Mais

Como definir as opções QGIS em um aplicativo pyqgis autônomo

Como definir as opções QGIS em um aplicativo pyqgis autônomo


Eu tenho um aplicativo autônomo que usa a API QGS para visualizar e consultar as camadas do mapa. Uma camada é uma camada WMS-C que armazena automaticamente os blocos em cache, o que é excelente. Também quero ativar uma configuração que está presente no QGIS, mas não consigo descobrir como implementá-la em meu aplicativo, a saber:

  • Use o cache de renderização ... (Configurações -> Opções -> Renderização)

Encontrei a chave QSettings para isso no QGIS, navegando na saída de:

de PyQt4.QtCore import QSettings s = QSettings (). allKeys () para k em s: imprimir k

O que eu preciso acessar / emular / implementar é:

Qgis / enable_render_caching

Onde posso ativar / implementar essas configurações em meu aplicativo autônomo? É esta a configuração que é lida por QgsMapCanvas.setCachingEnabled (bool)?


Onde posso ativar / implementar essas configurações em meu aplicativo autônomo? É esta a configuração que é lida porQgsMapCanvas.setCachingEnabled (bool)?

Sim, para o último. Isso é o que é chamado quando a caixa de diálogo Opções é confirmada e fechada.

Estranhamente, a configuração do cache só é lida emQgisApp :: QgisAppinicialização quandoQgisApp :: createOverview ()é chamado. Em qualquer caso, o padrão é ON até que seja definido de outra forma pelo usuário.

UsandoQgsMapCanvas.setCachingEnabled (bool)deve alterar o armazenamento em cache da configuração sob demanda para você em seu aplicativo PyQGIS.

Para definir oqgis / enable_render_caching(observe que a chave pode diferenciar maiúsculas de minúsculas em algumas plataformas, ou seja, é 'qgis', não 'Qgis'), veja como isso é feito em QgsOptions.


Python no QGIS¶

O aplicativo principal e as bibliotecas do QGIS são programados em C ++. No entanto, Python desempenha um papel importante em seu ecossistema: a maioria dos plug-ins pré-instalados e até mesmo alguns dos módulos de provedor de dados são escritos em Python, e virtualmente todas as funções da interface e das bibliotecas são exportadas para uma API Python (programação de aplicativos Interface). Leva apenas um esforço moderado para criar extensões para QGIS que se integrem perfeitamente em sua interface de usuário, criar aplicativos autônomos usando componentes do QGIS, como uma janela de mapa ou backend de dados, ou executar scripts personalizados dentro do QGIS. Para realmente mergulhar no uso do Python no QGIS, consulte o PyQGIS Developer Cookbook, que o leva de exemplos fáceis do Hello World para escrever seus próprios aplicativos.

Hoje, vamos nos concentrar nas funcionalidades básicas do Python no QGIS, ou PyQGIS para abreviar. Você aprenderá a executar o código do console Python integrado, escrever um script Python simples e, finalmente, aplicar a funcionalidade do script ao seu próprio plugin.


Renderização¶

Por padrão, o QGIS renderiza todas as camadas visíveis sempre que a tela do mapa é atualizada. Os eventos que acionam uma atualização da tela do mapa incluem:

  • Adicionando uma camada
  • Panorâmica ou zoom
  • Redimensionar a janela QGIS
  • Alterar a visibilidade de uma camada ou camadas

O QGIS permite que você controle o processo de renderização de várias maneiras.

Renderização dependente de escala¶

A renderização dependente de escala permite que você especifique as escalas mínimas e máximas nas quais uma camada (raster ou vetor) ficará visível. Para definir a renderização dependente de escala, abra o Propriedades caixa de diálogo clicando duas vezes na camada na legenda. No Em geral guia, marque o Visibilidade dependente da escala caixa de seleção e digite o Mínimo (exclusivo) e Máximo (inclusivo) valores de escala.

Você também pode ativar a visibilidade dependente da escala em uma camada do painel Camadas. Clique com o botão direito na camada e no menu de contexto, selecione Definir a visibilidade da escala da camada.

O botão Definir para a escala da tela atual ajuda a usar a escala da tela do mapa atual como limite da visibilidade do alcance.

Quando uma camada não é renderizada na tela do mapa devido à escala do mapa fora de seu intervalo de escala de visibilidade, a camada fica acinzentada no painel Camadas e uma nova opção Zoom para escala visível aparece no menu de contexto da camada. Selecione-o e o mapa será ampliado para a camada e a escala de visibilidade mais próxima.

Controlando a renderização do mapa¶

A renderização do mapa pode ser controlada de várias maneiras, conforme descrito a seguir.

Suspenso da renderização¶

Para suspender a renderização, clique em /> Render caixa de seleção no canto inferior direito da barra de status. Quando o /> Render caixa de seleção não está marcada, QGIS não redesenha a tela em resposta a qualquer um dos eventos descritos na seção Renderização. Exemplos de quando você pode querer suspender a renderização incluem:

  • Adicionando muitas camadas e simbolizando-as antes de desenhar
  • Adicionar uma ou mais camadas grandes e definir dependência de escala antes de desenhar
  • Adicionar uma ou mais camadas grandes e aplicar zoom a uma vista específica antes de desenhar
  • Qualquer combinação das opções acima

Verificando o Render A caixa de seleção ativa a renderização e causa uma atualização imediata da tela do mapa.

Configurando a opção de adicionar camada

Você pode definir uma opção para sempre carregar novas camadas sem desenhá-las. Isso significa que a camada será adicionada ao mapa, mas sua caixa de seleção de visibilidade na legenda estará desmarcada por padrão. Para definir esta opção, escolha a opção do menu Configurações ‣ Opções e clique no Renderização aba. Desmarque o Por padrão, novas camadas adicionadas ao mapa devem ser exibidas caixa de seleção. Qualquer camada posteriormente adicionada ao mapa estará desativada (invisível) por padrão.

Parando a renderização¶

Para parar o desenho do mapa, pressione o ESC chave. Isso interromperá a atualização da tela do mapa e deixará o mapa parcialmente desenhado. Pode demorar um pouco entre pressionar ESC e a hora em que o desenho do mapa é interrompido.

Atualmente não é possível interromper a renderização & # 8212 isso foi desabilitado na porta Qt4 devido a problemas e travamentos da Interface do Usuário (IU).

Influenciar a qualidade de renderização¶

QGIS tem uma opção para influenciar a qualidade de renderização do mapa. Escolha a opção do menu Configurações ‣ Opções, Clique no Renderização guia e selecione ou desmarque Faça as linhas parecerem menos irregulares às custas de algum desempenho de desenho.

Renderização acelerada¶

Existem algumas configurações que permitem melhorar a velocidade de renderização. Abra a caixa de diálogo de opções do QGIS usando Configurações ‣ Opções, vou ao Renderização guia e marque ou desmarque as seguintes caixas de seleção:

    Use o cache de renderização sempre que possível para acelerar os redesenhosRenderize camadas em paralelo usando muitos núcleos de CPU e, em seguida, defina o Máximo de núcleos para usar.
  • O mapa é renderizado em segundo plano em uma imagem separada e cada Intervalo de atualização do mapa, o conteúdo desta imagem (fora da tela) será obtido para atualizar a representação visível da tela. No entanto, se a renderização terminar mais rápido do que essa duração, ela será exibida instantaneamente.
  • Com Ative a simplificação de recursos por padrão para camadas recém-adicionadas, você simplifica os recursos e a geometria (menos nós) e, como resultado, eles são exibidos rapidamente. Esteja ciente de que você também pode enfrentar inconsistências de renderização.

3 respostas 3

Eu acredito que QGIS 3.0 e QGIS 3.2 são essencialmente a mesma série. QGIS 3.4 sai em 26/10/2018 e também pertence à mesma série.

Além disso, muitos plug-ins e recursos estão sendo portados para as novas versões. Acredito que nossa energia seria melhor usada para tentar otimizar a versão mais recente.

Acredito que apenas 2 tags sejam necessárias para avançar: qgis-2 e qgis-3. A tag qgis-3 deve se referir a toda a série "3.x". As tags qgis-3.0, qgis-3.2 e qgis-3.4 devem ser todas mescladas em qgis-3.

Acredito que a tag qgis não seja específica o suficiente e apresentará o mesmo problema quando o QGIS 4 for lançado em alguns anos.

Não está claro na resposta do MapInfoNewbie o que fazer com a tag qgis, portanto, presumo que a sugestão aí (em resposta ao que foi perguntado em questão) é apenas eliminar / sinonimizar menor tags de versão como qgis-2.8 e qgis-3.2 em favor de, respectivamente maior tags de versão qgis-2 e qgis-3.

Eu acredito que devemos manter qgis e usar tags de versão apenas quando o assunto da questão for específico para uma versão ou outra. Por outro lado, a versão do software em uso pode sempre ser especificada no corpo da postagem.

Na minha opinião, as respostas devem especificar a versão para a qual foram escritas. Se a API mudar com o tempo, uma atualização da resposta ou uma nova resposta deve ser adicionada para apontar a mudança da API.

Não sou amigo de ter dez cópias da mesma pergunta para dez versões do QGIS porque isso torna impossível encontrar e manter as respostas.

Em apoio à resposta do MapInfoNewbie, eu favoreceria a remoção completa qualquer todas as tags de suplemento (qgis.x & amp qgis-x.x) ou a tag sem versão qgis, mas gostaria da ideia de manter melhor as tags da versão principal qgis-3 e amp qgis-2, com a razão de que essas versões Faz têm diferenças significativas na maioria dos aspectos do software.

Também acredito que a maioria dos usuários assumirá a tag certa dessa forma, ao contrário da situação atual e com a continuação da tag sem versão.

Os casos muito raros em que uma pergunta se refere ao QGIS em geral, por ex. como um projeto (e, portanto, possivelmente adequado para uma tag sem versão) pode ser interceptado com, por exemplo, uma tag qgis-project? Ele já existe ou já existe e pode ser necessário limpá-lo também?

Não tenho conhecimento dos recursos dos sistemas de tag e não saberia se esta é a maneira de fazer isso, mas: seria possível transformar todas as tags qgis antes da data de lançamento do QGIS 3 na tag qgis-2 da versão principal ? Isso, em conseqüência, significaria manualmente alterar todas as tags seguindo cronologicamente de acordo com a versão principal?


Classe: QgsCoordinateReferenceSystem¶

Suporta os seguintes formatos: - “EPSG: & ltcode & gt” - tratado com createFromOgcWms () - “POSTGIS: & ltsrid & gt” - tratado com createFromSrid () - “INTERNO: & ltsrsid & gt” - tratado com createFromStoj4 com createFromProj4 () - “WKT: & ltwkt & gt” - tratado com createFromWkt ()

Se nenhum prefixo for especificado, a definição WKT será assumida.

Parâmetros:definição - Uma string contendo uma definição de sistema de referência de coordenadas.

createFromString () / // TODO QGIS 3: remover “POSTGIS” e “INTERNAL”, permitir PROJ4 sem o prefixo

QgsCoordinateReferenceSystem (id: int, type: QgsCoordinateReferenceSystem.CrsType = QgsCoordinateReferenceSystem.PostgisCrsId) Construtor de um objeto CRS usando um PostGIS SRID, um código EPSG ou um QGIS CRS ID interno.

Nós encorajamos você a usar o código EPSG, WKT ou Proj4 para descrever CRS em seu código, sempre que possível. Os IDs QGIS CRS internos não são garantidos como permanentes / involáteis.

  • eu ia - O ID válido para o tipo de ID CRS escolhido
  • modelo - Um dos tipos descritos em CrsType / // TODO QGIS 3: remova o tipo e sempre use o código EPSG

QgsCoordinateReferenceSystem (srs: QgsCoordinateReferenceSystem) Construtor de cópia

Esta classe representa um sistema de referência de coordenadas (CRS).

O objeto do sistema de referência de coordenadas define uma projeção de mapa específica, bem como transformações entre diferentes sistemas de referência de coordenadas. Existem várias maneiras de definir um CRS: usando texto bem conhecido (WKT), string PROJ ou combinação de autoridade e código (por exemplo, EPSG: 4326). QGIS vem com seu banco de dados interno de sistemas de referência de coordenadas (armazenados em SQLite) que permite pesquisas de CRS e conversões contínuas entre as várias definições.

Mais comumente, encontramos dois tipos de sistemas de coordenadas:

1. Sistemas de coordenadas geográficas - com base em um datum geodésico, normalmente com as coordenadas sendo latitude / longitude em graus. O mais comum é o World Geodetic System 84 (WGS84). 2 Sistemas de coordenadas projetadas - com base em um datum geodésico com coordenadas projetadas em um plano, normalmente usando metros ou pés como unidades. Os sistemas de coordenadas projetadas comuns são Universal Transverse Mercator ou Albers Equal Area.

Internamente, o QGIS usa a biblioteca proj4 para toda a matemática por trás das transformações de coordenadas, portanto, em caso de problemas com projeções, é melhor examinar a representação PROJ dentro do objeto, pois essa é a representação que será usada em última análise.

Os métodos que permitem a inspeção de instâncias CRS incluem isValid (), authid (), description (), toWkt (), toProj4 (), mapUnits () e outros. A criação de instâncias CRS é ainda descrita na seção ref crs_construct_and_copy abaixo. As transformações entre os sistemas de referência de coordenadas são feitas usando a classe QgsCoordinateTransform.

Por exemplo, o código a seguir criará e inspecionará o CRS da “rede nacional britânica”:

Isso produzirá a seguinte saída:

Esta seção fornece uma visão geral de vários formatos de definição de CRS suportados:

1. Autoridade e código. Também conhecido como formato OGC WMS no QGIS, pois tem sido amplamente utilizado nos padrões OGC. Eles são codificados como & ltauth & gt: & ltcode & gt, por exemplo EPSG: 4326 refere-se ao sistema WGS84. EPSG é a autoridade mais comumente usada que cobre uma ampla gama de sistemas de coordenadas em todo o mundo.

Uma variante estendida desse formato é OGC URN. A sintaxe de URN para a definição de CRS é urn: ogc: def: crs: & ltauth & gt: [& ltversion & gt]: & ltcode & gt. Esta classe também pode analisar URNs (as versões são atualmente ignoradas). Por exemplo, WGS84 pode ser codificado como urn: ogc: def: crs: OGC: 1.3: CRS84.

QGIS adiciona suporte para autoridade “USUÁRIO” que se refere a IDs usados ​​internamente no QGIS. Essa variante deve ser evitada ou usada com cuidado, pois os IDs não são permanentes e se referem a diferentes CRS em diferentes máquinas ou perfis de usuário.

Consulte os métodos authid () e createFromOgcWmsCrs ().

2. PROJ string. Esta é uma string que consiste em uma série de pares de chave / valor no seguinte formato: + param1 = valor1 + param2 = valor2 […]. Este é o formato usado originalmente pela biblioteca proj4 subjacente. Por exemplo, a definição de WGS84 é assim:

+ proj = longlat + datum = WGS84 + no_defs

Consulte os métodos toProj4 () e createFromProj4 ().

3. Texto conhecido (WKT). Definido pelo Open Geospatial Consortium (OGC), este é outro formato comum para definir CRS. Para WGS84, a definição OGC WKT é a seguinte:

GEOGCS [“WGS 84”, DATUM [“WGS_1984”, SPHEROID [“WGS 84”, 6378137,298,257223563, AUTHORITY [“EPSG”, ”7030”]], AUTHORITY [“EPSG”, ”6326”]], PRIMEM [ “Greenwich”, 0, AUTORIDADE [“EPSG”, ”8901”]], UNIDADE [“grau”, 0,0174532925199433, AUTORIDADE [“EPSG”, ”9122”]], AUTORIDADE [“EPSG”, ”4326”]]

Consulte os métodos toWkt () e createFromWkt ().

O banco de dados do CRS enviado com o QGIS é armazenado em um banco de dados SQLite (consulte QgsApplication.srsDatabaseFilePath ()) e é baseado nos arquivos de dados mantidos pelo projeto GDAL (uma variedade de arquivos .csv e .wkt).

Às vezes acontece que os usuários precisam usar uma definição de CRS que não é bem conhecida ou que foi criada apenas com uma finalidade específica (e, portanto, sua definição não está disponível em nosso banco de dados de CRS). Sempre que uma nova definição de CRS for vista, ela será adicionada ao banco de dados local (no diretório inicial do usuário, consulte QgsApplication.qgisUserDatabaseFilePath ()). O QGIS também apresenta uma GUI para gerenciamento de definições CRS personalizadas locais.

Portanto, há dois bancos de dados: um para definições CRS enviadas e outro para definições CRS personalizadas. CRS personalizados têm IDs internos (acessíveis com srsid ()) maior ou igual a ref USER_CRS_START_ID. Os bancos de dados CRS locais nunca devem ser acessados ​​diretamente com funções SQLite; em vez disso, você deve usar a API QgsCoordinateReferenceSystem para pesquisas de CRS e para o gerenciamento de CRS personalizado.

Em alguns casos (mais proeminentemente ao carregar uma camada de mapa), o QGIS tentará garantir que o CRS da camada de mapa dada é válido usando a chamada validate (). Caso contrário, uma função de validação personalizada será chamada - tal função pode, por exemplo, mostrar uma GUI para seleção manual de CRS. A função de validação é configurada usando setCustomCrsValidation (). Se a validação falhar ou nenhuma função de validação for definida, o CRS padrão é atribuído (WGS84). O aplicativo QGIS registra sua função de validação que atuará de acordo com as configurações do usuário (exibir caixa de diálogo do seletor CRS ou usar projeto / CRS personalizado).

A maneira mais fácil de criar instâncias CRS é usar o construtor QgsCoordinateReferenceSystem (const QString & amp) que reconhece automaticamente o formato de definição da string fornecida.

A criação do objeto CRS envolve algumas consultas em um banco de dados SQLite local, o que pode ser potencialmente caro. Conseqüentemente, os métodos de criação de CRS usam um cache interno para evitar pesquisas desnecessárias no banco de dados. Se o banco de dados CRS for modificado, será necessário chamar invalidateCache () para garantir que os registros desatualizados não sejam retornados do cache.

Desde QGIS 2.16, objetos QgsCoordinateReferenceSystem são implicitamente compartilhados.

Existem dois sabores diferentes de WKT: um é definido pelo OGC, o outro é o padrão usado pela ESRI. Eles são muito semelhantes, mas não são os mesmos. QGIS é capaz de consumir os dois sabores.

authid Retorna o identificador de autoridade para o CRS.
limites Retorna os limites aproximados da região em que o CRS pode ser usado.
createFromId Define este CRS por pesquisa do ID fornecido no banco de dados CRS.
createFromOgcWmsCrs Define este CRS para os sistemas de referência de coordenadas no formato OGC WMS fornecidos.
createFromProj4 Define este CRS passando-lhe uma string formatada no estilo PROJ.
createFromSrid Define este CRS por pesquisa do PostGIS SRID fornecido no banco de dados CRS.
createFromSrsId Define este CRS por pesquisa de QGIS CRS ID interno no banco de dados CRS.
createFromString Configure este CRS a partir de uma definição de string.
createFromUserInput Configure este CRS a partir de vários formatos de texto.
createFromWkt Define este CRS usando uma definição WKT.
Descrição Retorna o nome descritivo do CRS, por exemplo, "WGS 84" ou "GDA 94 / Vicgrid94".
ellipsoidAcronym Retorna o acrônimo do elipsóide para o elipsóide usado pelo CRS.
findMatchingProj Percorre os bancos de dados CRS (banco de dados do sistema e do usuário) tentando combinar a string PROJ armazenada com uma entrada do banco de dados para preencher outras informações sobre o CRS.
fromEpsgId Cria um CRS a partir de um determinado EPSG ID.
fromOgcWmsCrs Cria um CRS a partir de uma determinada string do Sistema de Referência de Coordenadas no formato OGC WMS.
fromProj4 Cria um CRS a partir de uma string formatada no estilo proj4.
fromSrsId Cria um CRS a partir de um QGIS SRS ID especificado.
fromWkt Cria um CRS a partir de uma string de definição de sistema de referência espacial WKT.
geográficoCrsAuthId Retorna id de autenticação de CRS geográfico relacionado
hasAxisInverted Retorna se o eixo está invertido (por exemplo, para WMS 1.3) para o CRS.
invalidateCache Limpa o cache interno usado para inicializar objetos QgsCoordinateReferenceSystem.
isGeographic Retorna se o CRS é um CRS geográfico (usando coordenadas lat / lon)
é válido Retorna se este CRS foi inicializado corretamente e utilizável
mapUnits Retorna as unidades da projeção usada pelo CRS.
postgisSrid Retorna PostGIS SRID para o CRS.
projectionAcronym Retorna o acrônimo de projeção para a projeção usada pelo CRS.
readXml Restaura o estado do nó DOM fornecido.
recentProjections Retorna uma lista de projeções usadas recentemente
saveAsUserCrs Salve a string proj4 como um CRS personalizado.
setValidationHint Definir dica do usuário para validação
setupESRIWktFix Certifique-se de que a importação ESRI WKT seja feita corretamente.
srsid Retorna o ID CRS interno, se disponível.
syncDatabase Atualize os parâmetros proj.4 em nosso banco de dados de proj.4
toProj4 Retorna uma representação de string Proj4 deste CRS.
toWkt Retorna uma representação WKT deste CRS.
validSrsIds Retorna uma lista de todos os IDs SRS válidos presentes no banco de dados CRS.
validar Execute alguma validação neste CRS.
validationHint Obtém dica do usuário para validação
writeXml Armazena o estado para o nó Dom fornecido no documento fornecido.

EpsgCrsId = 2¶ InternalCrsId = 0¶ PostgisCrsId = 1¶ authid ( auto ) & # x2192 str¶

Retorna o identificador de autoridade para o CRS.

O identificador inclui a autoridade (por exemplo, EPSG) e o número CRS (por exemplo, 4326). Este é o melhor método a ser usado ao mostrar um identificador CRS muito curto para um usuário, por exemplo, “EPSG: 4326”.

Se o objeto CRS for um CRS personalizado (não encontrado no banco de dados), o método retornará o ID QGIS CRS interno com autoridade “QGIS”, por exemplo “QGIS: 100005”

Retorna:o identificador de autoridade para este CRS

Retorna os limites aproximados da região em que o CRS pode ser usado.

Os limites retornados representam a extensão de latitude e longitude para a projeção no WGS 84 CRS.

Define este CRS por pesquisa do ID fornecido no banco de dados CRS.

Retorna:Verdadeiro em caso de sucesso, senão falso

Nós encorajamos você a usar o código EPSG, WKT ou Proj4 para descrever CRS em seu código, sempre que possível. Os IDs QGIS CRS internos não são garantidos como permanentes / involáteis. / // TODO QGIS 3: remove o tipo e sempre usa o código EPSG, renomeia para createFromEpsg

Define este CRS para os sistemas de referência de coordenadas no formato OGC WMS fornecidos.

Aceita o formato “& ltauth & gt: & ltcode & gt” e OGC URN “urn: ogc: def: crs: & ltauth & gt: [& ltversion & gt]: & ltcode & gt”. Ele também reconhece as autoridades “QGIS”, “USUÁRIO”, “PERSONALIZADAS”, que têm o mesmo significado e se referem aos IDs CRS internos do QGIS.

Retorna:Verdadeiro em caso de sucesso, senão falso

este método usa um cache interno. Chame invalidateCache () para limpar o cache.

fromOgcWmsCrs () / // TODO QGIS 3: remove “QGIS” e “CUSTOM”, suporta apenas “USUÁRIO” (também retornado por authid ())

Define este CRS passando-lhe uma string formatada no estilo PROJ.

A string será analisada e os membros de projeção e elipsóide definidos e o restante da string proj4 serão armazenados no membro de parâmetros. A razão para isso é para que possamos facilmente apresentar ao usuário a representação em "linguagem natural" da projeção e do elipsóide, procurando-os no banco de dados sqlite srs.db.

Tentamos combinar a string proj4 com o ID QGIS CRS interno usando a seguinte lógica:

  • realizar uma pesquisa de texto inteiro na string proj4 (se não for nula)
  • se nenhuma correspondência for encontrada, divida o proj4 em parâmetros individuais e tente encontrar

uma correspondência em que os parâmetros estão em uma ordem diferente - se nenhuma das opções acima corresponder, use findMatchingProj ()

Parâmetros:projString - Uma string de formato proj4
Retorna:Verdadeiro em caso de sucesso, senão falso

Alguns membros podem ser deixados em branco se nenhuma correspondência for encontrada no banco de dados CRS.

este método usa um cache interno. Chame invalidateCache () para limpar o cache.

Define este CRS por pesquisa do PostGIS SRID fornecido no banco de dados CRS.

Parâmetros:srid - O PostGIS SRID para o sistema de referência espacial desejado.
Retorna:Verdadeiro em caso de sucesso, caso contrário, false / // TODO QGIS 3: remova a menos que seja realmente necessário - vamos usar os códigos EPSG em vez disso
createFromSrsId ( auto, srsId: int ) & # x2192 bool¶

Define este CRS por pesquisa de QGIS CRS ID interno no banco de dados CRS.

Se o srsid for & lt USER_CRS_START_ID, o banco de dados CRS do sistema será usado, caso contrário, o banco de dados CRS local do usuário do diretório inicial será usado.

Parâmetros:srsId - O ID QGIS CRS interno para o sistema de referência espacial desejado.
Retorna:Verdadeiro em caso de sucesso, senão falso

este método usa um cache interno. Chame invalidateCache () para limpar o cache.

Configure este CRS a partir de uma definição de string.

Suporta os seguintes formatos: - “EPSG: & ltcode & gt” - tratado com createFromOgcWms () - “POSTGIS: & ltsrid & gt” - tratado com createFromSrid () - “INTERNO: & ltsrsid & gt” - tratado com createFromStoj4 com createFromProj4 () - “WKT: & ltwkt & gt” - tratado com createFromWkt ()

Se nenhum prefixo for especificado, a definição WKT será assumida.

Parâmetros:definição - Uma string contendo uma definição de sistema de referência de coordenadas.
Retorna:Verdadeiro em caso de sucesso, senão falso
createFromUserInput ( auto, definição: str ) & # x2192 bool¶

Configure este CRS a partir de vários formatos de texto.

Formatos válidos: string WKT, “EPSG: n”, “EPSGA: n”, “AUTO: proj_id, unit_id, lon0, lat0”, “urn: ogc: def: crs: EPSG.n”, string PROJ, nome do arquivo (com WKT, string XML ou PROJ), nome conhecido (como NAD27, NAD83, WGS84 ou WGS72), ESRI. [String WKT] (diretamente ou em um arquivo), “IGNF: xxx”

Parâmetros:definição - Uma string contendo uma definição de sistema de referência de coordenadas.
Retorna:Verdadeiro em caso de sucesso, senão falso

esta função gera uma string WKT usando OSRSetFromUserInput () e a passa para a função createFromWkt (). / // TODO QGIS3: renomear para createFromStringOGR para que fique claro que é semelhante a createFromString, apenas backend diferente

Define este CRS usando uma definição WKT.

Se o código EPSG da definição WKT puder ser determinado, ele será extraído e createFromOgcWmsCrs () será usado para inicializar o objeto. Caso contrário, o WKT será convertido em uma string proj4 e createFromProj4 () configurará o objeto.

Parâmetros:wkt - O WKT para o sistema de referência espacial desejado.
Retorna:Verdadeiro em caso de sucesso, senão falso

Alguns membros podem ser deixados em branco se nenhuma correspondência for encontrada no banco de dados CRS.

este método usa um cache interno. Chame invalidateCache () para limpar o cache.

Retorna o nome descritivo do CRS, por exemplo, "WGS 84" ou "GDA 94 / Vicgrid94". Na maioria dos casos, este é o melhor método a ser usado ao mostrar um identificador amigável para o CRS a um usuário.

Retorna:nome descritivo do CRS

uma string vazia será retornada se a descrição não estiver disponível para o CRS

Retorna o acrônimo do elipsóide para o elipsóide usado pelo CRS.

Retorna:o acrônimo proj4 oficial para o elipóide

uma string vazia será retornada se o ellipsoidAcronym não estiver disponível para o CRS

Percorre os bancos de dados CRS (banco de dados do sistema e do usuário) tentando combinar a string PROJ armazenada com uma entrada do banco de dados para preencher outras informações sobre o CRS.

As siglas do elipsóide e da projeção devem ser definidas, bem como o proj4string!

Retorna:long the SrsId do CRS correspondente, zero se nenhuma correspondência foi encontrada / // TODO QGIS 3: parece completamente obsoleto agora (apenas compara proj4 - já feito em createFromProj4)
fromEpsgId ( epsg: int ) & # x2192 QgsCoordinateReferenceSystem¶

Cria um CRS a partir de um determinado EPSG ID.

Parâmetros:epsg - epsg CRS ID
Retorna:CRS correspondente ou um CRS inválido se a string não puder ser correspondida

Cria um CRS a partir de uma determinada string do Sistema de Referência de Coordenadas no formato OGC WMS.

Parâmetros:ogcCrs - Definição CRS compatível com OGR, por exemplo, "EPSG: 4326"
Retorna:CRS correspondente ou um CRS inválido se a string não puder ser correspondida

Cria um CRS a partir de uma string formatada no estilo proj4.

Parâmetros:proj4 - string de formato proj4
Retorna:CRS correspondente ou um CRS inválido se a string não puder ser correspondida

Cria um CRS a partir de um QGIS SRS ID especificado.

Parâmetros:srsId - ID SRS QGIS interno
Retorna:CRS correspondente ou um CRS inválido se o ID não puder ser encontrado

Cria um CRS a partir de uma string de definição de sistema de referência espacial WKT.

Parâmetros:wkt - WKT para o sistema de referência espacial desejado.
Retorna:CRS correspondente ou um CRS inválido se a string não puder ser correspondida

Retorna id de autenticação de CRS geográfico relacionado

hasAxisInverted ( auto ) & # x2192 bool¶

Retorna se o eixo está invertido (por exemplo, para WMS 1.3) para o CRS.

Retorna:verdadeiro se o eixo CRS for invertido
invalidateCache () ¶

Limpa o cache interno usado para inicializar objetos QgsCoordinateReferenceSystem. Deve ser chamado sempre que o banco de dados srs for modificado para garantir que objetos CRS desatualizados não sejam criados.

Retorna se o CRS é um CRS geográfico (usando coordenadas lat / lon)

Retorna:verdadeiro se CRS for geográfico ou falso se for um CRS projetado
é válido ( auto ) & # x2192 bool¶

Retorna se este CRS foi inicializado corretamente e utilizável

mapUnits ( auto ) & # x2192 QgsUnitTypes.DistanceUnit¶

Retorna as unidades da projeção usada pelo CRS.

Retorna PostGIS SRID para o CRS.

Retorna:o identificador PostGIS spatial_ref_sys para este CRS (o padrão é 0) / // TODO QGIS 3: remova a menos que seja realmente necessário - vamos usar os códigos EPSG em seu lugar
projectionAcronym ( auto ) & # x2192 str¶

Retorna o acrônimo de projeção para a projeção usada pelo CRS.

Retorna:a sigla oficial proj4 para a família de projeção

uma string vazia será retornada se o projectionAcronym não estiver disponível para o CRS

Restaura o estado do nó DOM fornecido. Se falhar ou se o nó estiver vazio, um CRS vazio padrão será retornado.

Parâmetros: - O nó do qual o estado será restaurado
Retorna:bool Verdadeiro em caso de sucesso, Falso em caso de falha
recentProjections () & # x2192 List [str] ¶

Retorna uma lista de projeções usadas recentemente

Retorna:lista de srsid para projeções usadas recentemente

Salve a string proj4 como um CRS personalizado.

Retorna o novo CRS srsid (), ou -1 se o CRS não pôde ser salvo.

setValidationHint ( auto, html: str ) ¶

Definir dica do usuário para validação

Certifique-se de que a importação ESRI WKT seja feita corretamente. Isso é necessário para a importação CRS de shapefile adequada ao usar gdal & gt = 1.9.

Esta função é chamada por createFromUserInput () e QgsOgrProvider.crs (), geralmente não há necessidade de chamá-la de outro lugar.

Esta função define a opção de configuração CPL GDAL_FIX_ESRI_WKT com um valor adequado, a menos que tenha sido definido pelo usuário através da linha de comando ou uma variável de ambiente. Para obter mais detalhes, consulte OGRSpatialReference.morphFromESRI ().

Retorna o ID CRS interno, se disponível.

Retorna:a chave primária interna sqlite3 srs.db para este CRS
staticMetaObject = & ltPyQt5.QtCore.QMetaObject objeto & gt¶ syncDatabase () & # x2192 int¶

Atualize os parâmetros proj.4 em nosso banco de dados de proj.4

Retorna:número de CRS atualizados em caso de sucesso e número negativo de atualizações com falha em caso de erros.

Isso é usado internamente e não deve ser necessário para chamar o código do cliente

Retorna uma representação de string Proj4 deste CRS.

Se as chaves proj e ellps forem encontradas nos parâmetros, elas serão removidas e as siglas de projeção e elipsóide serão substituídas por elas.

Retorna:String de formato Proj4 que define este CRS.

uma string vazia será retornada se o CRS não puder ser representado por uma string Proj4

Retorna uma representação WKT deste CRS.

Retorna:string contendo WKT do CRS

Retorna uma lista de todos os IDs SRS válidos presentes no banco de dados CRS. Qualquer um dos valores retornados pode ser passado com segurança para fromSrsId () para criar um novo objeto QgsCoordinateReferenceSystem válido.

Execute alguma validação neste CRS. Se o CRS não validar as configurações de comportamento padrão para camadas com CRS desconhecido, será consultado e atuado em conformidade. Por mais ou menos, esse método fará o possível para garantir que este CRS seja válido - mesmo que isso envolva o recurso a um padrão codificado de geocs: wgs84.

Normalmente não é necessário usar esta função, a menos que você esteja tentando forçar a validade deste CRS.

Obtém dica do usuário para validação

writeXml ( auto, nó: QDomNode, doc: QDomDocument ) & # x2192 bool¶


Esta página apresenta várias guias que irão guiá-lo através do processo de download, instalação e licenciamento de uma cópia pessoal dos aplicativos listados aqui. Você deve ser um aluno, professor ou funcionário da Washington University e ter credenciais WUSTL Key válidas para acessar os arquivos de instalação.

Selecione a guia associada ao aplicativo que você pretende usar e então Siga as instruções para completar o processo.

Quando você for direcionado para a pasta Download, certifique-se de selecionar os arquivos corretos para corresponder às instruções que você está seguindo.

GIS e outros aplicativos estão disponíveis no Research Studio no Nível A da Biblioteca Olin. Consulte o guia do Research Studio para obter mais informações.

Os atuais alunos, professores e funcionários do WashU podem obter uma cópia totalmente funcional do ArcGIS Desktop Programas. Este aplicativo é um popular Sistema de Informação Geográfica que permite a criação de mapas, criação e gerenciamento de dados espaciais e análise espacial. A maioria dos cursos de GIS ministrados na WashU atualmente usa a plataforma ArcGIS Desktop. se você estiver instalando este aplicativo para usar em uma aula específica, verifique com seu instrutor para ter certeza de instalar a versão correta. Verifique esta página para ver se o seu computador atende aos requisitos mínimos do sistema para executar o ArcGIS Desktop. Os usuários com credenciais de chave WUSTL ativas podem seguir as etapas abaixo para baixar e instalar o software:

  1. To install or renew your copy of ArcGIS Desktop, access the Data Services Software Request form to enter your personal information. Upon completion, the form will provide a link to our software distribution folder on Box you will need to login using your WUSTL Key to gain access.
    • Se você é installing the software for the first time:
      • Open the ArcGIS Desktop folder and save all files to your local system.
    • Se você é renewing an existing license:
      • Open the software folder and download the file with the (.prvc) extension
      • Right click the PRVC file and "Open with Software Administrator"
      • Proceed to Step 8 below to complete the authorization process.
  2. On your local system, browse to the downloaded files, right click the 'exe' file, and choose "Run as Administrator"
  3. The installation application will prompt you to accept the location to extract files. click Next to accept. The installation files will extract to the target directory. when the process completes, ensure that 'Launch the setup program' is checked and click Close.

  4. The installation will begin, click Next. accept the Master Agreement by clicking the radio button, then click Next to continue.
  5. Click through the next few screens to:
    ensure the setup type is "Compete", click Next . accept the default installation location, click Next.

The license will expire on the same schedule as our WU ESRI Site License. You will receive warning notices when you open ArcMap (or other ArcGIS application) beginning several weeks prior to the expiration date. We will post instructions on this page so that you may renew when new licenses are available.

Current WashU students, faculty and staff may obtain a fully functional copy of the ArcGIS Pro software. This application enables map creation, spatial data creation and management, and spatial analysis. Most of the courses taught at WashU currently use the ArcGIS Desktop platform. if you are installing ArcGIS to use for a specific class check with your instructor to make sure you install the correct version. Check this page to see if your computer meets the minimum system requirements to run ArcGIS Pro. Users with active WUSTL Key credentials can follow the steps below to download and install the software:

  1. Access the Data Services Software Request form to enter your personal information. Upon completion, the form will provide a link to our software distribution folder on Box you will need to login using your WUSTL Key to gain access.
  2. Open the ArcGIS Pro folder and save all file(s) to your local system.
  3. On your local system, browse to the downloaded file(s), right click the 'exe' file, and choose "Run as Administrator"

  4. Most of the subsequent windows will include the appropriate default setting. verify that your screens match those shown below and then click Next to proceed. once the files are extracted, click Done.

  • To activate the software, "Sign In" to the WUSTL ArcGIS Online Organization using the link at the top right.
  • Sign in using the Enterprise Login prompt as follows:
    Enter "wustl" as your Organization's URL.

Click on Washington University and.

ArcGIS Online is a cloud based suite of GIS tools that run in your browser and facilitate web map creation and publishing. Washington University students, faculty, and staff may use their active WUSTL Key credentials to open an account in the WU AGOL Organization in order to create and share interactive online maps the account will also give you access to many ESRI training resources. Keep in mind, certain functions on the AGOL platform consume 'credits' and your account will initially be assigned a limited credit budget. If you attempt an operation that requires more credits than you currently have, you will receive an error. Contact Data Services to describe your needs and discuss options to resolve the issue.

To set up your account

At the Enterprise Login prompt, click on Washington University

If you are prompted for the URL, enter "wustl" and click Continue

Enter your WUSTL Key Credentials in the familiar prompt

You now have an account in the WashU ArcGIS AGOL Organization and should now see the AGOL Home screen (see below). Please take a moment to open your profile (click the 'person' icon at the upper right) and fill in your page to include:

Please use the "Bio" section to add:

Status: Student, Faculty, Staff, other

WU department or affiliation

To get started with ArcGIS Online, see this page for tutorials and links to online training content. To work with Storymaps, use the App Launcher icon (grid pattern of squares in the upper right of the AGOL window) to access that application or visit storymaps.arcgis.com and "Sign In" with your WUSTL Key if prompted.

GIS software can be installed at no cost in WashU computing labs and on any other university computers. Labs that are open to general student usage, should install both the ArcGIS Desktop and ArcGIS Pro applications since users may have different needs. For lab-based systems, teaching labs, or other desktop systems that will always be connected to the WU network license authentication will be handled by our License Server. Laptops or desktop systems that will be 'offline', (i.e. away from the WU network) will need to authenticate using a 'single-use' license (see this page for those instructions). The following steps will guide you through the process of installing both ArcGIS Desktop (step 2) and ArcGIS Pro (step 3) applications on a WU networked computer. Contact Data Services if you experience any problems.

  1. Access the Data Services Software Request form to enter your personal information. Upon completion, the form will provide a link to our software distribution folder on Box you will need to login using your WSUTL Key to gain access. Save the ArcGIS Desktop and ArcGIS Pro folders to the target systems.
  2. To install ArcGIS Desktop:
    • Browse to the downloaded ArcGIS Desktop folder, right click the 'exe' file, and choose "Run as Administrator"
    • The installation application will prompt you to accept the location to extract files. click Next to accept. The installation files will extract to the target directory. when the process completes, ensure that 'Launch the setup program' is checked and click Close.

    • The installation will begin, click Next. accept the Master Agreement by clicking the radio button, then click Next to continue.
    • Click through the next few screens to:
      ensure the setup type is "Compete", click Next . accept the default installation location, click Next.

    • . set the Python Destination folder, click Next. check (or not) the ESRI User Experience Program, then click Install.
    • The software will install. a progress bar indicates the system is working. click Finish when the process completes.

    • Now the Authorization wizard will open and you will authorize the software as follows.
      Click on Advanced (ArcInfo) Concurrent Use, then fill in the name of the License Manager server "gis_license.wustl.edu" as shown below. click OK to continue.

    • The installation is complete and the ArcGIS Administrator will open. Verify the software is installed and authorized by clicking the "Availability" window. Ensure that a mid-August expiration date of the appropriate year appears.
    • Cancel this window and open ArcMap to test the installation. The application will automatically authenticate when a user starts the program. Our license server is usually updated with a renewed license in mid-August. Your system should not require any attention to update the license.
  3. To install ArcGIS Pro:


  • The Setup Program should launch automatically.
    Close any running programs and click Next. Accept the master Agreement, click Next.





  • ArcGIS Pro is licensed using a 'Named User' model and you will need to join the WashU ArcGIS Online Organization to become a named user. To activate the software, Users will need to "Sign In" to the WUSTL ArcGIS Online Organization using the link at the top right.
  • Sign in using the Enterprise Login prompt as follows:
    • Enter "wustl" as your Organization's URL.

    • . enter your WUSTL Key credentials

    • Now the User will see their login name in the upper right corner and may begin using the software.

    Updating QGIS

    QGIS software typically needs to be updated in the following cases:

    • A maintenance release fixes bugs or provides a useful new feature. For example QGIS version 3.12.2 is released and updates previously installed 3.12.1.
    • A version that was previously installed as the current release needs to be updated to be the long-term release. This has the side-effect that (on Windows) the C:Program FilesQGIS 3.12appsqgis-ltrpython folder is used for long-term release rather than C:Program FilesQGIS 3.12appsqgispython folder that is used for latest release. Python tools should therefore check for the qgis-ltr folder as well as qgis in order to always find necessary files for PYTHONPATH .

    The version number for running QGIS software can be determined by using the Help / About cardápio. The version for standalone QGIS should agree with the installation folder and Start / QGIS N.N cardápio. The version for OSGeo4W installation must be determined using the Help / About cardápio.

    Performing an update may cause the old version to be uninstalled and the new version to install. Therefore, additional installation steps may be required after an update, for example if additional Python packages need to be reinstalled.

    See details in subsections for each operating system:


    9.6. Running QGIS with advanced settings¶

    9.6.1. Command line and environment variables¶

    We’ve seen that launching QGIS is done as for any application on your OS. QGIS provides command line options for more advanced use cases (in some cases you can use an environment variable instead of the command line option). To get a list of the options, enter qgis --help on the command line, which returns:

    Example Using command line arguments

    You can start QGIS by specifying one or more data files on the command line. For example, assuming you are in the qgis_sample_data directory, you could start QGIS with a vector layer and a raster file set to load on startup using the following command: qgis ./raster/landcover.img ./gml/lakes.gml

    9.6.1.1. --version ¶

    This option returns QGIS version information.

    9.6.1.2. --snapshot ¶

    This option allows you to create a snapshot in PNG format from the current view. This comes in handy when you have many projects and want to generate snapshots from your data, or when you need to create snapshots of the same project with updated data.

    Currently, it generates a PNG file with 800x600 pixels. The size can be adjusted using the --width and --height arguments. The filename can be added after --snapshot . Por exemplo:

    9.6.1.3. --width ¶

    This option returns the width of the snapshot to be emitted (used with --snapshot ).

    9.6.1.4. --height ¶

    This option returns the height of the snapshot to be emitted (used with --snapshot ).

    9.6.1.5. --lang ¶

    Based on your locale, QGIS selects the correct localization. If you would like to change your language, you can specify a language code. For example, qgis --lang it starts QGIS in Italian localization.

    9.6.1.6. --project ¶

    Starting QGIS with an existing project file is also possible. Just add the command line option --project followed by your project name and QGIS will open with all layers in the given file loaded.

    9.6.1.7. --extent ¶

    To start with a specific map extent use this option. You need to add the bounding box of your extent in the following order separated by a comma:

    This option probably makes more sense when paired with the --project option to open a specific project at the desired extent.

    9.6.1.8. --nologo ¶

    This option hides the splash screen when you start QGIS.

    9.6.1.9. --noversioncheck ¶

    Skip searching for a new version of QGIS at startup.

    9.6.1.10. --noplugins ¶

    If you have trouble at start-up with plugins, you can avoid loading them at start-up with this option. They will still be available from the Plugins Manager afterwards.

    9.6.1.11. --nocustomization ¶

    Using this option, any existing GUI customization will not be applied at startup. This means that any hidden buttons, menu items, toolbars, and so on, will show up on QGIS start up. This is not a permanent change. The customization will be applied again if QGIS is launched without this option.

    This option is useful for temporarily allowing access to tools that have been removed by customization.

    9.6.1.12. --customizationfile ¶

    Using this option, you can define a UI customization file, that will be used at startup.

    9.6.1.13. --globalsettingsfile ¶

    Using this option, you can specify the path for a Global Settings file ( .ini ), also known as the Default Settings. The settings in the specified file replace the original inline default ones, but the user profiles’ settings will be set on top of those. The default global settings is located in your_QGIS_PKG_path/resources/qgis_global_settings.ini .

    Presently, there’s no way to specify a file to write settings to therefore, you can create a copy of an original settings file, rename, and adapt it.

    Setting the qgis_global_setting.ini file path to a network shared folder, allows a system administrator to change global settings and defaults in several machines by only editing one file.

    The equivalent environment variable is QGIS_GLOBAL_SETTINGS_FILE .

    9.6.1.14. --authdbdirectory ¶

    This option is similar to --globalsettingsfile , but defines the path to the directory where the authentication database will be stored and loaded.

    9.6.1.15. --code ¶

    This option can be used to run a given python file directly after QGIS has started.

    For example, when you have a python file named load_alaska.py with following content:

    Assuming you are in the directory where the file load_alaska.py is located, you can start QGIS, load the raster file landcover.img and give the layer the name ‘Alaska’ using the following command:

    9.6.1.16. --defaultui ¶

    On load, permanently resets the user interface (UI) to the default settings. This option will restore the panels and toolbars visibility, position, and size. Unless it’s changed again, the default UI settings will be used in the following sessions.

    Notice that this option doesn’t have any effect on GUI customization . Items hidden by GUI customization (e.g. the status bar) will remain hidden even using the --defaultui option. See also the --nocustomization option.

    9.6.1.17. --hide-browser ¶

    On load, hides the Browser panel from the user interface. The panel can be enabled by right-clicking a space in the toolbars or using the View ► Panels ( Settings ► Panels in Linux KDE).

    Unless it’s enabled again, the Browser panel will remain hidden in the following sessions.

    9.6.1.18. --dxf-* ¶

    These options can be used to export a QGIS project into a DXF file. Several options are available:

    –dxf-export: the DXF filename into which to export the layers

    –dxf-extent: the extent of the final DXF file

    –dxf-symbology-mode: several values can be used here: none (no symbology), symbollayer (Symbol layer symbology), feature (feature symbology)

    –dxf-scale-denom: the scale denominator of the symbology

    –dxf-encoding: the file encoding

    –dxf-map-theme: choose a map theme from the layer tree configuration.

    9.6.1.19. --take-screenshots ¶

    Takes screenshots for the user documentation. Can be used together with --screenshots-categories to filter which categories/sections of the documentation screenshots should be created (see QgsAppScreenShots::Categories).

    9.6.1.20. --profile ¶

    Loads QGIS using a specific profile from the user’s profile folder. Unless changed, the selected profile will be used in the following QGIS sessions.

    9.6.1.21. --profiles-path ¶

    With this option, you can choose a path to load and save the profiles (user settings). It creates profiles inside a profiles folder, which includes settings, installed plugins, processing models and scripts, and so on.

    This option allows you to, for instance, carry all your plugins and settings in a flash drive, or, for example, share the settings between different computers using a file sharing service.

    The equivalent environment variable is QGIS_CUSTOM_CONFIG_PATH .

    9.6.1.22. --version-migration ¶

    If settings from an older version are found (por exemplo., the .qgis2 folder from QGIS 2.18), this option will import them into the default QGIS profile.

    9.6.1.23. --openclprogramfolder ¶

    Using this option, you can specify an alternative path for your OpenCL programs. This is useful for developers while testing new versions of the programs without needing to replace the existing ones.

    The equivalent environment variable is QGIS_OPENCL_PROGRAM_FOLDER .

    9.6.2. Deploying QGIS within an organization¶

    If you need to deploy QGIS within an organization with a custom configuration file, first you need to copy/paste the content of the default settings file located in your_QGIS_PKG_path/resources/qgis_global_settings.ini . This file already contains some default sections identified by a block starting with [] . We recommend that you keep these defaults values and add your own sections at the bottom of the file. If a section is duplicated in the file, QGIS will take the last one from top to bottom.

    You can change allowVersionCheck=false to disable the QGIS version check.

    If you do not want to display the migration window after a fresh install, you need the following section:

    If you want to add a custom variable in the global scope:

    To discover the possibilities of the settings INI file, we suggest that you set the config you would like in QGIS Desktop and then search for it in your INI file located in your profile using a text editor. A lot of settings can be set using the INI file such as WMS/WMTS, PostGIS connections, proxy settings, maptips…

    Finally, you need to set the environment variable QGIS_GLOBAL_SETTINGS_FILE to the path of your customized file.

    In addition, you can also deploy files such as Python macros, color palettes, layout templates, project templates… either in the QGIS system directory or in the QGIS user profile.

    Layout templates must be deployed in the composer_templates directory.

    Project templates must be deployed in the project_templates directory.

    Custom Python macros must be deployed in the python directory.

    © Copyright 2002-now, QGIS project. Last updated on Jul 01, 2021 09:02.


    Sample Session: Load raster and vector layers¶

    Now that you have QGIS installed and a sample dataset available, we would like to demonstrate a short and simple QGIS sample session. We will visualize a raster and a vector layer. We will use:

    • a landcover raster layer i.e., qgis_sample_data/raster/landcover.img
    • e a lakes vector layer i.e., qgis_sample_data/gml/lakes.gml .
    1. Start QGIS as seen in Starting and Stopping QGIS
    2. Clique no Add Raster Layer icon.
    3. Browse to the folder qgis_sample_data/raster/ , select the ERDAS IMG file landcover.img and click [Open].
    4. If the file is not listed, check if the Files of type combo box at the bottom of the dialog is set on the right type, in this case Erdas Imagine Images (*.img *.IMG).
    5. Now click on the Add Vector Layer icon.
    6. Arquivo should be selected as Source Type in the new Add vector layer dialog. Now click [Browse] to select the vector layer.
    7. Browse to the folder qgis_sample_data/gml/ , selecione Geography Markup Language [GML] [OGR] (*.gml *.GML) de Filtro combo box, then select the GML file lakes.gml and click [Open]. No Add vector layer dialog, click [OK]. O Coordinate Reference System Selector dialog opens with NAD27 / Alaska Alberts selected, click [OK].
    8. Zoom in a bit to your favourite area with some lakes.
    9. Double click the lakes layer in the map legend to open the Propriedades dialog.
    10. Clique no Style tab and select a blue as fill color.
    11. Clique no Labels tab and select Show labels for this layer in the drop-down menu to enable labeling. Then from the Label with list, choose the NAMES field as the field containing labels.
    12. To improve readability of labels, you can add a white buffer around them by clicking Buffer in the list on the left, checking Draw text buffer and choosing 3 as buffer size.
    13. Clique [Aplicar]. Check if the result looks good, and finally click [OK].

    You can see how easy it is to visualize raster and vector layers in QGIS. Let’s move on to the sections that follow to learn more about the available functionality, features and settings, and how to use them.


    Your Answer


    StackExchange.ready(function() <
    var channelOptions = <
    tags: "".split(" "),
    id: "79"
    >
    initTagRenderer("".split(" "), "".split(" "), channelOptions)

    StackExchange.using("externalEditor", function() <
    // Have to fire editor after snippets, if snippets enabled
    if (StackExchange.settings.snippets.snippetsEnabled) <
    StackExchange.using("snippets", function() <
    createEditor()
    >)
    >
    else <
    createEditor()
    >
    >)

    function createEditor() <
    StackExchange.prepareEditor( <
    heartbeatType: 'answer',
    autoActivateHeartbeat: false,
    convertImagesToLinks: false,
    noModals: true,
    showLowRepImageUploadWarning: true,
    reputationToPostImages: null,
    bindNavPrevention: true,
    postfix: "",
    imageUploader: <
    brandingHtml: "Powered by u003ca href="https://imgur.com/"u003eu003c/au003e",
    contentPolicyHtml: "User contributions licensed under u003ca href="https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/"u003ecc by-sa 3.0 with attribution requiredu003c/au003e u003ca href="https://stackoverflow.com/legal/content-policy"u003e(content policy)u003c/au003e",
    allowUrls: true
    >,
    onDemand: true,
    discardSelector: ".discard-answer"
    ,immediatelyShowMarkdownHelp:true
    >)

    Thanks for contributing an answer to Geographic Information Systems Stack Exchange!


  • Asking for help, clarification, or responding to other answers.
  • Making statements based on opinion back them up with references or personal experience.
  • To learn more, see our tips on writing great answers.

    Some of your past answers have not been well-received, and you're in danger of being blocked from answering.


    Assista o vídeo: Use Python and QGIS pyQGIS to Automate GIS Tasks and Workflows