arquivo de texto (mey_tinpoints.txt) dos dados de batimetria eliminados foi então inserido no ponto de criação no ARC para gerar a cobertura mey_tinpts. A cobertura mey_tinpts foi então projetada para criar a cobertura mey_tinpts83 para entrada em um modelo TIN.

Usando o 3-D Analyst no ArcMap, um modelo TIN (mey_tin) foi gerado usando as coberturas de pontos mey_tinpts83 e mey_targpts83 trianguladas como pontos de massa. A fonte de altura era & quotelevation & quot. O arco mey_bndry83 foi inserido como uma linha rígida com uma fonte de altura como & quotelev & quot (valor de elevação = 1135,76 pés). A cobertura mey_bndry83 (polígono) foi inserida como um clipe rígido para prender o TIN à costa do lago.

Os contornos foram gerados no ARC usando o comando TINCONTOUR para gerar a cobertura mey_bth_orig. Os intervalos de contorno foram definidos em 2 pés com um contorno de base de 1108 pés. O contorno mínimo é 1108 pés e o contorno máximo é 1134 pés. O grau de subdivisão foi definido como 4 para especificar a quantidade de subdivisão triangular para ajudar na suavização. A cobertura foi copiada para mey_bth_cont para ser usada como cobertura de trabalho. No ArcEdit, a cobertura mey_bth_orig e a cobertura mey_tinpts83 foram usadas como coberturas traseiras para comparação durante o ajuste de erros interpretativos e suavização. Todos os ajustes no ArcEdit foram feitos manualmente adicionando, movendo ou excluindo vértices conforme necessário. O movimento de contorno foi geralmente maior naqueles contornos com curvas acentuadas. O intervalo de contorno não reflete a precisão do mapa.

O volume para o Lago Meyer foi calculado (usando o modelo TIN mey_tin) no ArcMap / 3-D Analyst acima de um plano de referência (elevação invertida da superfície do lago) de -1135,76 pés. O TIN foi invertido apenas para fins de cálculo, seguindo as orientações do ESRI -ArcGIS (versão 8.3). ArcMap / 3-D Analyst usa interpolação linear para calcular a área e o volume daquelas porções da superfície TIN situadas entre o valor de base especificado (elevação da superfície do lago) e o ponto mais alto no TIN. O volume de água foi calculado em aproximadamente 17.831.000 pés cúbicos (410 acres-pés).

Batimetria - Medição de profundidades na água GPS - Sistema de Posicionamento Global NAVD88 - Datum Vertical Norte Americano de 1988 GIS - Sistema de Informação Geográfica NAD83 - Datum Norte Americano de 1983 UTM - Universal Transverso Mercator Leste e Norte - Coordenadas UTM TIN - Rede Irregular Triangulada Spatial_Data_Organization_Information: Direct_Spatial_Reference_Method: Vetor Point_and_Vector_Object_Information: SDTS_Terms_Description: SDTS_Point_and_Vector_Object_Type: Cadeia completa Point_and_Vector_Object_Count: 64 SDTS_Terms_Description: SDTS_Point_and_Vector_Object_Type: Apontar Point_and_Vector_Object_Count: 4 Spatial_Reference_Information: Horizontal_Coordinate_System_Definition: Planar: Map_Projection: Map_Projection_Name: Transverse Mercator Transverse_Mercator: Scale_Factor_at_Central_Meridian: 0.999600 Longitude_of_Central_Meridian: -93.000000 Latitude_of_Projection_Origin: 0.000000 False_Easting: 1640416.666667 False_Northing: 0.000000 Planar_Coordinate_Information: Planar_Coordinate_Encoding_Method: par de coordenadas Coordinate_Representation: Abscissa_Resolution: 0.000005 Ordinate_Resolution: 0.000005 Planar_Distance_Units: pés de pesquisa Geodetic_Model: Horizontal_Datum_Name: Datum norte-americano de 1983 Ellipsoid_Name: Sistema de Referência Geodésico 80 Semi-eixo maior: 6378137.000000 Denominator_of_Flattening_Ratio: 298.257222 Vertical_Coordinate_System_Definition: Altitude_System_Definition: Altitude_Datum_Name: Datum vertical norte-americano de 1988 Altitude_Distance_Units: pés Entity_and_Attribute_Information: Descrição detalhada: Tipo de entidade: Entity_Type_Label: mey_bth_cont.aat Atributo: Attribute_Label: FID Attribute_Definition: Número do recurso interno. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Sequencia unica de números inteiros que são gerados automaticamente. Atributo: Attribute_Label: Shape Attribute_Definition: Feature geometry. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Coordinates defining the features. Atributo: Attribute_Label: FNODE# Attribute_Definition: Internal node number for the beginning of an arc (from-node). Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Whole numbers that are automatically generated. Atributo: Attribute_Label: TNODE# Attribute_Definition: Internal node number for the end of an arc (to-node). Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Whole numbers that are automatically generated. Atributo: Attribute_Label: LPOLY# Attribute_Definition: Internal node number for the left polygon. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Whole numbers that are automatically generated. Atributo: Attribute_Label: RPOLY# Attribute_Definition: Internal node number for the right polygon. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Whole numbers that are automatically generated. Atributo: Attribute_Label: COMPRIMENTO Attribute_Definition: Length of feature in internal units. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Positive real numbers that are automatically generated. Atributo: Attribute_Label: MEY_BTH_CONT# Attribute_Definition: Número do recurso interno. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Sequencia unica de números inteiros que são gerados automaticamente. Atributo: Attribute_Label: MEY_BTH_CONT-ID Attribute_Definition: User-defined feature number. Attribute_Definition_Source: ESRI Atributo: Attribute_Label: CONTORNO Atributo: Attribute_Label: HACHURE Distribution_Information: Distributor: Informações de contato: Contact_Organization_Primary: Contact_Organization: Lake Bathymetric Project, U.S. Geological Survey, Iowa City, Iowa Contact_Person: Greg Nalley Contact_Position: Project Chief Endereço de contato: Address_Type: endereço de correspondência Endereço: PO Box 1230 City: Iowa City State_or_Province: Iowa Postal_Code: 52244 Country: EUA Contact_Voice_Telephone: 319-337-4191 Contact_Facsimile_Telephone: 319-358-3606 Contact_Electronic_Mail_Address: [email protected] Resource_Description: Nenhum Distribution_Liability: The Lake Bathymetric project of the Eastern Field Unit, the Water Resources Discipline (WRD), and the U.S. Geological Survey make no guarantee nor offer any warranty concerning the accuracy, condition, or application of the information contained in these geographic data.

The burden for determining fitness for use of this data lies entirely with the user. Although these data have been processed successfully on computers of WRD, no warranty, expressed or implied, is made by WRD regarding the use of these data on any other system, nor does the fact of distribution constitute or imply any such warranty.

In no event shall the WRD have any liability whatsoever for payment of any consequential, incidental, indirect, special, or tort damages of any kind, including, but not limited to, any loss of profits arising out of the delivery, installation, operation, or support by WRD.


Metadados:

A bar check calibration on the echo sounder was performed at the start of each day following established protocols (U.S. Army Corps of Engineers, 1994, Engineering and design: Hydrographic survey EM 1110-2-1003, chap. 9-3, p. 9-4 to 9-9). This was done to ensure that the echo sounder was calibrated correctly. The bar check involves suspending a 2-ft-diameter flat aluminum plate directly below the echo sounder. The suspension line is marked in 5-ft increments. An initial calibration is made at 5 ft by entering the speed of sound in water (based on water temperature) and then adjusting the offset of the transducer in the computer software. The offset is the draft of the transducer below the lake surface. The aluminum plate is then lowered in 5-ft increments (depending on the range of depths expected to be encountered on the day of data collection) and adjustments in the speed of sound are made until depth readings and the depth of the aluminum plate agree to within approximately 0.1 ft.

Data were collected along viewable planned transect lines that were set-up in Hypack Max using the internal line editor prior to data collection. Transect lines were spaced at 50-ft intervals perpendicular to the long axis of Easter Lake. Depending on boat speed, one bathymetry data point was collected at approximately 4- to 8-ft intervals. Data points may be much closer in areas where transect or perimeter runs overlap. Perimeter bathymetry data points were collected while driving the boat around the perimeter of the lake. Target points were collected in areas of the lake where it was too shallow to collect data with the BSS+5 system. Target point depths were collected manually along with a corresponding easting and northing location. The number and location of target points were based on a judgment made in the field that was thought to be spatially representative of the area. In addition, shore point locations (easting and northing) were collected to define the edge of the lake. These locations were collected by touching the bow of the boat to the shoreline at various intervals along the shoreline and recording the position using a bow-mounted GPS antenna.

The water-surface elevation of Easter Lake was determined by tape down (using a steel tape) from a reference point (with a known elevation) on the north rim of a manhole located on top of the concrete emergency spillway west of the main spillway. The elevation of the reference point, according to the Polk County Engineers Office (oral commun., 2003), was 816.85 ft above NGVD29. The water-surface elevation was found to be 813.0 ft above NGVD29 on July 30, 2003.

Post-processing: Bathymetry data were processed back in the office using the Hypack Max software. Post-processing involved removing obvious spikes, inputting depths for the time-tagged target points, and editing extraneous points within the shore point files. In addition, tide corrections were applied in Hypack Max to convert depths to elevations. The processed bathymetry data in Hypack Max were exported to XYZ format. A total of three separate files were exported into XYZ format: (1) transect and perimeter bathymetric data (2) shore point location data (3) and the target point data. All three XYZ files were then converted to ASCII text files for input into ESRI-ArcGIS (ver. 8.3).

Generation of Bathymetry Map: The output text files (containing northing, easting, and elevation) were input into an arc macro language (AML) script called createpoint in ARC to generate three corresponding coverages (eas_allpts, eas_edgepts, and eas_targpts). Projections for the coverages were then defined in ARC as UTM zone 15, NAD83, and units in feet.

Polygon coverages (eas_bndry and eas_island) were created to define the lake shore by first connecting (digitizing in ArcEdit) the points in the eas_edgepts coverage. The polygon coverages were used to generate the line coverages (eas_bndelev and eas_islelev). An elevation field (elev) was then added to the attribute table of the line coverages (eas_bndelev.aat and eas_islelev.aat). In ArcEdit, the elev field was set to a value of 813.0 ft (lake-surface elevation). The projection for the coverages were defined in ARC as UTM zone 15, NAD83, and units in feet. A digital orthophoto quad (DOQ) (Iowa Department of Natural Resources, 2002-2003, Iowa 2002 Digital Orthophoto Update Project, information available on World Wide Web at URL <http://www.igsb.uiowa.edu/nrgislibx/>) was later used as an aid in further adjusting the coverage of the shoreline.

In ARC, the eas_allpts coverage was processed through the WEEDPOINT command with a weed-tolerance of 30 ft to create the output coverage eas_tinpts30. Of the original 14,934 data points, 3,038 data points remained after weeding. The weeding was performed to reduce the density of points in one direction (along data-collection transects) to minimize the spatial pull of contours toward the densified lines. The eas_tinpts30 coverage was then input into a TIN model.

The point coverage eas_ptsinterp was created using an arc macro language (AML) script. The script interpolated additional data points between bathymetry data points collected in the field. Data points were interpolated along creek channels and within lake coves to aid in generating contours.

To generate contours and calculate lake volume, three-dimensional surfaces (TIN models) were created using 3-D Analyst in ArcMap. The TIN eas_tin30 was used to generate the preliminary contours. The TIN model (eas_tin30) was generated using the eas_tinpts30, eas_targpts, and eas_ptsinterp point coverages triangulated as mass points. Height source was "elevation". The eas_bndelev and eas_islelev line coverages were input as hard lines with height source as "elev" (elevation value = 813.0 ft). The eas_bndry polygon coverage was input as a hard clip to clip the TIN to the lake shoreline. The eas_island polygon coverage was input as a hard erase to remove the island from the TIN. Another TIN model (eas_tin) was later generated to further adjust contours and to calculate lake volume after the boundary coverages (eas_bndry and eas_bndelev) were adjusted using the DOQ.

Preliminary contours were generated in ARC using the TINCONTOUR command to generate the eas_bth_orig coverage. The subdivision degree was set to 2 to specify the amount of triangular subdivision to help with smoothing. Contour intervals were set at 2 ft with a base contour of 793 ft. The minimum contour is 793 ft and the maximum contour is 811 ft. The coverage eas_bth_orig was then copied to eas_bth_cont. The eas_bth_cont coverage was the edit coverage in ArcEdit during smoothing. The eas_bth_orig coverage was used as a back coverage and for comparison during smoothing. All adjustments in ArcEdit were done manually by adding, moving, or deleting vertices as needed. Contour movement was generally greatest in those contours with sharp bends. The contour coverage, eas_bth_orig2, was later generated from the TIN eas_tin to check and further adjust the outer most contours in the eas_bth_cont coverage after the boundary coverages were adjusted. The contour interval does not reflect map accuracy.

The volume for Lake Easter was calculated using the TIN model eas_tin in ArcMap/3-D Analyst above a reference plane (inverted lake-surface elevation) of -813.0 ft. The TIN was inverted for calculation purposes only, following guidelines in ESRI-ArcGIS (ver. 8.3). ArcMap/3-D Analyst uses linear interpolation to calculate the area and volume of those of those portions of the TIN surface lying between the specified base value (lake-surface elevation) and the highest point in the TIN. Water volume for Easter Lake was calculated to be approximately 61,026,000 cubic feet (1,400 acre-ft).

Bathymetry - Measurement of depths in water GPS - Global Positioning System NGVD29 - National Geodetic Vertical Datum of 1929 GIS - Geographic Information System NAD83 - North American Datum of 1983 UTM - Universal Transverse Mercator Easting and Northing - UTM coordinates TIN - Triangulated Irregular Network Spatial_Data_Organization_Information: Direct_Spatial_Reference_Method: Vetor Point_and_Vector_Object_Information: SDTS_Terms_Description: SDTS_Point_and_Vector_Object_Type: Complete chain Point_and_Vector_Object_Count: 44 SDTS_Terms_Description: SDTS_Point_and_Vector_Object_Type: Apontar Point_and_Vector_Object_Count: 4 Spatial_Reference_Information: Horizontal_Coordinate_System_Definition: Planar: Map_Projection: Map_Projection_Name: Transverse Mercator Transverse_Mercator: Scale_Factor_at_Central_Meridian: 0.999600 Longitude_of_Central_Meridian: -93.000000 Latitude_of_Projection_Origin: 0.000000 False_Easting: 1640416.666667 False_Northing: 0.000000 Planar_Coordinate_Information: Planar_Coordinate_Encoding_Method: coordinate pair Coordinate_Representation: Abscissa_Resolution: 0.000005 Ordinate_Resolution: 0.000005 Planar_Distance_Units: pés de pesquisa Geodetic_Model: Horizontal_Datum_Name: North American Datum of 1983 Ellipsoid_Name: Sistema de Referência Geodésico 80 Semi-major_Axis: 6378137.000000 Denominator_of_Flattening_Ratio: 298.257222 Vertical_Coordinate_System_Definition: Altitude_System_Definition: Altitude_Datum_Name: Datum vertical norte-americano de 1988 Altitude_Distance_Units: pés Depth_System_Definition: Entity_and_Attribute_Information: Detailed_Description: Entity_Type: Entity_Type_Label: eas_bth_cont.aat Atributo: Attribute_Label: FID Attribute_Definition: Número do recurso interno. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Sequencia unica de números inteiros que são gerados automaticamente. Atributo: Attribute_Label: Shape Attribute_Definition: Feature geometry. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Coordinates defining the features. Atributo: Attribute_Label: FNODE# Attribute_Definition: Internal node number for the beginning of an arc (from-node). Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Whole numbers that are automatically generated. Atributo: Attribute_Label: TNODE# Attribute_Definition: Internal node number for the end of an arc (to-node). Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Whole numbers that are automatically generated. Atributo: Attribute_Label: LPOLY# Attribute_Definition: Internal node number for the left polygon. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Whole numbers that are automatically generated. Atributo: Attribute_Label: RPOLY# Attribute_Definition: Internal node number for the right polygon. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Whole numbers that are automatically generated. Atributo: Attribute_Label: COMPRIMENTO Attribute_Definition: Length of feature in internal units. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Positive real numbers that are automatically generated. Atributo: Attribute_Label: EAS_BTH_CONT# Attribute_Definition: Número do recurso interno. Attribute_Definition_Source: ESRI Attribute_Domain_Values: Unrepresentable_Domain: Sequencia unica de números inteiros que são gerados automaticamente. Atributo: Attribute_Label: EAS_BTH_CONT-ID Attribute_Definition: User-defined feature number. Attribute_Definition_Source: ESRI Atributo: Attribute_Label: ELEVAÇÃO Atributo: Attribute_Label: HACHURE Distribution_Information: Distributor: Informações de contato: Contact_Organization_Primary: Contact_Organization: Lake Bathymetric Project, U.S. Geological Survey, Iowa City, Iowa Contact_Person: Greg Nalley Contact_Position: Project Chief Endereço de contato: Address_Type: endereço de correspondência Endereço: P.O. Box 1230 City: Iowa City State_or_Province: Iowa Postal_Code: 52244 Country: EUA Contact_Voice_Telephone: 319-337-4191 Contact_Facsimile_Telephone: 319-358-3606 Contact_Electronic_Mail_Address: [email protected] Resource_Description: Nenhum Distribution_Liability: The Lake Bathymetric project of the Eastern Field Unit, the Water Resources Discipline (WRD), and the U.S. Geological Survey make no guarantee nor offer any warranty concerning the accuracy, condition, or application of the information contained in these geographic data.

The burden for determining fitness for use of this data lies entirely with the user. Although these data have been processed successfully on computers of WRD, no warranty, expressed or implied, is made by WRD regarding the use of these data on any other system, nor does the fact of distribution constitute or imply any such warranty.

In no event shall the WRD have any liability whatsoever for payment of any consequential, incidental, indirect, special, or tort damages of any kind, including, but not limited to, any loss of profits arising out of the delivery, installation, operation, or support by WRD.


Run the Build Terrain tool

The Build Terrain tool performs the necessary steps to make a terrain dataset functional after it has been initially defined.

  1. Open the Build Terrain tool.
  2. Click the Input Terrain button and browse to the feature dataset where the terrain dataset resides.
  3. Select the terrain dataset and click OK .
  4. Optionally specify Update Extent .

Update Extent recalculates the data extent of a window-size-based terrain dataset when the data area has been reduced through editing. It is not needed if the data extent has increased or if the terrain dataset is z-tolerance based. It will scan through all the terrain data to determine the new extent.