Mais

O ArcGIS Pro se junta a planilhas do Excel como o ArcMap faz?

O ArcGIS Pro se junta a planilhas do Excel como o ArcMap faz?


Eu amo a ideia do ArcGIS Pro, especialmente para analistas não-GIS para obter mapas únicos feitos de forma fácil e rápida.

A grande questão é: O ArcGIS Pro se junta a planilhas do Excel como o ArcMap faz?


No momento, o ArcGIS Pro não pode ver ou usar planilhas do Excel. Essa funcionalidade pode ser adicionada mais tarde, mas não vi nenhuma indicação firme de quando isso aconteceria. Ele está atualmente em pré-lançamento e deve sair com o ArcGIS 10.3.


Sim, agora, mas não é tão robusto (em comparação com o mapinfo, que faz isso com muita facilidade). Veja https://community.esri.com/groups/esri-training/blog/2017/05/26/working-with-excel-data-in-arcgis-pro


Mais poder para sua análise GIS através da união de recursos ao ArcGIS Online

por JosephKerski

Porque os problemas que os analistas de GIS trabalham, como perda de biodiversidade e qualidade da água, não param em limites disciplinares ou políticos, a capacidade de conectar o mapa ou tabela de atributos em que você está trabalhando a outro mapa ou tabela na mesma geodatabase ou outra geodatabase é poderoso. Uma maneira de fazer isso é unir recursos. Esta tem sido uma função central e um argumento principal para o uso de GIS por décadas. Mas com o advento do ArcGIS, incluindo sua ferramenta Join Features junto com camadas de dados no Living Atlas of the World, a habilidade que você tem ao seu alcance para unir recursos se tornou muito mais poderosa. Eu vi uma demonstração disso pela primeira vez na Conferência de Usuários da Esri, feita por minha colega Jennifer Bell, e pensei: "Esta é uma capacidade fantástica para educadores e pessoas em outros setores da sociedade."

Por que isso é tão incrível? No passado, para juntar seus dados a outro conjunto de dados, você tinha que gastar algum tempo baixando e formatando esse conjunto de dados, às vezes você tinha que adicionar campos adicionais e preenchê-los, antes que o conjunto de dados pudesse ser usado em seu GIS. Mas o ponto principal é que agora você tem acesso a conjuntos de dados na nuvem, por exemplo, no Living Atlas of World. E, semelhante aos recursos incluídos na ferramenta Enrichment, esses conjuntos de dados não precisam estar em seu próprio dispositivo ou em seu próprio geodatabase para usá-los!

Além disso, agora você tem a capacidade de fazer mapas coropléticos a partir de dados tabulares usando a opção Join Features. Digamos que você tenha uma tabela CSV (valores separados por vírgula) contendo dados para um conjunto de polígonos, como CEPs em um estado, estados dos EUA ou países do mundo. Se você adicionar essa tabela ao ArcGIS e fazer um mapa a partir dela, seu resultado será um conjunto de pontos, um para cada registro em sua tabela. Se sua tabela representa países do mundo, seu mapa mostrará um ponto em cada país. Este é um exercício útil se você estiver ensinando sobre geocodificação em um curso de GIS, mas não tão útil se seu objetivo for obter um mapa coroplético em variáveis ​​específicas para o conjunto desejado de polígonos. No passado, suas escolhas neste estágio seriam usar Esri Maps for Office para transformar sua tabela em um conjunto de polígonos no ArcGIS, ou usar ArcMap ou ArcGIS Pro para unir sua mesa a uma mesa associada a um shapefile ou geodatabase existente . Mas agora você também pode usar o ArcGIS para criar um mapa coropleto!

Como você pode fazer isso? Você pode fazer isso por meio da ferramenta Join Tables e acessando o Living Atlas of the World. Primeiro, faça login em sua conta no ArcGIS. Em seguida, & gt Map & gt Modify Map & gt Add Data. Adicione sua planilha. Precisa de uma planilha? O Banco Mundial possui uma ampla variedade de conjuntos de dados por país em formato tabular. Indique o campo (como código do país) para sua tabela baseada em local, e o resultado será um conjunto de pontos, semelhante ao abaixo (mostrado no mapa de base de lápis colorido, que eu adoro):

Tudo isso é bom, mas agora a parte realmente empolgante: para fazer um mapa coroplético por país desses mesmos dados: Executar análise e recursos de junção, na etapa 1, selecione Escolher camada de análise de Atlas vivo e, para a etapa 2, escolha sua mesa , que agora reside no ArcGIS como uma camada e se junta em um campo comum. Neste exemplo, eu não tinha um campo comum, então primeiro tive que adicionar um campo no Excel para o código de país ISO de 2 dígitos e preencher esse campo com o código. Por quê? Porque o código ISO de 2 dígitos não existia na tabela do Banco Mundial. Este é um bom exemplo de como você conhece seus dados e o que você precisa fazer às vezes para permitir que as junções ocorram.

Ao executar a ferramenta Join Features, selecione o Living Atlas, pesquise por Países do Mundo e escolha Países do Mundo, conforme mostrado abaixo:

Portanto, você está juntando sua tabela de terras agrícolas (# 2) aos Países do Mundo (Generalizado) do Atlas Vivo, conforme mostrado abaixo:

Indique os campos que servirão como seus campos de junção, como fiz a seguir. Vou ingressar no código ISO de 2 dígitos. Quando possível, associe-se a um código em vez de nomes (de cidades, países e assim por diante) devido a diferenças de grafia, o que afetará negativamente sua taxa de correspondência.

O resultado é um mapa unido à sua mesa original! Agora, com o mapa ao seu alcance, você pode mapear qualquer um dos atributos da sua tabela, como terras agrícolas por país para 2015, como fiz abaixo.

Agora vamos cavar um pouco mais fundo. Como estamos trabalhando com terras agrícolas ao longo do tempo, podemos criar uma expressão personalizada do Arcade que nos permitirá visualizar as mudanças em todo o mundo. Criei uma expressão personalizada abaixo, subtraindo 1980% das terras agrícolas por país pela porcentagem em 2015, conforme mostrado abaixo. Uma vez que os dados já estão em porcentagem, não houve necessidade de múltiplos por 100 (mais uma vez, saber seus dados é a chave!):

Também quero que o pop-up exiba a mudança ao longo do tempo e, portanto, adicionarei a mesma expressão mostrada acima à exibição do atributo personalizado do pop-up, conforme mostrado abaixo:

O mapa e o pop-up resultantes são mostrados aqui. Que padrões você percebe? Por que o grande aumento na Arábia Saudita, por exemplo? Você pode aumentar o zoom, alterar o mapa base para imagens e investigar os novos campos irrigados do pivô central no meio daquele país. Você pode fazer uma panorâmica do Brasil e examinar campos recuperados de pântanos e florestas tropicais. Você pode examinar a desova urbana nos Estados Unidos e em outros lugares como parte de sua investigação sobre o declínio das terras agrícolas em muitas áreas do mundo. Porque acredito que um conjunto de dados como este é valioso para ensinar muitos temas centrais em ciência ambiental, economia e geografia física e cultural, compartilhei a tabela aqui.

Para obter mais informações sobre o Atlas Vivo, explore-o aqui. Para obter mais informações sobre a ferramenta Join no ArcGIS, examine este documento.


Fluxos de trabalho de desktop CPT

O ArcGIS Desktop oferece uma variedade de opções de implementação para satisfazer suas necessidades comerciais específicas. Selecionar a opção de implantação certa para cada fluxo de trabalho de usuário específico é a função principal do processo de design do sistema.

A Figura A-2.2 mostra a seleção de tecnologia do software CPT Calculator ArcGIS Desktop.

As metas de desempenho do fluxo de trabalho do ArcGIS Desktop são geradas na guia Calculadora CPT.

  • As seleções de software incluem padrões de arquitetura de fluxo de trabalho de estação de trabalho (wkstn) e Windows Terminal Server (Citrix) (as opções incluem conexão direta, serviço de recursos (com e sem cache de recursos do cliente) e fontes de dados de imagens).
  • O ArcGIS Desktop inclui o aplicativo cliente ArcMap ou Pro.
  • A exibição do mapa pode ser representação gráfica 2D ou 3D.
  • A densidade pode ser apenas vetorial ou fonte de dados de imagem raster.
  • As seleções de densidade / Portal VP e RP ativam fluxos de trabalho de portal registrados.
  • As configurações de complexidade de exibição leve, média, pesada, 2xMedium, 3xMedium, 4xMedium, 5xMedium,…, 10xMedium fornecem uma gama completa de alvos de desempenho de fluxo de trabalho em potencial.
  • A resolução de exibição do DeskDefault é 1920x1080 pixels.
  • As seleções de software Wkstn e Citrix FSvc incluem fonte de dados de serviço de recurso do ArcGIS Server.

Receita de fluxo de trabalho de software

A calculadora CPT gera uma receita de fluxo de trabalho na célula A3 que identifica a tecnologia de software selecionada e os parâmetros de desempenho.

  • A seleção da tecnologia de software estabelece um perfil de fluxo de trabalho com base em uma linha de base de tecnologia.
  • As seleções de fator de desempenho de CPT incluem software, Desktop, Gráficos, densidade, complexidade, & # 160% DataCache, resolução e saída. Essas são as principais variáveis ​​de desempenho do fluxo de trabalho identificadas durante o teste de benchmark da Esri.
  • Mudanças nos parâmetros de desempenho do software irão alterar as metas de desempenho do fluxo de trabalho (tempos de serviço) com base em linhas de base de tecnologia e parâmetros-chave estabelecidos durante o teste de benchmark de desempenho.

Fluxos de trabalho padrão do ArcGIS Desktop

A Figura A-2.3 mostra os padrões de fluxo de trabalho do ArcGIS Desktop disponíveis na guia Fluxo de trabalho do CPT. A guia Fluxo de trabalho é a tabela de consulta de meta de desempenho do Excel usada para o projeto CPT.

Os padrões de fluxo de trabalho mais comuns do ArcGIS Desktop são pré-gerados na guia Calculadora e incluídos na guia Fluxo de trabalho como Fluxos de trabalho padrão. Fluxos de trabalho padrão são fornecidos para os padrões de implantação ArcGIS Desktop Workstation e Citrix. Citrix é um termo genérico usado para representar uma variedade de padrões de implantação de desktop remoto com suporte.

Fluxos de trabalho padrão da estação de trabalho ArcGIS Desktop (ArcMap).
  • AGD wkstn ArcMap 2D V Med 100% Dyn 19x10 Feature. Use para fluxos de trabalho simples da área de trabalho do usuário ArcMap 2D. A exibição e o design do banco de dados seguem as diretrizes de desempenho das melhores práticas.
  • AGD wkstn ArcMap 2D V Hvy 100% Dyn 19x10 Feature. Use para cargas ArcMap 2D padrão que suportam fluxos de trabalho de negócios típicos. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade.
  • AGD wkstn FSvc ArcMap 2D VP Hvy 20% Dyn 19x10 Feature + $. Use para o fluxo de trabalho do usuário do serviço de recurso dinâmico do Portal ArcMap 2D padrão 20% carrega com a fonte de dados do ArcGIS Server Data Store. Siga as práticas recomendadas para exibição de mapa e desempenho de banco de dados. A exibição inclui mashup com mapa base de blocos em cache.
ArcGIS Desktop (ArcMap) Fluxos de trabalho padrão Citrix.

O aplicativo ArcGIS Desktop é implementado em uma configuração de servidor de plataforma host centralizada acessada de uma tela de cliente remoto.

  • AGD Citrix ArcMap 2D V Med 100% Dyn 19x10 ICA. Use para fluxos de trabalho simples da área de trabalho do usuário ArcMap 2D com fonte de dados somente vetor. A exibição e o design do banco de dados seguem as diretrizes de desempenho das melhores práticas.
  • AGD Citrix ArcMap 2D V Hvy 100% Dyn 19x10 ICA. Use para cargas ArcMap 2D padrão que suportam fluxos de trabalho de negócios típicos com fonte de dados apenas vetorial. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade.
  • AGD Citrix ArcMap 2D R Med 100% Dyn 19x10 ICA. Use para exibições de mapas de fluxos de trabalho de desktop de usuários simples do ArcMap 2D que incluem uma camada de dados de imagens. A exibição e o design do banco de dados seguem as diretrizes de desempenho das melhores práticas.
  • AGD Citrix ArcMap 2D R Hvy 100% Dyn 19x10 ICA. Use para cargas ArcMap 2D padrão que suportam fluxos de trabalho de negócios típicos com exibições de mapa que incluem uma camada de dados de imagens. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade.
Fluxos de trabalho padrão da estação de trabalho ArcGIS Desktop (Pro).
  • AGD wkstn Pro 2D V Med 100% Dyn 19x10 Feature. Use para fluxos de trabalho simples da área de trabalho do usuário do ArcGIS Pro 2D. A exibição e o design do banco de dados seguem as diretrizes de desempenho das melhores práticas.
  • AGD wkstn Pro 2D V Hvy 100% Dyn 19x10 Feature. Use para cargas de fluxo de trabalho de usuário padrão do ArcGIS Pro 2D. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade.
  • AGD wkstn $ FSvc Pro 2D VP Hvy 20% Dyn 19x10 Feature. Use para cargas de fluxo de trabalho do usuário do serviço de recurso de Portal dinâmico 20% do ArcGIS Pro 2D padrão com cache de recurso de cliente de 80%.
  • AGD wkstn FSvc Pro 2D VP Hvy 20% Dyn 19x10 Feature + $. Use para o fluxo de trabalho do usuário do serviço de recurso dinâmico do Portal ArcMap 2D padrão 20% carrega com a fonte de dados do ArcGIS Server Data Store.
  • AGD wkstn $ FSvc Pro 3D VP Hvy 20% Funcionalidade Dyn 19x10. Use para cargas de fluxo de trabalho do usuário do serviço de recurso de Portal dinâmico 20% do ArcGIS Pro 3D padrão com cache de recurso de cliente de 80%.
  • AGD wkstn Pro 3D V Hvy 100% Dyn 19x10 Feature. Use para cargas de fluxo de trabalho de usuário padrão do ArcGIS Pro 3D. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade.

Receitas de fluxo de trabalho mais pesadas podem ser geradas a partir da Calculadora CPT e incluídas em seus fluxos de trabalho de projeto.

Fluxos de trabalho padrão do ArcGIS Desktop (Pro) Citrix.

O aplicativo ArcGIS Desktop é implementado em uma configuração de servidor de plataforma host centralizada acessada de uma tela de cliente remoto.

  • AGD Citrix Pro 2D V Med 100% Dyn 19x10 ICA. Use para fluxos de trabalho simples da área de trabalho do usuário do ArcGIS Pro 2D com fonte de dados somente vetor. A exibição e o design do banco de dados seguem as diretrizes de desempenho das melhores práticas. A máquina do servidor host deve incluir uma placa de vídeo NVIDIA GRID devidamente configurada.
  • AGD Citrix Pro 2D V Hvy 100% Dyn 19x10 ICA. Use para cargas de fluxo de trabalho de usuário padrão do ArcGIS Pro 2D com fonte de dados somente vetor. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade. A máquina do servidor host deve incluir uma placa de vídeo NVIDIA GRID devidamente configurada.
  • AGD Citrix Pro 2D R Med 100% Dyn 19x10 ICA. Use para fluxos de trabalho simples da área de trabalho do usuário do ArcGIS Pro 2D com exibições de mapa que incluem uma camada de dados de imagem. A exibição e o design do banco de dados seguem as diretrizes de desempenho das melhores práticas. A máquina do servidor host deve incluir uma placa de vídeo NVIDIA GRID devidamente configurada.
  • AGD Citrix Pro 2D R Hvy 100% Dyn 19x10 ICA. Use para cargas de fluxo de trabalho de usuário padrão do ArcGIS Pro 2D com exibições de mapa que incluem uma camada de dados de imagem. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade. A máquina do servidor host deve incluir uma placa de vídeo NVIDIA GRID devidamente configurada.
  • AGD Citrix Pro 3D V Hvy 100% Dyn 19x10 ICA. Use para cargas de fluxo de trabalho de usuário padrão do ArcGIS Pro 3D com fonte de dados somente vetor. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade. A máquina do servidor host deve incluir uma placa de vídeo NVIDIA GRID devidamente configurada.
  • AGD Citrix Pro 3D R Hvy 100% Dyn 19x10 ICA. Use para cargas de fluxo de trabalho de usuário padrão do ArcGIS Pro 3D com exibições de mapa que incluem uma camada de dados de imagem. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade. A máquina do servidor host deve incluir uma placa de vídeo NVIDIA GRID devidamente configurada.

Receitas de fluxo de trabalho mais pesadas podem ser geradas a partir da Calculadora CPT e incluídas em seus fluxos de trabalho de projeto.

Fluxos de trabalho do servidor CPT

O ArcGIS Server inclui uma ampla variedade de clientes da web e ofertas de serviços desenvolvidos para atender às suas necessidades específicas de fluxo de trabalho.

A Figura A-2.4 mostra as seleções de tecnologia do software CPT Calculator ArcGIS Server.

As metas de desempenho do fluxo de trabalho do ArcGIS Server são geradas na guia Calculadora CPT.

  • O ArcGIS Server fornece uma variedade de aplicativos de mapeamento da web e padrões de implantação de serviço de mapa.
  • Os fluxos de trabalho do CPT Calculator ArcGIS Server geram metas de desempenho de serviço de mapa para REST, KML, WMS, SOAP, KMZ, Portal e padrões de implantação de imagens.

Fluxos de trabalho padrão do ArcGIS Server

A Figura A-2.5 mostra os padrões de fluxo de trabalho do ArcGIS Server disponíveis na guia Fluxo de trabalho do CPT.

Os padrões de fluxo de trabalho mais comuns do ArcGIS Server são pré-gerados na guia Calculadora e incluídos na guia Fluxo de Trabalho como Fluxos de Trabalho Padrão.

  • AGS REST 2D VP Hvy 100% Dyn 13x7 PNG24. Use para serviços de exibição de mapa padrão com saída PNG24 (sobreposição transparente) registrada com um servidor Portal for ArcGIS. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade.
  • AGS REST 2D V Med 100% Dyn 13x7 PNG24. Use para serviços de exibição de mapa simples com saída PNG24 (sobreposição transparente). A exibição e o design do banco de dados seguem as diretrizes de desempenho das melhores práticas.
  • AGS REST 2D V Hvy 100% Dyn 13x7 PNG24. Use para serviços de exibição de mapa padrão com saída PNG24 (sobreposição transparente). As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade.
  • AGS REST 2D V Hvy 100% Dyn 13x7 PNG24 + $. Use para serviços de exibição de mapa padrão com saída PNG24 (sobreposição transparente) com mapa de base em cache. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade.
  • AGS REST 2D V Hvy 40% Dyn 13x7 PNG24 + $. Use para serviços de exibição de mapa padrão com saída PNG24 usando camadas de negócios dinâmicas (40% dinâmicas) combinadas com um mapa de base em cache. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade.
  • AGS REST 2D V Hvy 20% Dyn 13x7 Feature + $. Use para edição de feições de um número limitado de camadas de negócios (20% dinâmicas) registradas no Portal for ArcGIS e combinadas com um mapa de base em cache. As cargas de processamento são 50 por cento mais do que o fluxo de trabalho de média complexidade.
  • AGS KML 2D V Hvy 100% Dyn 13x7 PNG24. Use para serviços de exibição de mapa padrão usando recursos de saída KML.
  • AGS WMS 2D V Hvy 100% Dyn 13x7 PNG24. Use para serviços de exibição de mapa padrão usando recursos de saída WMS.

Fluxos de trabalho padrão fornecem uma meta de desempenho razoável para casos de uso de implantação de software médio e pesado. Na maioria dos casos, os fluxos de trabalho padrão fornecem metas de desempenho com margens adequadas para o seu projeto.

Fluxos de trabalho padrão do ArcGIS Server Image Services

Os padrões de fluxo de trabalho do ArcGIS Server Image Services mais comuns são pré-gerados na guia Calculadora e incluídos na guia Fluxo de trabalho como Fluxos de trabalho padrão.

  • Imagens AGS 2D R Lite 100% Dyn 19x10 JPEG. Use para fluxo de trabalho de serviço de imagem com arquivos de imagem pré-processados ​​(imagem única). Apropriado quando as escalas de serviço de exibição estão alinhadas com as pirâmides raster de origem para evitar a reamostragem ou reprojeções instantâneas.
  • Imagens AGS 2D R Med 100% Dyn 19x10 JPEG. Use para fluxo de trabalho de conjunto de dados de mosaico de imagens padrão com processamento em tempo real. A reamostragem e as reprojeções instantâneas com conjuntos de dados de imagens complexos podem aumentar a complexidade para cargas de processamento pesadas ou mais altas.
  • Imagens AGS 2D R Hvy 100% Dyn 19x10 JPEG. Use para fluxo de trabalho de conjunto de dados de mosaico de imagens padrão com processamento em tempo real com análise de imagens. A reamostragem e as reprojeções instantâneas com conjuntos de dados de imagens complexos podem aumentar a complexidade para cargas de processamento mais altas.

CPT Mobile Workflows

O GIS móvel oferece suporte a uma variedade de sistemas móveis, de dispositivos leves a PDAs, laptops, smartphones e tablets.

Os fluxos de trabalho padrão do ArcGIS Windows Mobile são gerados a partir da guia Calculadora CPT.

  • Fluxos de trabalho padrão de amostra do ArcGIS Mobile incluem o cliente ArcGIS Mobile, o serviço de sincronização móvel e o serviço de provisionamento móvel.
  • Fluxos de trabalho móveis personalizados adicionais podem ser gerados a partir da guia Calculadora CPT com base nos fatores de desempenho de tecnologia de software de fluxo de trabalho semelhantes à receita de fluxo de trabalho de amostra fornecida para os Fluxos de Trabalho Padrão do ArcGIS Mobile.

A Figura A-2.6 mostra os padrões de fluxo de trabalho do ArcGIS Windows Mobile disponíveis na guia Fluxo de trabalho do CPT.

  • Serviço de sincronização AGS ArcGIS Mobile: Use para edições simples de ponto ou polígono que são sincronizadas com o servidor durante as operações de edição. A produtividade do fluxo de trabalho deve ser ajustada para representar as cargas de edição do fluxo de trabalho.
  • Serviço de provisionamento AGS ArcGIS Mobile: Use para downloads simples da camada de negócios de extensão local que representam novas tarefas de trabalho. O cache do mapa base deve ser baixado antes de ir para o campo. A produtividade do fluxo de trabalho deve ser ajustada para representar a frequência de downloads de dados do projeto.

Descrição do fluxo de trabalho padrão do ArcGIS Mobile

A Figura A-2.7 mostra as descrições do fluxo de trabalho do ArcGIS Mobile. Cada um dos Fluxos de Trabalho Padrão do ArcGIS Mobile inclui uma receita da Calculadora fornecida como a Descrição do Fluxo de Trabalho (coluna AB).

  • A sincronização sem fio é limitada a 10% de uma exibição de vetor de complexidade média (camadas de negócios para uma operação de edição simples). O serviço de sincronização móvel usa um SOAP 2D de complexidade média de 10% dinâmico (limitado à troca de recursos atualizados transmitidos ao cliente por meio de intercâmbio SOAP) com exibição de 1366x768.
  • O serviço de provisionamento baixa 100% das camadas de negócios para cada novo projeto da área de trabalho de extensão (as camadas do mapa base devem ser carregadas no dispositivo antes de entrar em campo). O serviço de provisionamento móvel baixa 100% das camadas de negócios de exibição de vetor 2D dinâmica usando uma conexão de serviço da web SOAP.

Os tempos de serviço de fluxo de trabalho devem ser gerados com base em propriedades de fluxo de trabalho específicas, fornecendo uma meta de desempenho razoável para o planejamento de capacidade. Os tempos de serviço de fluxo de trabalho para uma variedade de outros aplicativos móveis personalizados podem ser gerados a partir da guia Calculadora CPT, semelhante à demonstração do ArcGIS Mobile.

Serviços de geoprocessamento CPT

Uma variedade de análises ArcGIS (Geoprocessamento), geração de mapas ou blocos de cache de imagens ou serviços de replicação de dados podem ser representados por cargas de processamento em lote. Os serviços de geoprocessamento são executados como processos em lote de thread único, consumindo recursos disponíveis com tempo de resposta da transação = tempo de serviço (sem tempo de fila de chegada aleatória). Os serviços de geoprocessamento consomem muitos recursos de computação e, com servidores configurados corretamente, cada instância de geoprocessamento consumirá recursos de núcleo de processador disponíveis durante os picos de carga do sistema.

Os serviços de geoprocessamento são representados na Ferramenta de Planejamento de Capacidade definindo o tempo mínimo de reflexão do fluxo de trabalho do projeto (célula D6) igual a zero. Cada instância de um perfil de fluxo de trabalho com tempo mínimo de reflexão definido como zero será executado como um processo em lote.

  • Número de usuários (célula A6) identifica o número de processos em lote simultâneos.
  • As cargas de serviço podem ser distribuídas em várias camadas de plataforma ou atribuídas a uma única camada (Célula A9).
  • A carga de processamento do cliente pode ser movida para a camada do aplicativo selecionando "Lote" na célula J15.

Fluxos de trabalho padrão de geoprocessamento CPT

A Figura A-2.9 mostra as seleções de fluxo de trabalho padrão de geoprocessamento CPT. As seleções de fluxo de trabalho padrão podem ser usadas para instâncias de geoprocessamento executadas em uma única camada de plataforma.

  • AGD Citrix GeoBatch. Carga de geoprocessamento suportada pela camada da plataforma Citrix.
  • AGS SOC GeoBatch. Carga de geoprocessamento suportada pela camada de plataforma GIS Server (SOC).
  • AGS DBMS GeoBatch. Carga de geoprocessamento suportada pela camada da plataforma DBMS.

Desempenho do fluxo de trabalho de geoprocessamento CPT

A Figura A-2.10 mostra as cargas de processamento de fluxo de trabalho padrão AGS SOC GeoBatch para uma seleção de instância única.

  • A guia Fluxo de trabalho é selecionada como Origem do fluxo de trabalho (célula C30).
  • AGS SOC GeoBatch é a seleção do fluxo de trabalho (célula E30).
  • A carga de processamento de instância única (célula A6) consome um núcleo do processador na camada da plataforma Web / SOC (25% de utilização no servidor de 4 núcleos) mostrado na célula H10.

Qualquer padrão de fluxo de trabalho pode ser usado para gerar um processo em lote. Por exemplo, um serviço da Web padrão com tempo mínimo de pensamento = 0 (célula D6) pode ser usado para gerar cache de mapa ou cargas de replicação de geodatabase em uma arquitetura de várias máquinas.

Atribuição de fluxo de trabalho do projeto (fluxos de trabalho padrão)

A Figura A-2.11 mostra como mover um fluxo de trabalho padrão selecionado na guia Fluxo de trabalho do CPT para a seção Fluxo de trabalho do projeto e como identificar um apelido exclusivo do fluxo de trabalho do projeto para uso em seu design.

Os fluxos de trabalho padrão localizados na guia Fluxo de trabalho do CPT representam os padrões de implantação do ArcGIS mais comuns. O procedimento a seguir pode ser usado para selecionar um Fluxo de trabalho padrão e inserir células copiadas (inserir uma nova linha de fluxo de trabalho) na seção Fluxo de trabalho do projeto.

  • Selecione e copie a linha que contém o fluxo de trabalho padrão que deseja usar.
  • Selecione Linha logo abaixo de onde deseja inserir o novo fluxo de trabalho na seção Fluxo de trabalho do projeto.
  • Insira células copiadas para incluir uma cópia do fluxo de trabalho padrão em seus fluxos de trabalho do projeto.
  • Selecione o nome do fluxo de trabalho na coluna A e adicione o apelido seguido de um sublinhado (WebMap_) ao novo Fluxo de trabalho do projeto.

Depois de adicionar o novo fluxo de trabalho padrão à seção Fluxo de trabalho do projeto e incluir um apelido para tornar o nome do fluxo de trabalho único, você está pronto para usar o novo fluxo de trabalho em seu projeto CPT.


Criação de pontos a partir de dados tabulares

O ArcGIS pode determinar a localização dos endereços, por exemplo, se você tiver uma planilha com dados de endereço. Você precisa ter uma camada de base formatada de forma adequada. O ArcGIS criará um ponto na localização de cada endereço. Dados limpos são essenciais.

  • Tour rápido da geocodificação Além disso, na parte inferior da coluna esquerda, existem alguns tutoriais sobre diferentes aspectos da geocodificação.
  • Caixa de ferramentas de geocodificação: Como usar as ferramentas de geocodificação.

Três maneiras de obter um localizador de endereço:

  1. Localizador de endereços montado localmente: Os usuários acadêmicos da Duke podem baixar um arquivo zip de arquivos localizadores norte-americanos de 2019 para uso em seus computadores locais. Existem alguns arquivos localizadores para download incluídos no produto Esri Data & amp Maps, em Streetmap North America. Também temos localizadores de endereços de 2013, 2014, 2019 na unidade S: (unidade de rascunho) disponíveis nos 12 computadores do laboratório de informática dos Serviços de Dados e Visualização.
  2. Construa seu próprio localizador de endereço: Você pode fazer seu próprio localizador de endereço a partir de camadas de ruas ou camadas GIS semelhantes.
  3. Localizador de endereços baseado em nuvem: Você também poderá se conectar ao serviço ArcGIS Online Geocoding. Contate [email protected] para obter uma conta ArcGIS Online e perguntar sobre os procedimentos de geocodificação.
    • há limites para o número de endereços que a conta Duke pode geocodificar, e
    • o mecanismo de geocódigo online geralmente produz um grande número de falsos positivos, portanto, o esforço de usar um arquivo localizador instalado localmente provavelmente fornecerá mais precisão.

Ajuda online. Você pode plotar seus dados que possuem informações de coordenadas (latitude / longitude ou qualquer outro sistema de coordenadas) no ArcGIS. O programa plota os locais como pontos em seu mapa.

Você pode abrir a tabela com as coordenadas XY e, a seguir, clicar com o botão direito do mouse no Painel de Conteúdo para abrir o Camada de Eventos XY ferramenta.

SISTEMA DE COORDENADAS (MUITO IMPORTANTE): Na caixa de diálogo Adicionar XY, observe o sistema de coordenadas em que o ArcGIS está assumindo que seus dados estão antes de clicar para criar seus pontos.

O padrão será o que seu quadro de dados já estiver. Por exemplo, se seu quadro de dados usa NAD83 State Plane North Carolina Feet, então ArcGIS assume que suas coordenadas tabulares estão em pés, não em graus. Se estas forem realmente coordenadas de Longitude (X) e Latitude (Y) em graus, você deve alterar seu sistema de coordenadas para coordenadas não projetadas (geográficas), normalmente WGS84 (a última escolha em Geográfico. Mundo).

Fazendo uma camada GIS permanente: Os pontos traçados na camada de evento XY estão apenas apontando de volta para seus dados tabulares; eles não representam uma nova camada. Se você precisar usar ferramentas na camada de ponto, como uma junção espacial, primeiro você precisará exportá-la como uma classe de recurso (por exemplo, arquivo de forma).

A camada de feição de ponto de saída criada por esta ferramenta é temporária e não persistirá após o término da sessão. Você pode exportar esta camada de evento para uma classe de feição (camada de geodatabase ou shapefile) clicando com o botão direito do mouse no nome da camada no Painel de Conteúdo e em Dados. Exportar. isso abre a ferramenta de geoprocessamento Copy Features. Você também pode usar as ferramentas Feature to Point ou Feature Class to Feature Class.


Projete um conjunto de coordenadas - pontos de um excel em um arquivo de forma com sistema de coordenadas desconhecido (correspondência de mapa)

Estou tentando projetar um conjunto de coordenadas (pontos) de um Excel, em cima de um arquivo de forma (mapa) com um sistema de coordenadas desconhecido.

O arquivo do Excel foi criado criando primeiro um mapa com alguns pontos no Google Earth e depois exportou para um arquivo .kml e criou o Excel.

O arquivo de forma foi entregue a mim pronto para o projeto que estou fazendo. Basicamente, estou tentando mapear os dois arquivos e, em seguida, relacioná-los para obter algumas informações adicionais para o meu projeto.

Aqui está o que fiz passo a passo:

1. Abra ArcMap (V.10.1) e clique com o botão direito em 'Layers' e defina um Sistema de Coordenadas Geográficas 'WGS 1984'

2. Importou o "vista_nicosia_links.shp" (primeiro anexo) e recebeu um aviso de Referência Espacial desconhecida (segundo anexo: Unknown_Spatial_Reference.jpg)

3. Exportou o arquivo para um arquivo de forma usando a opção 'o mesmo sistema de coordenadas da estrutura de dados' (terceiro anexo: Export_Output.shp).

4.Agora, na guia Propriedades- & gtSource, posso ver o Sistema de Coordenadas Geográficas como GCS_WGS_1984 e as informações 'Extend' estão no quarto anexo (Extend_Export_Output.jpg) com 7 dígitos à esquerda da vírgula.

5. Fechei e reabri o ArcMap e executei as ações da Etapa 1

6. Em seguida, adicionei os dados X, Y do arquivo excel (quinto anexo: Coordenadas MAP V_5.3) e clique com o botão direito do mouse - & gt exiba os dados X, Y e especifiquei os campos X e Y. Na descrição do Sistema de Coordenadas de Entrada era, por padrão, GCS_WGS_1984.

7.Exportei os dados para um arquivo .shp (sexto anexo: Export_Output_2.shp) usando a opção 'o mesmo sistema de coordenadas do quadro de dados'.

8. Eu reabri o ArcMap e repeti as ações na etapa 1 e importei os dois arquivos de forma que criei nas etapas 3 e 7 (Export_Output.shp e Export_Output_2.shp)

9. Os dois arquivos de formas são exibidos em posições totalmente diferentes, um longe do outro. Notei que ao clicar com o botão direito - & gt Propriedades - & gt guia Origem- & gt área 'Extent' de Export_Output, vejo que há 7 dígitos à esquerda da vírgula (quarto anexo: Extend_Export_Output.jpg), onde, como em Export_Output_2, vejo apenas 2 dígitos à esquerda da vírgula (sétimo anexo: Extend_Export_Output_2.jpg).

10. Em seguida, tentei projetar os dois arquivos de forma (um de cada vez) de "ArcToolbox - & gt Ferramentas de gerenciamento de dados - & gt Projeções e transformações - & gt Definir projeção" no sistema de coordenadas projetadas 'WGS 1984 World Mercator', mas nada parece mudar ou acontecendo. Ambos são reprojetados nas mesmas posições (iniciais).

Também tentei muitas outras alternativas que encontrei na internet, mas não consegui resolver isso.

Ficaria muito grato se alguém pudesse me ajudar a resolver isso, porque eu não sei o que estou fazendo de errado e estou empacado neste ponto há muito tempo.


Recursos UVa GIS

Através do licenciamento fornecido pelo ITS, todos os afiliados da UVa têm acesso às ferramentas Esri Enterprise. Mais informações da Esri disponíveis aqui.

O grupo GIS também fornece acesso a outro software, incluindo código aberto, 3D e sensoriamento remoto.

1. Um computador com Windows (7 ou 10 recomendado, consulte Requisitos do sistema). ArcGIS Pro é apenas Windows. Os usuários da Apple devem inicializar no Windows (recomendado), usar o The UVa Hive ou, como último recurso, executar o Windows virtual.

2. Direitos administrativos ao computador.

3. Mídia de instalação que pode ser baixada através do UVa Software Gateway.

4. Uma conta ArcGIS Online. A criação desta conta habilitará uma licença ArcGIS Pro. Simplesmente faça o login no ArcGIS Pro usando sua conta ArcGIS Online.

** Se você já tem uma conta ArcGIS Online que foi criada antes de 01/07/2019, por favor, contate o grupo Scholars & # 39 Lab GIS com uma solicitação para habilitar o ArcGIS Pro em sua conta ArcGIS Online.

1. Baixe e abra o arquivo executável de instalação do ArcGIS Pro do UVa Software Gateway.

2. Continue com o processo de instalação, usando as instruções de instalação da ESRI como referência, se necessário.

3. Ao abrir o ArcGIS Pro pela primeira vez, você será solicitado a fazer login no ArcGIS Online. Clique em & quot ENTERPRISE LOGIN & quot.

***NÃO FAÇA insira um nome de usuário e senha neste diálogo. Fazer isso não autorizará por meio do NetBadge e falhará.

4. Na caixa de texto, insira & quot uvalibrary & quot e marque a caixa ao lado de Lembre-se deste URL. Em seguida, clique em Continuar.

5. Clique em University of Virginia

6. Faça login no NetBadge normalmente.

7. Antes de trabalhar no ArcGIS Pro, você precisará criar um projeto. o modelo de projeto em branco é sugerido para começar, mas sinta-se à vontade para brincar com os diferentes modelos de projeto.

It is highly recommended that you check for updates to ArcGIS Pro after creating your first project. ESRI regularly sends updates, so it's likely the version that was downloaded from the software gateway needs to be updated. To do so, click the Project tab, then click About . The About page will indicate if any updates are available. If so, click Update.

1. A computer running Windows (7 or 10 recommended). ArcGIS is Windows only. Mac users must either boot to Windows (recommended), use The UVa Hive, or, run Windows virtually (last resort).

2. Administrative rights to computer.

3. Installation media which is downloadable through the UVa Software Gateway .

4. UVa ArcGIS licensing server name. You will be required to enter the server name (server URL) during the installation process. The server name will be on your on line receipt from the Uva Software Gateway. Please make note of it!

5. Secure connection to UVa. No worries if you are on Grounds. If you are off Grounds, you must use a the UVa VPN (http://its.virginia.edu/network/vpn/ ) to access the license server.

Uninstall Older Versions (if necessary)

ArcGIS 10.x cannot run on a computer that has an older version of ArcGIS installed.

Using Add or Remove Programs from Windows Control Panel, remove any older version of ArcGIS AND ArcGIS License Manager.

If you do not remove older versions of ArcGIS before you begin this installation, it will be done automatically before ArcGIS 10 is installed. However, we have experienced issues with this in the past. It is better to remove the older version of ArcGIS before attempting to install ArcGIS 10.8.

1. Download the executable ArcGIS 10.8 installation file from UVa Software Gateway.

2. Double-click file to launch which extracts installation files to a directory.

3. When extraction complete, click Launch the setup program and click Close .

4. Click Next after reading other programs warning.

5. Accept license agreement and click Next .

6. Select Complete for setup type.

8. Accept default Destination Folder by clicking Next .

9. Accept default Python Destination Folder by clicking Next .

10. Click Install . Installation will take some time. Might be a good time for a coffee break.

11. Success! Hit the Finish button. This launches the ArcGIS Administration Wizard. You need the ArcGIS License Manager server name to continue.

12. Remember, the ArcGIS license server name from your UVa Software Gateway receipt in the portal (the server name is NOT on the emailed receipt).

13. Select Advanced (ArcInfo) Concurrent Use under number 1 and, under number 2 , select Define a license manager now and enter the server name in the box under choice .

14. Click OK . ArcGIS Administrator appears.

NOTE : The license manager allows for the check out of licenses for up to six months or July 30 (whichever is sooner). This can be of great value because you do not have to authenticate against the license server while you have licenses checked out. You will have to authenticate against the server to check in licenses or make changes.

15. To check out (borrow) a license, click Borrow/Return and put checks next to all the applications you wish to borrow. Clique em Aplicar.

These applications are now available to you for six months without any need to contact the server. You can return the licenses by unchecking the boxes.

Congratulations, you now have ArcGIS 10.5 should now be running on your computer.

17. If you plan on using any ArcGIS extensions like Spatial Analyst or 3D Analyst, you must turn them on prior to use or you will get an misleading error saying you do not have a license to use them. Click Customize > Extensions to get the Extensions dialog box. Check the boxes next to the extensions you wish to use.

NOTE : If you wish to be kept up to date on ArcGIS issues at UVA including annual license renewal, GIS events, and job postings you should join the GIS Users Collab site.

Checking Out Licenses

ArcGIS 10 supports license check-out. This means you can run ArcGIS without connecting to the internet and the UVA license server every time you start the software. This is particularly useful when traveling without a reliable internet connection. The ArcGIS license you check out is good for 6 months or until July 31, whichever is sooner.

Here are the steps to check out your licenses:

1. Be sure ArcGIS is not running.

2. If you are on grounds, go to Step 3. If you are off grounds you&rsquoll need to run UVA Anywhere VPN before going to Step 3. Instructions here:http://its.virginia.edu/network/vpn/ .

3. Go to Start / All Programs / ArcGIS / ArcGIS Administrator.

4. In the left panel click on the folder &ldquoBorrow/Return&rdquo. After clicking on the folder, some users report getting the message &ldquoThe server is not configured&hellip&rdquo. It may take several tries clicking Borrow/Return until you do not see that message. Be sure you see a screen that looks like this before you continue:

5. Check ALL the empty boxes and click OK.

6. You&rsquoll see &ldquoAttempting to Borrow/Return&hellip&rdquo (the software is checking out your new licenses and will take a few minutes to complete)

7. When complete the ArcGIS Administrator will close and you can start ArcGIS without an internet connection. Your licenses are valid for another 6 months or until July 31, whichever is sooner.

8. About 30 days before your licenses are due to expire, you will receive warning messages each time you start ArcGIS reminding you to renew your ArcGIS Licenses. Follow the instructions here for "Renewing your ArcGIS License".

9. Join the UVA GIS Users Collab site to be kept up to date on ArcGIS issues at UVA including annual license renewal, GIS events, and job postings: https://collab.itc.virginia.edu/portal/site/84979808-9f4a-4777-af44-75ad46826c4f

Contact a GIS Specialist listed at the right of this page with any questions.

Refresh Licenses

If you have checked out licenses and are seeing warnings about license expiration, follow the instructions below to renew your licenses.

The ArcGIS license you check out is good for 6 months or until July 30 each year, whichever is sooner. As you near the end of your license period you will see warnings each time you start ArcGIS.

Here are the steps to renew your license:

1. Be sure ArcGIS is not running.

2. If you are on grounds, go to Step 3. If you are off grounds you&rsquoll need to run UVA Anywhere VPN before going to Step 3. Instructions here:http://its.virginia.edu/network/vpn/ .

3. Go to Start / All Programs / ArcGIS / ArcGIS Administrator.

4. In the left panel click on the folder &ldquoBorrow/Return&rdquo. After clicking on the folder, some users report getting the message &ldquoThe server is not configured&hellip&rdquo. It may take several tries clicking Borrow/Return until you do not see that message. Be sure you see a screen that looks like this before you continue:

5. Uncheck all the boxes under "Borrowed" and click &ldquoOK&rdquo. You&rsquoll see &ldquoAttempting to Borrow/Return&hellipPlease wait&hellip&rdquo

6. Wait (it&rsquos checking in all your old licenses). When the process completes ArcGIS Administrator will close.

7. Open ArcGIS Administrator again and click on Borrow/Return. It will now look like this:

7. Check ALL the empty boxes and click OK.

8. You&rsquoll see &ldquoAttempting to Borrow/Return&hellip&rdquo (it&rsquos checking out your new licenses and will take a few minutes)

9. When complete the ArcGIS Administrator will close and you can start ArcGIS without warning messages. Your licenses have been renewed for another 6 months or until July 31, whichever is sooner.

10. Join the UVA GIS Users Collab site to be kept up to date on ArcGIS issues at UVA including annual license renewal, GIS events, and job postings: UVa GIS Users.

Create an ArcGIS Online Account

Anyone affiliated with the University can use the University's enterprise ArcGIS Online site for creating and hosting data, maps, applications, and more.

That's it! By logging in through Netbadge, your account has been created.

Accessing ArcGIS Online Resources

NOTE: This guide assumes that you already have an account on our Enterprise ArcGIS Online site. If that's not the case. please follow the above instructions, Create an ArcGIS Online Account, to create an account.

When accessing ArcGIS Online resources that are outside our Enterprise URL of uvalibrary.maps.arcgis.com , it is necessary to specify the organization you are a member of. When signing on, you may be prompted for a username and password. It is important to note that using this prompt will fail. The only way to access your UVA ArcGIS Online account is through our Enterprise login using Netbadge.

1. When presented with the login page below, click ENTERPRISE LOGIN.

2. Type "uvalibrary" into the text box for the organization URL. Check the box next to Remember this URL, then click CONTINUE.

3. Click UNIVERSITY OF VIRGINIA . This will forward you to Netbadge.

4. Login to Netbadge as normal. That's it!

QGIS is the best open source desktop GIS application available. Those familiar with ArcMap will find the QGIS interface familiar. One of the great advantages to QGIS is that in can run on Windows, Mac and Linux operating systems.

QGIS is available on computer stations in the Scholars' Lab and most University Lab and Classroom computers.

Through a license held by the Department of Environmental Science, the UVa community has access to ENVI, a remote sensing program by Harris Geospatial. Gaining access to ENVI must be arranged with administrators in EVSC. Please contact us for more help.

While not a powerhouse dedicated program, ESRI's desktop GIS does provide some image analysis tools. Please see following link for more information.

Google Earth often is not considered a GIS. However, it has some great advantages. It's free. It's runs on many operationg systems. It's easy to use. What can you do with it? Load historic maps from premier map collectors. Add your own points, lines and polygon layers. View 3D buildings. We are happy to show you all the cool things Google Earth can do.

Please Note, this guide is for users that are having issues licensing ArcGIS Pro through NetBadge. Please do not use License Manager with Pro if you're não having issues connecting through NetBadge.

This issue is inconsistent and appears to be random. If you are working with Pro on your own computer, close and reopen Pro and try again. If you're working on The Hive, log off your Hive session, open a new Hive session, and try again. If that doesn't work, continue with the instructions listed below.

1. You will need a secure connection to UVa. No worries if you are on Grounds or on The Hive. If Pro is installed on your computer and you are off Grounds, you must use the UVa VPN to a ccess the license server.

3. At the ArcGIS Sign In screen, click Configure your Licensing Options.

4. On the Licensing window, set Licensing Type para Concurrent Use License. Enter "lm2.license.virginia.edu" for the License Manager, then either hit enter, or click Refresh. Check any necessary extensions (optional) and click OK. Restart Pro and you should be all set.

Observação: Pro is automatically licensed, and most geoprocessing tools will work without checking any boxes. However, feel free to c heck the box next to extensions you may need. It's fine to check all the boxes, though most will only need Spatial Analyst if anything.

Hive Note: Logging out of the Hive will delete your session information, including these settings, so if you Log Out, you'll need to repeat these steps. Se você Disconnect (click the "X" or Edit > Disconnect), your session is maintained, at least for a few hours, perhaps longer.


Use proximity

These tools help you answer one of the most common questions posed in spatial analysis: What is near what?

A buffer is an area that covers a given distance from a point, line, or area feature.

Buffers are typically used to create areas that can be further analyzed using a tool such as Overlay Layers . For example, if the question is What buildings are within 1 mile of the school?, the answer can be found by creating a 1-mile buffer around the school and overlaying the buffer with the layer containing building footprints. The end result is a layer of those buildings within 1 mile of the school.

  • Where can I go from here within a 30-minute drive?
  • Where can I go from here within a 30-minute drive at 5:30 p.m. during rush hour?
  • What areas of town can the fire department reach within 5 minutes?
  • How would fire-response coverage improve by building a new fire station here?
  • What market areas does my business cover?

You may be able to answer your questions solely through visualizing the output areas. Alternatively, you can perform further spatial analysis using the output areas. For instance, running Aggregate Points using drive-time areas with demographic data can help determine which potential store location would likely provide the best customer base for your type of business.

To use this tool, your portal administrator must configure network utility services on the portal and grant you the Network Analysis privilege.

This tool finds the nearest features and, optionally, reports and ranks the distance to the nearby features. To find what's nearby, the tool can either measure straight-line distance or a selected travel mode. There are options to limit the number of nearest features to find or the search range in which to find them.

  • What is the nearest park from here?
  • Which hospital can I reach in the shortest drive time? How long would the trip take on a Tuesday at 5:30 p.m. during rush hour?
  • What are the road distances between these major cities?
  • Which of these patients reside within 2 miles of these chemical plants?

Find Nearest returns a layer containing the nearest features and, optionally, a line layer that links the start locations to their nearest locations. The optional line layer contains information about the start and nearest locations and the distances between.

To allow you to find nearby features using most of the available travel modes, your inputs must be point features and your portal administrator must configure network utility services for the portal and grant you the Network Analysis privilege. You can, however, measure by Line Distance without this privilege.

Plan Routes determines how to efficiently divide tasks among a mobile workforce.

You provide the tool with a set of stops and the number of vehicles available to visit the stops. The tool assigns the stops to vehicles and returns routes showing how each vehicle can reach their assigned stops in the least amount of time.

  • Inspect homes, restaurants, or construction sites.
  • Provide repair, installation, or technical services.
  • Deliver items and small packages.
  • Make sales calls.
  • Transport people from their homes to an event.

The output from Plan Routes includes a layer of stops coded by the routes to which they are assigned, a layer of routes showing the shortest paths to visit assigned stops, and, depending on whether any stops could not be reached, a layer of unassigned stops.

To use this tool, your portal administrator must configure network utility services on the portal and grant you the Network Analysis privilege.

This tool measures the travel time or distance between pairs of points. The tool can report straight-line distances, road distances, or travel times. You provide starting and ending points, and the tool returns a layer containing route lines, including measurements, between the paired origins and destinations. If many origins go to one destination, a table summarizing multiple trips to the destination is included in the output.

To use this tool, your portal administrator must configure network utility services on the portal and grant you the Network Analysis privilege.


Tapestry Segment summaries

The 67 distinct markets of Tapestry detail the diversity of the American population. Grouping the segments can simplify these differences by summarizing markets that share similar traits. There are 14 LifeMode groups and 6 Urbanization groups.

LifeMode groups

LifeMode groups represent markets that share a common experience—born in the same generation or immigration from another country—or a significant demographic trait, like affluence. Tapestry Segments are classified into 14 LifeMode groups. Click a link to view a PDF summary:

  • Established wealth—educated, well-traveled married couples
  • Accustomed to "more": less than 10% of all households, with 20% of household income
  • Homeowners (almost 90%), with mortgages (65.2%)
  • Married couple families with children ranging from grade school to college
  • Expect quality invest in time-saving services
  • Participate actively in their communities
  • Active in sports and enthusiastic travelers
  • Prosperous married couples living in older suburban enclaves
  • Ambitious and hard-working
  • Homeowners (70%) prefer denser, more urban settings with older homes and a large share of townhomes
  • A more diverse population, primarily married couples, many with older children
  • Financially responsible, but still indulge in casino gambling and lotto tickets
  • Serious shoppers, from Nordstrom's to Marshalls or DSW, that appreciate quality, and bargains
  • Active in fitness pursuits like bicycling, jogging, yoga, and hiking
  • Subscribe to premium movie channels like HBO and Starz
  • Young, successful singles in the city
  • Intelligent (best educated market), hard-working (highest rate of labor force participation) and averse to traditional commitments of marriage and home ownership
  • Urban denizens, partial to city life, high-rise apartments and uptown neighborhoods
  • Prefer credit cards over debit cards, while paying down student loans
  • Green and generous to environmental, cultural and political organizations
  • Internet dependent, from social connections to shopping for fashion, tracking investments, making travel arrangements, and watching television and movies
  • Adventurous and open to new experiences and places
  • Successful young families in their first homes
  • Non-diverse, prosperous married-couple families, residing in suburban or semirural areas with a low vacancy rate (second lowest)
  • Homeowners (79%) with mortgages (second highest %), living in newer single-family homes, with median home value slightly higher than the U.S.
  • Two workers in the family, contributing to the second highest labor force participation rate, as well as low unemployment
  • Do-it-yourselfers, who work on home improvement projects, as well as their lawns and gardens
  • Sports enthusiasts, typically owning newer sedans or SUVs, dogs, and savings accounts/plans, comfortable with the latest technology
  • Eat out frequently at fast food or family restaurants to accommodate their busy lifestyle
  • Especially enjoy bowling, swimming, playing golf, playing video games, watching movies rented via Redbox, and taking trips to a zoo or theme park
  • Gen X in middle age families with fewer kids and a mortgage
  • Second largest Tapestry group, comprised of Gen X married couples, and a growing population of retirees
  • About a fifth of residents are 65 or older about a fourth of households have retirement income
  • Own older single-family homes in urban areas, with 1 or 2 vehicles
  • Live and work in the same county, creating shorter commute times
  • Invest wisely, well-insured, comfortable banking online or in person
  • News junkies (read a daily newspaper, watch news on TV, and go online for news)
  • Enjoy reading, renting movies, playing board games and cards, doing crossword puzzles, going to museums and rock concerts, dining out, and walking for exercise
  • Empty nesters in bucolic settings
  • Largest Tapestry group, almost half of households located in the Midwest
  • Homeowners with pets, residing in single-family dwellings in rural areas almost 30% have 3 or more vehicles and, therefore, auto loans
  • Politically conservative and believe in the importance of buying American
  • Own domestic trucks, motorcycles, and ATVs/UTVs
  • Prefer to eat at home, shop at discount retail stores (especially Walmart), bank in person, and spend little time online
  • Own every tool and piece of equipment imaginable to maintain their homes, vehicles, vegetable gardens, and lawns
  • Listen to country music, watch auto racing on TV, and play the lottery enjoy outdoor activities, such as fishing, hunting, camping, boating, and even bird watching
  • Established diversity—young, Hispanic homeowners with families
  • Multilingual and multigenerational households feature children that represent second-, third- or fourth-generation Hispanic families
  • Neighborhoods feature single-family, owner-occupied homes built at city's edge, primarily built after 1980
  • Hard-working and optimistic, most residents aged 25 years or older have a high school diploma or some college education

Shopping and leisure also focus on their children—baby and children's products from shoes to toys and games and trips to theme parks, water parks or the zoo

  • Lifestyles of thirtysomethings
  • Millennials in the middle: single/married, renters/homeowners, middle class/working class
  • Urban market mix of single-family, townhome, and multi-unit dwellings
  • Majority of residents attended college or attained a college degree
  • Householders have ditched their landlines for cell phones, which they use to listen to music (generally contemporary hits), read the news, and get the latest sports updates of their favorite teams
  • Online all the time: use the Internet for entertainment (downloading music, watching YouTube, finding dates), social media (Facebook, Twitter, LinkedIn), search for employment
  • Leisure includes night life (clubbing, movies), going to the beach, some travel and hiking
  • Senior lifestyles reveal the effects of saving for retirement
  • Households are commonly married empty nesters or singles living alone homes are single-family (including seasonal getaways), retirement communities, or high-rise apartments
  • More affluent seniors travel and relocate to warmer climates less affluent, settled seniors are still working toward retirement
  • Cell phones are popular, but so are landlines
  • Many still prefer print to digital media: Avid readers of newspapers, to stay current
  • Subscribe to cable television to watch channels like Fox News, CNN, and The Weather Channel
  • Residents prefer vitamins to increase their mileage and a regular exercise regimen
  • Country life with older families in older homes
  • Rustic Outposts depend on manufacturing, retail and healthcare, with pockets of mining and agricultural jobs
  • Low labor force participation in skilled and service occupations
  • Own affordable, older single-family or mobile homes vehicle ownership, a must
  • Residents live within their means, shop at discount stores and maintain their own vehicles (purchased used) and homes
  • Outdoor enthusiasts, who grow their own vegetables, love their pets and enjoy hunting and fishing
  • Technology is cost prohibitive and complicated. Pay bills in person, use the yellow pages, read newspapers, magazines, and mail-order books
  • Millennials on the move—single, diverse, urban
  • Millennials seeking affordable rents in apartment buildings
  • Work in service and unskilled positions, usually close to home or public transportation
  • Single parents depend on their paycheck to buy supplies for their very young children
  • Midtown Singles embrace the Internet, for social networking and downloading content
  • From music and movies to soaps and sports, radio and television fill their lives
  • Brand savvy shoppers select budget friendly stores
  • Growing up and staying close to home single householders
  • Close knit urban communities of young singles (many with children)
  • Owners of old, single-family houses, or renters in small multi-unit buildings
  • Religion is the cornerstone of many of these communities
  • Visit discount stores and clip coupons, frequently play the lottery at convenience stores
  • Canned, packaged and frozen foods help to make ends meet
  • Purchase used vehicles to get them to and from nearby jobs
  • Urban denizens, young, diverse, hard-working families
  • Extremely diverse with a Hispanic majority, the highest among LifeMode groups
  • A large share are foreign born and speak only their native language
  • Young, or multigenerational, families with children are typical
  • Most are renters in older multi-unit structures, built in the 1960s or earlier
  • Hard-working with long commutes to jobs, often utilizing public transit to commute to work
  • Spending reflects the youth of these consumers, focus on children (top market for children's apparel) and personal appearance
  • Also a top market for movie goers (second only to college students) and fast food
  • Partial to soccer and basketball
  • College and military populations that share many traits due to the transitional nature of this LifeMode Group
  • Highly mobile, recently moved to attend school or serve in military
  • The youngest market group, with a majority in the 15 to 24 year old range
  • Renters with roommates in nonfamily households
  • For many, no vehicle is necessary as they live close to campus, military base or jobs
  • Fast-growing group with most living in apartments
  • Part-time jobs help to supplement active lifestyles
  • Millennials are tethered to their phones and electronic devices, typically spending over 5 hours online every day tweeting, blogging, and consuming media
  • Purchases aimed at fitness, fashion, technology and the necessities of moving
  • Highly social, free time is spent enjoying music, being out with friends, seeing movies
  • Try to eat healthy, but often succumb to fast food

Urbanization groups

Tapestry groups are also available as Urbanization summary groups, in which markets share similar locales, from the urban canyons of the largest cities to the rural lanes of villages or farms. Tapestry Segments are classified into 6 Urbanization groups. Click a link to view a PDF summary:

  • Young, mobile, diverse populations living in the most densely populated neighborhoods of the largest cities (populations of 2.5 million or more)
  • Traits shared by more than 2.5 million people: crowding, high cost of living, and full access to urban amenities, including jobs
  • Youngest, most diverse populations among the Urbanization groups
  • Households are renter occupied by singles or roommates
  • The most challenging market for auto sales: half the commuters use public transportation, bicycles or walk to work
  • Focus on style and image with liberal spending on apparel
  • Constantly connected, using the Internet for everything from finding jobs to finding dates
  • City life for starting families in neighborhoods that fringe major cities
  • The earliest suburbs, built before 1970, primarily single-family housing with some apartments
  • Young families with children, diverse population
  • Homeowners living closer to the city, with below average vacancy rates
  • Leisure focuses on the children (visits to theme parks or water parks), sports (soccer, basketball, football) and movies
  • Spending also emphasizes the children—clothing, toys and baby products
  • Parents of small children favor family restaurants and fast food
  • Smartphones are popular, for social contacts, downloading apps, games and music
  • Affordable city life including smaller metropolitan cities or satellite cities that feature a mix of single-family and multiunit housing
  • Single householders seeking affordable living in the city: usually multi-unit buildings that range from mid- to high-rise apartments average monthly rents and home value below the U.S. average
  • Consumers include college students, affluent Gen X couples, and retirement communities
  • Student loans more common than mortgages debit cards more popular than credit cards
  • Residents share an interest in city life and its amenities, from dancing and clubbing to museums and concerts
  • Convenience and mobility favor cell phones over landlines
  • Many residents rely upon the Internet for entertainment (download music, play online games) and as a useful resource (job searches)
  • Urban expansion: affluence in the suburbs or city-by-commute
  • The most populous and fast-growing among Urbanization groups, Suburban Periphery includes one-third of the nation's population
  • Commuters value low density living, but demand proximity to jobs, entertainment and the amenities of an urban center
  • Well-educated, two-income households, accept long commute times to raise their children in these family-friendly neighborhoods. Many are heavily mortgaged in newly built, single-family homes
  • Older householders have either retired in place, downsized or purchased a seasonal home
  • Suburbanites are the most affluent group, working hard to lead bright, fulfilled lives
  • Residents invest for their future, insure themselves against unforeseen circumstances, but also enjoy the fruits of their labor
  • The most affordable housing—in smaller towns and communities located throughout the country
  • Single-family and mobile homes in the country, but still within reach of some amenities
  • Embrace a quiet, country lifestyle including listening to country music, attending country performances, riding ATVs, and camping
  • Prefer domestic products and vehicles, especially trucks
  • Shop at large department and discount stores like Walmart
  • Fast food and frozen meals are much more common than fine dining
  • Many make a living off the land through agriculture, fishing and forestry
  • Time off is spent visiting nearby family rather than flying to vacation destinations
  • When services are needed, the yellow pages are within reach
  • Country living featuring single-family homes with acreage, farms and rural resort areas
  • Very low population density distinguishes this group—typically less than 50 people per square mile
  • Over half of all households are occupied by persons 55 years and older many are married couples without children at home
  • The least diverse group, with over 80% non-Hispanic White
  • Mostly home owners (80%) , but rentals are affordable in single-family or mobile homes
  • Long trips to the store and to work---often drive alone in trucks or SUVs, listening to country radio
  • Blue collar jobs dominate the landscape including manufacturing, agriculture, mining and construction
  • Many are self-employed, retired, or receive income from Social Security
  • Satellite TV and landline phones are necessary means to connect
  • More conservative in their spending practices and beliefs
  • Comfortable, established and not likely to move

"Duplicate field names not allowed"

Trying to import a csv from excel into ArcGis where one column is zipcodes, one is number of X per zipcode. ArcGis keeps telling me there's an error when I import because "duplicate field names are not allowed". Does anyone experience this ever or have any ideas?

Without knowing more details--check that your fieldnames are less than 10 characters and unique. If you have fieldnames that start with similar strings like "FIELDNAME_1" and "FIELDNAME_2" then ArcGIS might be shortening them to "FIELDNAME_" and reading them as identical.

*When I say "unique" I mean "not remotely similar"

Tried changing them a bunch, do you think it has to do with being a sheet on a multi sheet excel workbook? Even though when I save it as a csv it only saves the active sheet….should i try copy and pasting this one sheet into a new excel save it as csv and see if it works?

Does the CSV have the same header for multiple fields?

No, that’s what I don’t understand

When you say "ArcGIS", are you talking about ArcMap, ArcGIS Pro or ArcGIS Online? Also, what tools / workflow are you using to perform the import?

ArcGis Online I believe, I am doing their 21 day educational trial to see if GIS is something I’d like to use on a research project I’m working on. I have a multi sheet excel book and I’m trying to overlay two of the sheets. I have them each saved as a csv for that specific sheet on the excel, and the first one uploaded just fine as a csv from excel, but the second wont.


Does ArcGIS Pro join to excel worksheets like ArcMap does? - Sistemas de Informação Geográfica

ArcGIS Living Atlas of the World is the foremost collection of geographic information from around the globe. It includes maps, apps, and data layers to support your work.

Explore items recently added to ArcGIS Living Atlas of the World, learn about GIS events, and discover ways to use content.

How to use ArcGIS Living Atlas of the World

Explore maps, apps, and data layers from Esri and thousands of other organizations.

Combine content with your own data to create new maps and applications.

See how others are visualizing data and solving problems.

Grab content & start creating

Open layers in the ArcGIS Online Map Viewer to quickly see if they fit for your project.

Create a new map in seconds by adding layers in the Map Viewer. You can use your own data combined with layers from ArcGIS Living Atlas of the World.